O que é e como funciona a Bolsa de Valores?

O que é e como funciona a Bolsa de Valores?

Aqui no Brasil o investimento mais popular até então é a poupança, apesar de não ser o que atualmente oferece maior lucratividade. Seja por medo, ou por comodismo, a população ainda se mostra bastante tradicional na hora de aplicar suas economias.

Ainda há um grande desconhecimento sobre outras alternativas, além da caderneta, que podem se adequar melhor ao perfil do investidor e aos seus objetivos. Quer um exemplo? Agora em 2016, o Mercado de Ações foi o investimento mais lucrativo do Brasil, acumulando uma rentabilidade de mais de 20% no primeiro semestre do ano.

Está a procura de aplicações que irão te permitir realizar grandes lucros? Então esse artigo é para você! Continue lendo e conheça melhor o funcionamento da Bolsa de Valores.


Entenda a Bolsa de Valores


Mas, afinal, o que é a Bolsa de Valores? Podemos considerar a bolsa um mercado onde são negociados títulos e ações de diversas empresas. Por meio dela, é gerada a interação entre as pessoas e as organizações, por meio de operações de compra e venda de ativos.

Portanto, a bolsa é o espaço no qual as negociações do mercado de ações se realizam de maneira organizada e certificada. Isso garante que você irá receber o montante respectivo às ações que negociou e receberá também as ações que comprou. Além de garantir que você receba ou pague por elas.

Ademais, há a garantia que suas ações estão em um lugar seguro. A empresa responsável por isso é a CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia), uma empresa vinculada à BM&F Bovespa.


A Bolsa de Valores no Brasil


Aqui no Brasil, a principal Bolsa de Valores é a BM&F Bovespa, união entre BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) e a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo). A primeira bolsa do país foi a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, fundada em 1845, que posteriormente acabou sendo incorporada pela Bovespa.

Em 1980, inaugurou-se a Bolsa Livre, que fechou um ano após sua abertura. Após 4 anos do ocorrido ela abriu novamente e havia sido renomeada de Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo. Depois disso inúmeras fusões foram realizadas, com bol