logoSign upLog in
Adailton Cypriano de Menezes

Adailton Cypriano de Menezes

05 de janeiro de 2016 (Bibliomed). Acidentes vasculares cerebrais (AVCs, ou derrames cerebrais) sofridos por adultos jovens que consomem maconha são mais propensos a serem isquêmicos, em comparação com os acidentes vasculares cerebrais sofridos pelos não-usuários, de acordo com uma pesquisa publicada 26 de outubro de 2015 na revista Journal of the American College of Cardiology (JACC).

Pesquisadores examinaram 334 pacientes com idade inferior a 45 anos que foram hospitalizados por acidente vascular cerebral isquêmico, entre 2005 e 2014. Um total de 58 pacientes da coorte eram usuários de maconha. Os resultados mostraram que a estenose arterial intracraniana foi a causa de acidente vascular cerebral em 45% dos usuários de cannabis em comparação com 14% dos não-usuários. Na internação hospitalar, os usuários de maconha e não usuários apresentavam deficiência motora unilateral semelhante, mas os consumidores de cannabis apresentavam mais transtornos visuais e menos afasia em comparação aos não-usuários. A independência funcional foi similar em ambos os grupos.

Segundo os autores, os dados mostram que a capacidade funcional favorável é comum em pacientes jovens com AVC, independentemente do consumo de cannabis. Isto é provavelmente relacionado com a plasticidade cerebral compatível com a idade dos pacientes.

Segundo a editoria do JACC, os efeitos da maconha foram considerados benignos por um longo tempo; no entanto, continuam a surgir evidencias sobre a relação entre seu uso com acidente vascular cerebral.

Fonte: JACC. Volume 66, Issue 18, November 2015

Copyright © 2016 Bibliomed, Inc

Relevant