Cristiane Bittencourt Spinelli en Recursos Humanos, beBee em Português, Desenvolvimento Humano Coach de vida e relacionamento • Coach Cristiane Spinelli 11/10/2016 · 3 min de lectura · +900

Um conselho profissional com o qual Buffet, Jobs e Fitzgerald concordam

Um conselho profissional com o qual Buffet, Jobs e Fitzgerald concordam


Olá, tudo bem? 

Você é feliz com o que trabalha? Você acorda todos os dias motivado(a) pelo seu emprego?  

Li um artigo MUITO LEGAL no Portal Administradores e, pensei logo em compartilhar com você que clicou neste título que, sem dúvidas, chamou também a minha atenção. 

O texto pode ser um pouco longo, mas não desista porque vale muito a pena. 

Convido a leitura...

Ultimamente tenho escutado e lido muita coisa de pessoas que tentam criticar toda a ideia de "faça o que você ama". E, por que sou curioso, passei algum tempo lendo e escutando o que elas tinham para dizer (é só jogar no Google 'faça o que você ama é um conselho ruim').

Mas não me convenceu.

Todo o argumento era de que você deveria ficar bom no que faz, e por fim aprenderia a amar seu trabalho por ser bom nele.

Mas aí é que está. Vamos supor que sejam necessárias 10 mil horas para você se tornar um mestre no seu trabalho/habilidade. Como você pode passar 10 mil horas fazendo o que odeia?

Alguns críticos da ideia "faça o que você ama" são especificamente pessimistas também.

Eles dizem coisas como "você não tem escolha; cale a boca e trabalhe. Trabalho não deve ser divertido". Isso me faz rir.

Eles gostam de dizer que as pessoas são fracas hoje em dia. E que "no meu tempo" as pessoas simplesmente iam trabalhar e não reclamavam.

Bem, esse não é mais o século XX. Em grande parte, o mundo evoluiu. Até meu mentor que tem 71 anos também diz que quem fala esse tipo de coisa são os pessimistas.

Existe um outro grupo de pessoas que tenta fazer brincadeira com o movimento "faça o que você ama". Eles acham que são comediantes, e dizem coisas do tipo: "Faça o que você ama? Eu amo comer Oreos e assistir Netflix. Isso conta? Hahaha".

Se você diz esse tipo de coisa, ou você está completamente fora de contato com a realidade ou acha que é engraçado (mas não é).

De qualquer forma, chega de críticas da minha parte. O motivo real pelo qual eu acredito no conselho "faça o que você ama" é simples. Eu li muito sobre pessoas que admiro e todas elas amavam o que faziam quando começaram. Não apenas quando se tornaram especialistas e obtiveram sucesso.

Neste artigo, destaco apenas três dessas pessoas:

Warren Buffett