Cristiane Bittencourt Spinelli en Coaching Brasil, professor de educaçao fisica, Vida Saudável Coach de vida e relacionamento • Coach Cristiane Spinelli 8/8/2016 · 1 min de lectura · 1,5K

A importância do exercício físico no tratamento e prevenção de depressão

A importância do exercício físico no tratamento e prevenção de depressão

Vivemos cada vez mais ansiosos e estressados, em uma realidade com tantos compromissos, metas, objetivos pessoais, seja em casa ou no trabalho, lidar com as perdas, entender a mudança brusca no estilo de vida que a todo o momento nos surpreende. 

Como lidar com tudo isso? 

Temos que saber e ao mesmo tempo aprender, a controlar nossos anseios, temperamento, humor, situações, impulsos e entender e compreender como o comportamento humano (o seu e dos que os cercam) influencia para tudo isso dar certo. Pois para que possamos procurar a nossa completa felicidade, mesmo que ela seja bem particular para cada indivíduo, no fim é isso que buscamos, algumas vezes temos que nos renovar a cada dia, levando assim uma vida com SAÚDE E QUALIDADE!

Nesse estudo o objetivo desta meta-análise foi avaliar o efeito do treinamento aeróbio e treinamento de força como um tratamento para a depressão em pacientes diagnosticados com depressão maior. O levantamento foi efeito em algumas bases de dados: PubMed (Medline), o conhecimento ISI(Institute for Scientific Information), SciELO (Scientific Electronic Library) foram consultados à partir de janeiro de 1970 a setembro de 2011. 

Algumas projeções da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que o transtorno depressivo maior (TDM), será a segunda principal causa de incapacidade e doença diagnosticada em 2020. Hoje em dia, o tratamento mais eficiente para TDM inclui medicação antidepressiva e psicoterapia, no entanto, em média apenas 25% da população tem acesso a estes tratamentos. O exercício físico tem sido sugerido como uma alternativa de tratamento eficiente para reduzir sintomas da depressão, uma vez que reduz o custo com medicamentos e internações, e também pode melhorar a saúde e as respostas fisiológicas. A relação entre atividade física e saúde mental tem sido amplamente investigada, e várias hipóteses foram formuladas sobre o assunto. Especificamente, durante o processo de envelhecimento, exercício físico pode representar um ajudante potencial tratamento para transtornos neuropsiquiátricos e cognitivos, ajudando retardar o aparecimento de doenças neurodegenerativas.

Há várias hipóteses sobre o fisiológico e os mecanismos psicológicos pelos quais o exercício impacta na saúde mental, tais como o reforço da síntese e liberação de fatores neurotróficos, bem como de funcionamento cognitivo, a angiogênese, neurogênese e plasticidade. Além disso, alguns estudos demonstraram que o exercício físico pode melhorar o contato social, a qualidade de vida e auto-estima. Também podem contribuir a uma maior independência nas atividades da vida diária em adultos mais velhos. Apesar dessa ampla gama de possíveis efeitos positivos observados em estudos com seres humanos e animais, essas provas em estudos clínicos ainda estão escassas na literatura.

Conclui-se que apesar da heterogeneidade dos estudos, a meta-análise presente mostra que o exercício físico melhora a resposta ao tratamento da depressão, especialmente o aeróbio. No entanto, a eficácia do exercício no tratamento da depressão foi influenciada pela idade e gravidade dos sintomas. 

Faça exercício físico regularmente, pratique a que mais lhe agrada e proporciona prazer e mantenha-se ´´ATIVO``, procure sempre orientação de um profissional de ed. Física que é o profissional mais indicado e preparado na prescrição de sua atividade.
Professor e Personal Trainer, Diego Spinelli. 

Artigo originalmente publicado em www.performancefuncional.com

 


#1 @Jaqueline Ribeiro fico muito grata. Grande abraço.

0
Jaqueline Ribeiro 9/8/2016 · #1

Ótimo artigo Cristiane! Levei!

+1 +1