logoSign upLog in
Nutricionista Claudia Silvestre

Nutricionista Claudia Silvestre

To Médicos e profissionais da área da saúde09/10/2015

Mais uma pesquisa aponta que são os açúcares, principalmente frutose, ameaça maior quando se trata de pressão arterial e doença cardíaca. Segundo os autores deste novo estudo do Instituto de Saint Luke Mid America Heart in Kansas City, e Montefiore Medical Center, em Nova York, acreditam ser discutível os benefícios do corte de sódio. Uma vez que a ligação entre o sal e a doença cardíaca é instável. A restrição de sal, na verdade, reduz a pressão arterial muito pouco em média. E, em uma meta-análise de 2011, a Cochrane Collaboration descobriu que redução moderada em sal não diminuía a probabilidade de morrer ou de desenvolver doença cardiovascular. Na verdade, o corte do sal pode aumentar o risco de doença cardíaca fatal. Neste novo estudo, os autores apontam que a grande quantidade de sal da dieta vem de alimentos processados. Sendo também a maior fonte de açúcares adicionados. Baseando-se em evidências de estudos populacionais e de ensaios clínicos, os autores descobriram que o açúcar teve um maior efeito sobre a pressão arterial. E, eles descobriram que a frutose desempenha um papel importante no desenvolvimento de hipertensão. Graças ao desenvolvimento de alimentos processados e, especialmente, o xarope de milho com alta concentração de frutose as pessoas em média consomem cerca de 24 a 47 colheres de chá por dia de açúcar e cerca de 83 gramas de frutose. Hoje cerca de 13% dos americanos consomem pelo menos 25% de suas calorias totais como açúcares adicionados. Esse nível de açúcar na dieta é mortal. Os pesquisadores descobriram que a ingestão de 25% de calorias na forma de açúcar pode triplicar o risco de morrer de doença cardiovascular em comparação com as pessoas que comem menos do que 10%. Quando o açúcar é frutose, aumenta a pressão arterial de forma significativa. Consumir mais de 74 gramas de frutose por dia resulta em um risco aumentado de 77% da pressão arterial acima de 160/100 mm Hg. Os pesquisadores enfatizam que os alimentos processados são o problema. Mas açúcares encontrados em frutas de ocorrência natural e vegetais não são prejudiciais. Assim, quando se trata de pressão arterial e doenças cardíacas, evitar alimentos processados é o primeiro passo para reduzir seu risco. Opte por adoçantes naturais, como mel e xarope de bordo. E se possível, substitua o seu sal de mesa branco por sal marinho ou sal rosa do Himalaia. Fontes: Sugar - Not Salt - Bigger Threat To Blood Pressure (greenmedinfo.com) James J. DiNicolantonio and Sean C Lucan, "The wrong white crystals: not salt but sugar as aetiological in hypertension and cardiometabolic disease." Open Heart 2014;1:doi:10.1136/openhrt-2014-000167

Nutricionista Claudia Silvestre
Relevant