Denise Da Vinha Ricieri en Estudantes, Professores e Educadores, Educação e Formação Professor e Pesquisador (colaboração técnica) • Universidade Federal do Ceará 22/9/2016 · 3 min de lectura · 1,7K

Design Instrucional e ciência: o impacto das emoções na aprendizagem

O processo de aprendizagem pode ser influenciado pela produção dos hormônios DOPAMINA, SEROTONINA E OCITOCINA? Como eles impactam na aprendizagem e no engajamento do estudante no processo de aprender-a-aprender?

Design Instrucional e ciência: o impacto das emoções na aprendizagemEsta é uma resposta relevante no momento de desenhar uma trilha de aprendizagem, em qualquer área onde se trabalhe o conhecimento no processo de formação de competências, habilidades e atitudes.

Uma trilha de aprendizagem (Design Instrucional) tem como objetivo planejar estratégias, recursos, elementos e atividades adequadas para os domínios do conhecimento envolvidos em uma aula, disciplina ou curso de formação. Essas trilhas são construídas pelos professores e capacitadores mas, em geral, elas trazem um viés importante: a seleção do desenho da trilha de aprendizagem é feito com base na experiência pessoal de quem ministra o curso.

Isso é um erro de princípio, porque as pessoas, em sua individualidade, reagem de modos diferentes aos mesmos estímulos. Então, como planejar uma trilha de modo a centrar o processo no estudante (ou em sua aprendizagem), e não no ensino (ou no que o professor acha relevante)? O princípio desse trabalho está na aplicação da EMPATIA.


Vamos dar um passeio e aprender mais sobre como desenhar trilhas de aprendizagem para resultados realmente efetivos para os estudantes.


  • DOPAMINA

A DOPAMINA tem muitas funções no cérebro, incluindo papéis importantes no comportamento e cognição, motivação e recompensa, sono, humor, atenção e aprendizagem. Um cérebro que recebe estímulos capazes de estimular a liberação de dopamina tem muito mais chance de estar motivado a aprender, e desenvolver um engajamento acima da média.

Design Instrucional e ciência: o impacto das emoções na aprendizagem

Mas dopamina demais não é bom. Ela também gera ansiedade, quando não está acompanhada dos outros dois hormônios. Essa é uma situação típica de dia de prova: como ela está ligada ao sistema de recompensa, a expectativa (ou necessidade) de alto desempenho na prova pode atrapalhar a concentração. Lembre-se que em situações de ansiedade (e de perigo, porque cada estudante interpreta momentos de avaliação como risco de não ser aprovado, por exemplo), há uma liberação de quande quantidade de adrenérgicos, para os mais ansiosos.

Juntas, dopamina e adrenalina em níveis mais altos, embotam as sinapses do sistema nervoso tornando mais difícil o trânsito de sinais neurais e a recuperação da memória, dentro de um prazo curto (que pode ser o tempo estipulado para concluir a avaliação). Essa é a descrição do famoso "branco na hora da prova"... Quem nunca?! 

A diferença entre a ANSIEDADE e a DEPRESSÃO, está no fato do desequilíbrio entre serotonina e ocitocina. É preciso conhecer um pouco mais para poder entender os contextos...

Design Instrucional e ciência: o impacto das emoções na aprendizagem


A saída? Tente trabalhar a ansiedade com elementos que tragam felicidade ao estudante... Processos empáticos são a chave para o engajamento na aprendizagem, e vão na contramão da depressão porque provocam afetividade e felicidade, típicas da conectividade bem sucedida com os outros.


  • OCITOCINA

A OCITOCINA é denominada como "hormônio do amor e da fidelidade".

Fora do contexto de suas funções específicas no processo reprodutivo, a ocitocina regula o interesse e a manutenção da atenção. Isso se dá porque ele desperta uma tendência a fazer coisas que fortalecem os relacionamentos próximos, realçando nossa EMPATIA (capacidade de nos colocarmos no lugar do outro).


  • SEROTONINA

Já a SEROTONINA é chamada de "hormônio da felicidade", porque está envolvida nos processos de depressão e felicidade, ansiedade e tranqüilidade e em outras diversas áreas do comportamento, como agressividade, raiva, irritabilidade, além de ser muito importante no sistema de controle da dor.

Design Instrucional e ciência: o impacto das emoções na aprendizagem

Exercícios físicos promovem a liberação de altas cargas de endorfinas e de serotonina. Pode ser uma ação estratégica inserir atividades que exijam que os estudantes se levantem do lugar, atuem rapidamente em construção de nuvens conceituais orgânicas, pequenos desafios gamificados, por entre o desenho instrucional.

Particularmente nos assuntos mais complexos, essas inserções têm o potencial de equilibrar ansiedade e satisfação (em conseguir superar um desafio proposto, por exemplo), o que ajuda o cérebro a potencializar sua capacidade de aprendizagem e estimula o sentimento de recompensa, aumentando a dopamina.

Temos, então, o segredo da trilha de aprendizagem bem sucedida: aquela que equilibra desafio, para despertar o engajamento, a empatia, para a conectividade, e juntos - engajamento e conectividade - geram fidelização, interesse e manutenção da atenção.

Design Instrucional e ciência: o impacto das emoções na aprendizagem

Em outras palavras, seja capaz de despertar emoções na sua audiência e os componentes de engajamento e conectividade e interesse farão o estudante se "apaixonar" pelo processo de aprender. Assim, você terá conseguido fazer com que os três hormônios principais tenham sido liberados concomitantemente.

Portanto, "AMOR" ao estudo, ao conteúdo, e aos contextos necessários para a aprendizagem, será sempre a meta de um bom Designer de Aprendizagem, ou seja, um professor de excelência!

Conhecendo essas funções, fica claro que o Design de Aprendizagem precisa prever em seu repertório os elementos capazes de estimular a liberação desses hormônios, de acordo com faixa etária (interesses diferentes para Gerações diferentes), inteligências (são pelo menos 9 tipos de inteligências a serem atendidas) e paixão pelo processo.

Gostou? Vem vindo uma colméia novinha em folha no beBee.com para que possamos trabalhar conhecimento compartilhado e, com isso, nos ajudar a melhorar nossos processos de abordagens instrucionais, na Educação e na vida!


Referência das imagens utilizadas nesse texto:

Tipos de emoções e os mediadores químicos: design instrucional baseado em ciência


Heleno Sabino 22/9/2016 · #1

Este usuario ha eliminado este comentario

+1 +1