logoSign upLog in
Valeria Gazzara Coach

Valeria Gazzara Coach

To Recursos Humanos06/07/2015

Propósito! Artigo interessante.

5 Razões Pelas Quais A Maioria das Pessoas Nunca Descobre Seu Propósito
5 Razões Pelas Quais A Maioria das Pessoas Nunca Descobre Seu Propósito
despertarcoletivo.com “A mais profunda forma de desespero é escolher ser outro que não si mesmo.” ~ Soren...
Relevant
  1. Valeria Gazzara Coach
    08/07/2015 #5Valeria Gazzara Coach
    continuando.....Desafiar e enfrentar este estado de coisas requer uma coragem "herculea" porque é preciso primeiro, escolher atender ao nosso próprio chamado a ser feliz, e este chamado tem a ver com SER e não com TER. Algumas perguntas que podemos nos fazer? Esta minha escolha atende que objetivos e desejos? Onde quero chegar? Qual legado quero deixar para o mundo com o que poderei realizar a partir desta escolha? Enfim... é preciso escolher a si próprio, sem preocupações com o tempo e os bens materiais que poderão advir de uma escolha de sucesso do ponto de vista $$$.Como eu disse não é fácil!!! Acredito sinceramente que quando encontramos nossa vocação "espiritual" (e aqui espiritual não tem a ver com religião, mas tem a ver com nossa missão de vida, com nosso propósito, com nossa razão de existir e colocarmos todo nosso potencial nesta vocação estaremos tão realizados que não iremos encarar qualquer atividade como trabalho e sim como forma de realização. Não sei se fui clara. Se quiser conversar mais e aprofundar em suas questões estou às ordens, fique à vontade para me contatar. Sou apaixonada pelo tema e ter com quer fazer esta troca é um de meus propósitos.
    Reply
  2. Valeria Gazzara Coach
    08/07/2015 #3Valeria Gazzara Coach
    #1 Querida Tifany, você está absolutamente certa em todos os pontos. E o problema aqui no Brasil começa cedo, nossos métodos tradicionais de ensino emburrecem e ignoram o potencial dos jovens que estão no mundo hoje. Eu tenho 3 filhos de 21, 20 e 18 anos e passei todo o tempo de ensino fundamental e médio deles indicando que infelizmente passar por estas fases em escolas "tradicionais" era um mal necessário, uma imposição social que precisavam cumprir. Se eu pudesse e tivesse conhecido a tempo as Escolas Waldof, por exemplo, teria proporcionado outro roteiro para eles, mas não foi o caso. A "salvação" é que para o ensino superior tenho trabalhado com eles no sentido de que tenham mais tranquilidade para escolher e principalmente que façam esta escolha baseado no que vai em seus corações. Não é fácil! Como você mesma, bem pontuou, há uma pressão, uma expectativa para que isto aconteça logo, que os jovens encontrem sua vocação com 17, 18 anos, ingressem em um curso que irá lhes tomar no mínimo para começar mais uns bons 4 ou 5 anos, sem contas especializações, pós, MBAs, etc. E ai ocorre que este jovem vai para o mercado de trabalho, quando não, infeliz com a opção de curso e carreira que fez e ainda completamente imaturo para o mercado de trabalho, porque o tempo de universidade enche "o copo" de teoria, mas é na experiência e no espaço relacional que nos fortalecemos e desenvolvemos como seres humanos e principalmente desenvolvemos nossa tão preciosa e necessária inteligência emocional.
    Reply