logoSign upLog in
Francisco Ferrari

Francisco Ferrari

To Segurança Privada Patrim & Prev de Perdas Riscos e Fraude03/08/2015

Segurança Pessoal – Francisco Ferrari A estrutura da sociedade dependa da íntima relação entre o povo e seus representantes legais. Mas os dissidentes, pessoas desgostosas e extremistas de direita ou esquerda, tende a isolar as personalidades do povo. Existem movimentos ou tentativas para envergonhar, seqüestrar ou até mesmo assassinar esses representantes que valentemente continuam a encontrar seu público. Eles fazem isso apesar das ameaças ou agressões a que estão sujeitos, chegando a arriscar a própria vida. Lideres devem poder se comunicar livremente e seguramente com as pessoas. A conduta do agente de segurança visa prevenir ou reduzir a violência através de princípios fundamentais de Segurança Pessoal. Os líderes (P.S.O.) devem proteger dignitários ou indivíduos de alto risco, sabendo avaliar a proteção efetiva, profissional ou pessoal, que o principal necessita. O líder avalia a vulnerabilidade do principal, analisando os riscos, traçando medidas preventivas proporcionais a ameaça. Os recursos disponíveis avaliaram: O Grau, A posição, Local, Condições Especiais e Pessoas envolvidas no perigo iminente (ameaça) ou efetivo (atentado). O líder deve organizar, pensar no treinamento, equipar e manter a equipe trabalhando em harmonia. Ações Anti-Terrorismo A maioria das instalações só requer de uma equipe anti-terrorista quando há uma visita de um V.I.P. Mas todas as instalações devem Ter pessoal treinado para serviços de proteção pessoal, além de identificar seus pontos críticos e estratégicos, bem como suas necessidades. A equipe de segurança devem estar seguros, bem apresentáveis, inteligentes e articulados. Os agentes tem que Ter qualificação no manuseio de armas de fogo. Um conhecimento de táticas de autodefesa desarmadas é desejável. A equipe tem que estar consciente das adversidades da função, os agentes devem estar dispostos a sacrificar a própria segurança para proteger um Principal. Detalhes pessoais e informação da personalidade do Principal, exigências de protocolo, itinerários devem ser completamente familiares para o Líder da Escolta, para poder agir depressa e adequadamente em uma situação de emergência. Os agentes devem ter sido tão bem treinados que em uma situação real, apesar da excitação e emoção envolvida, agirão instintivamente. Cada membro da equipe deve estar atento a suas responsabilidades e reações, esperando o mesmo do resto da equipe. Atualmente a maior parte das equipes de segurança treinam pouco o seu pessoal, é difícil liberar os agentes todos ao mesmo tempo. Esse falha dificulta a coordenação do trabalho de equipe. Emprego de Armas De suma importância é o emprego de armas que é feito com as seguintes considerações em mente: * Disponibilidade de armas. * Análise de ameaça. * Local da missão. * Desejos da cadeia de comando. O emprego de armas deve ser consistente com a política interna da empresa e com as leis de cada país onde o Principal esteja. Pessoal da Segurança armado com armas automáticas tem que ter previamente qualificação com essas armas. A legislação brasileira pertinente ao porte de armas estabelece que o calibre máximo permitido para uso fora das forças armadas é de pistolas 380 ou cal. 38 para revolveres. Os agentes devem ter além do registro da arma o porte também. O fogo cruzado pode causar baixas em espectadores inocentes. O Líder da Escolta deve manter uma postura defensiva e evacuar o Principal da “Zona de Perigo”. Há situações extremas onde o imediato uso de armas de fogo é a melhor resposta. Quando o carro do principal é alvejado em uma emboscada, os agentes no carro de apoio devem fazer o fogo de retorno. Embora não exista uma regra definitiva, as ações defensivas levadas pela equipe de segurança devem configurar legitima defesa de acordo com a lei. As circunstâncias podem indicar que o ato foi ilegal dependendo do grau de ameaça ao Principal. Use só a força necessária utilizando uma ação restrita. O incidente ao ser notificado para as autoridades devem mostrar o estado de necessidade ante uma emergência. Princípios de Segurança Pessoal A meta do Líder é proteger o Principal de todos os perigos, isto inclui, perigos causados por desígnio pessoal, acidente, ou negligência. A proteção absoluta é impossível, assim o objetivo do Líder é minimizar as probabilidades de um ataque e suas chances de sucesso. O “fator de impedimento” oferecido pela presença de uma equipe de profissionais de segurança é inestimável. Se a Equipe de Segurança está alerta e firme em suas responsabilidades, controle da situação será evidente. Por vezes a exibição de equipamento de proteção é preciso em algumas circunstâncias, como em uma zona de combate ou uma zona de fogo hostil, para sustentar “fator impedimento”. Todo elemento de proteção deve ser completamente planejado com antecedência. Todos os atos e movimentos do Principal e da Equipe de Proteção devem ser examinados para assegurar segurança máxima. Todo o pessoal deve ser orientado para os procedimentos de emergência para que possam reagir imediatamente e corretamente. Medidas preventivas podem economizar a vida do Agente e do Principal. Planejar é crítico para o sucesso. A possibilidade de mudanças inesperadas requerem flexibilidade dentro do planejamento das missões. Alternativas e planos de contingência devem estar preparados. Cobrindo circunstâncias como mudanças de horário, possíveis ameaças, mudanças de itinerários e outras ações que podem afetar a segurança do Principal. Coordenação com o anfitrião como também de outras pessoas envolvidas durante uma visita é essencial. Em todos os casos, antecipação é a chave do sucesso. Antecipação é a coordenação de todos os arranjos de seguranças antes da chegado do Principal a cada local a ser visitado. Para algumas missões o trabalho é extenso e complexo, enquanto em outras pode ser mais simples. A extensão do trabalho depende da ameaça, disponibilidade de recursos, força da Equipe e desejos do Principal. Até onde possível, a Equipe de Segurança deve adaptar-se a conveniência do Principal. Todo esforço dever ser feito para não envergonhar ou interferir com suas atividades, respeitando sua privacidade. Medidas de proteção também dependem do tipo de exposição pública desejada pelo Principal, os meios de transporte usados, os locais visitados e as ideologias da população com o qual o Principal terá contato. A análise de ameaças inerentes obtidas durante a coleta de informação feitas de antemão, assim como o apoio da polícia loca é importante. Certos detalhes do itinerário e dos procedimentos de segurança devem ser controlados de perto. O Pessoal de Segurança não discute ou libera informações para pessoas não autorizadas. É tomado cuidado particular para representantes da imprensa. Liberar informações podem afetar adversamente a integridade da missão. As roupas do pessoal da Equipe de Segurança devem ser sóbrias de acordo com a usada pelo Principal. Ternos conservadores são apropriados quando escoltando. Estilos não convencionais ou cores chamativas deveriam ser evitadas durante as escoltas. Roupas esportivas podem ser usadas para ocasiões informais. Uso formal, como um fraque, pode ser requerido para o Líder e alguns membros da equipe. Fundamentos da Segurança Pessoal O conceito de Segurança Pessoal é espacial: Acima, Abaixo e em todos os lados. Baseado no princípio de “defesa a fundo” do Principal. Controle, coordenação e flexibilidade de movimento dentro destes círculos de controle é essencial. A defesa procura utilizar-se de um sistema de identificação. O sistema pode usar reconhecimento pessoal, sinais ou aparelhos de comunicação, para alertar ou efetivar um reação apropriada ante um atentado. Os Círculos são projetados para prevenir um ataque: * O círculo interno é mantido pelo Líder e membros da Equipe, minimizando os riscos. Sua área de atuação é de aproximadamente 3 metros de raio em relação ao Principal. * O círculo médio é a área de visualização próxima do Principal. Se estende dos 3 metros do círculo interno até o raio de 20 metros. Essa área de visão deve ser utilizada para prover o posicionamento da Equipe de Segurança de acordo com a aproximação da área de maior risco. * O círculo Externo é a área de visualização além do raio limite de 20 metros do Círculo Médio, até o limite de 200 metros a frente. É importante antecipar os riscos, procurando minimizá-los. Como exemplo podemos citar um caminhão obstruindo o caminho do carro do principal, o Líder passa a informação ao motorista, sugerindo uma rota alternativa. Trabalho de prévio ainda é requerido. Análise da ameaça deve estar atualizada. Itinerários devem estar preparados e salvaguardados. Rotas devem ser examinados e pontos seguros identificados Planos para evacuação devem ser considerados. Atenção especial deve ser dada ao potencial para danos e a possibilidade sempre presente de captura. Prevenção e Planejamento Quando notificado de uma missão iminente, um diário de eventos cronológico é iniciado. É registrada toda a informação da missão. Serve registrar ações do Líder da Escolta. Ajuda preparando para identificação dos erros e relatórios pós-ação. O planejamento da missão é feita em duas fases. * Os resultados preliminares das informações recebidas se torna a base para um plano de segurança pessoal. Este plano serve como uma base para fixar responsabilidades. Permite medir recursos para tarefas a serem executadas. O Líder é responsável para preparar o plano de segurança. O plano é explicado para o resto da equipe. O original é retido em arquivo. É controlado da mesma maneira que o itinerário do Principal. * A segunda fase do planejamento requer uma pesquisa do local a ser visitado pelo Principal pelo time de segurança de Apoio. O itinerário para a visita deve Ter vária opções sendo escolhido apenas momentos antes da saída do Principal pelo Líder da Equipe. Um esforço de averiguação de ameaças deveria começar como logo o recebimento do itinerário. Responsabilidades Indivíduos nomeados para a Equipe de Escolta devem estar constantemente atentos das próprias responsabilidades. A segurança de um principal em uma situação de ameaça só pode ser garantida pelos membros da Equipe ajustados fisicamente e mentalmente alertas, que possuem perícias suficientes para executar seu dever em uma resposta planejada global para uma situação de emergência. Devem ser definidas responsabilidades e deveriam ser nomeados os indivíduos com responsabilidade específicas para cada fase da missão. Coordenação entre todas estas pessoas deve ser estabelecida para assegurar proteção completa do Principal. Principais têm uma responsabilidade para contribuir para o sucesso da missão. A conscientização do Principal para esta responsabilidade é crítico para o sucesso. Muitos designaram intermediários para fazer a ponte entre a segurança e o Principal. Pessoas na cadeia de comando responsáveis por estabelecer essa ponte devem assegurar que o Principal, sua família e seus funcionários tenham uma orientação das normas e procedimentos utilizados pela Equipe de Segurança. Principais deveria ser encorajados a reconhecer e respeitar o profissional de segurança. Os membros da Equipe de Segurança não desenvolvem relações íntimas com pessoas do convívio do Principal, nem aceitam favores. Evita chamar a atenção para si mesmos, ou tentar impressionar as pessoas. Respeita a privacidade do Principal. Sempre que fazendo todo esforço para evitar interferência com o pessoal do Principal. Se prive de qualquer atividade que pôde reduzir mental ou fisicamente suas capacidades de reação. Evite consumir bebidas alcóolicas em um período mínimo de oito horas antes da fase de execução da missão. O Líder O Líder da Escolta estabelece um funcionamento íntimo em relação ao pessoal do Principal. Obtém itinerários detalhados, esboços biográficos, informação de protocolo e qualquer outra informação que julgue necessária. e civil e polícia militar. Ele avalia, estuda e confere as informações. Ele coordena a Equipe de Escolta, os equipamento e recursos e revisa o plano de segurança Durante a fase de execução da missão, supervisiona e orienta o resto da equipe. Reconhecimento Antecipado (Advance) A missão do reconhecimento antecipado é identificar possíveis riscos no local a ser visitado pelo Principal. Quando apropriado, a equipe proporciona para o Líder detalhes da visita, inclusive mapas, esboços, nomes das pessoas envolvidas, números de telefone, etc. Estes esboços incluem a personalidade do Principal e consideração para sua família. Eles também incluem informações pessoais, tais como aptidão física, preferências, problemas médicos, passatempos, capacidades de idioma ou falta deles e qualquer outra característica incomum que possa afetar a missão. Muito dessas informações podem ser obtidas com o Principal, seu secretário ou funcionários próximos. Equipe de Escolta A Equipe de Escolta deve permanecer próximo do Principal a toda hora, mudando a posição relativa freqüentemente. Segurança pessoal tem que assegurar que um assaltante é incapaz de agir contra o Principal. Antes de qualquer pessoa possa se aproximar do Principal, deveria estabelecer a identidade desta pessoa e sua autorização para aproximação. Sempre que possível, a Equipe de Reconhecimento deve obter listas convidados, visitas, representantes de imprensa e pessoas que executam serviços para o Principal. Embora a segurança de outros pessoas seja secundária, algum grau de segurança deveria ser dado a estas pessoas. Se um sócio do Principal está ferida, a missão inteira, pode ser afetada adversamente. Em algumas situações, é uma responsabilidade adicional prover limitada proteção para outras pessoas e funcionários do Principal. O pessoal da segurança deveria se conter na conversação desnecessária com o público e a acima de tudo, com a imprensa. Proteção a Pé Existem variadas formações de Escolta a Pé, cada qual para uma situação especifica. É recomendado que um carro acompanhe o trajeto do Principal. O automóvel pode bloquear qualquer veículo que possa ameaçar a segurança do Principal. Também pode ser usado para transportar o Principal em caso de uma emergência ou buscar um local mais seguro. Escoltar o Principal requer o ser estar altamente alerta a áreas circunvizinhas. Particular ênfase é colocada em pessoas em multidões que estão participando do evento ou são atraídos por curiosidade. A Segurança deve estar estabelecida imediatamente ao redor do principal. Adicionalmente são acrescentados círculos de defesa na maior extensão possível. Em assembléias em recinto fechado, a defesa típica deveria ser formada por círculos imediatamente ao redor do Principal. Uma procura cuidadosa e uma inspeção da área deveria ser feita. Nenhum local é precisamente semelhante. Por isto é virtualmente impossível estabelecer um jogo de regras que serão completamente aplicáveis a todos os locais. Porém, há diretrizes específicas que devem ser aplicadas para assegurar isso, padrões aceitáveis mínimos são aplicados em cada situação. Eles devem considere a necessidade de pessoal, de material e recursos, também têm que considerar o uso de alarmes protetores e dispositivos. Os planos têm que designar prioridades de proteção baseado em análise de vulnerabilidade ante ameaças. Planos têm que incluir consideração de ajuda disponível de unidades policiais na área. Todos os planos devem ser coordenados com autoridades civis porque autoridades civis tem responsabilidade primária para a proteção do privado e público.

Francisco Ferrari
Relevant
  1. Dinah Sibelle Damico Godoy
    16/09/2015 #1Dinah Sibelle Damico Godoy
    Concordo, infelizmente é uma grande realidade.
    Reply