logoSign upLog in
Reginaldo Afonso Bobato

Reginaldo Afonso Bobato

Antes da verdade que judia, a verdade que protege.

O destino escasso da retidão por falta de palavras, por palavras que comumente se parecem com a verdade delinearam minha vida, você a escuta. Erra sozinho, quem foi, ninguém viu, ninguém foi, imagine então o bombardeio de influência perversas e perniciosas que vêm de letras de música, como se a vida fosse fácil, gozemos das delícias mundanas, nos embriaguemos com o vinho, sejamos perdulários e devassos, olhe a festa desta instância de mediocridade, todos fazem, porque não eu, eles se ocultam com coberturas enfadonhas, têm até a lei que os privilegia, seja igual assim, não tardará se voltarão contra , os desejos e sangue são os mesmos, você não quis porque não pode ser distinto, te estuprarão, te molestarão e te indiciarão por estupro, mesmo tendo sofrido estupros, e se você não cedo ao ato te chamarão de veado, bicho, transviado, ou até mesmo colocarão em cheque tua virilidade, para te estupra deste modo, as descobertas tardias te farão revoltado, te taxarão de louco, te incriminarão, te jogarão num lodo fedorento, você irá comer com ratos numa masmorra fedorenta, te xingarão com adjetivos pejorativos, te provocarão, levantarão falsos testemunhos, serás vítima de martírio, do perjúrio, da injúria e da difamação, somente porque você repetiu e copiou atos insanos e rebeldes, escute tua sã consciência antes que seja tarde demais e saia do meio de afetação psicopatológica, que pode advir de etnia para etnia num jugo de ódio, aversão e traição, prepotência, arrogância e cobiça, senão isso para pôr prova que tua etnia é fraca e vulnerável, ou tua personalidade é fraca, teu caráter oscila, e nenhum capital do mundo pode suprir estas deficiência, num antro de intrigas autor Reginaldo Afonso Bobato

Relevant