logoSign upLog in
Nutricionista Claudia Silvestre

Nutricionista Claudia Silvestre

To Nutricionistas - Nutrólogos27/05/2015

A bicicleta pode ser uma aliada inusitada para melhorar a concentração de crianças na escola. De acordo com um estudo dinamarquês, realizado no ano de 2012, crianças que pedalavam ou caminhavam até a escola realizavam melhor certas tarefas que exigiam concentração, como completar um quebra-cabeças, por exemplo. E esse efeito durava até quatro horas após o término da pedalada, de acordo com a pesquisa.

O resultado do estudo causou surpresa por ser o efeito do exercício maior do que o da dieta. O estudo fez parte do projeto Mass Experiment 2012, que levava em conta a capacidade de concentração a partir de relações com dieta e exercício físico.

A pesquisa analisou cerca de 20 mil crianças, entre 5 e 19 anos, comparando as performances, em termos de concentração, entre as que andavam de bicicleta ou caminhavam no caminho para a escola e as que eram levadas pelos pais de carro ou pegavam condução pública.

Em 2011, outro estudo semelhante apontou para a mesma direção. O pesquisador urbanista, Donald Appleyard, revelou que as crianças que pegam carona com seus pais no carro para irem a qualquer destino possuem uma compreensão muito mais pobre da localização das redondezas em que vivem e também um conhecimento bem básico sobre a paisagem ao seu redor.

Um estudo português constatou que as funções motoras dos jovens são debilitadas pela falta de exercício físico, principalmente a dos garotos que gastavam mais de 76% do tempo em atividades sedentárias eram de cinco a nove vezes mais propensos a desenvolver má coordenação motora. Já as meninas que passavam 77,3% do seu tempo de maneira sedentária apresentaram uma probabilidade cinco vezes maior de apresentar coordenação motora ruim.

Crianças entre nove e dez anos, que passam a maior parte do seu tempo em atividades sedentárias, são nove vezes mais vulneráveis a desenvolver má coordenação motora em relação a crianças que praticam atividade física.

Os resultados do estudo apontam que níveis altos de sedentarismo não são neutralizados por pequenas doses de exercício físico. As crianças que passavam 75% de seu tempo assistindo TV ou usando o computador tinham suas funções motoras prejudicadas mesmo que caminhassem ou praticassem esportes às vezes.

Praticar exercícios físicos esporadicamente não é suficiente para que crianças cresçam de forma saudável. Adotar um estilo de vida ativo que não se baseie em ficar sentado três quartos do seu tempo em frente a uma tela luminosa pode ser crucial para que nossas crianças cresçam em todo o seu potencial.

Nutricionista Claudia Silvestre
Relevant