Eliezer Araújo en saude, Consultores - Consultoria em Recursos Humanos, Formação Profissional Coordenador de Estágio 17/5/2016 · 1 min de lectura · +200

Equilíbrio na vida, estático ou dinâmico?

Tão desejado em meio ao corre-corre que enfrentamos cotidianamente, o equilíbrio é quase como uma utopia, as vezes bem distante, outras mais próxima. E tem sido um verdadeiro desafio aprendê-lo, mas onde podemos encontrar o equilíbrio? Uma rápida consulta ao dicionário pode nos ajudar a refletir sobre o assunto. Encontrei algumas definições:
"Estado de repouso de um corpo solicitado por várias forças que se anulam; Posição estável do corpo humano; Exibição acrobática; Ponação, calma, prudência: equilíbrio de espírito; Justa combinação de forças, de elementos: equilíbrio político."
Na verdade, se tomarmos como referência a metáfora do equilibrista de pratos, logo perceberemos que o equilíbrio exige muitas forças em ação. Longe de ser ponto de descanso e repouso, o equilíbrio surge apenas como resultado do esforço  e prontidão contínuas. Nossas vidas e tudo que fazemos também são assim. Há uma linha tênue entre a ordem e mesmice do dia-a-dia, e o caos ou necessidade de mudança. 
Creio que a compreensão deste equilíbrio dinâmico é importante por nos fazer vigilantes e sóbrios quanto a nossa própria responsabilização. Fazendo-nos pensar sobre o quanto estamos de fato implicados com nossa projeto de vida e com as pessoas que nos cercam. Fazendo-nos refletir sobre o quanto devemos estar preparados para lidar com as mudanças nas regras do jogo. Não que devamos andar ansiosos ou que não possamos simplemente parar para aproveitar a vida, mas um olhar mais reflexivo sobre nosso caminhar, nossas carreiras, nossos sonhos e amores, produz ao longo do tempo sabedoria e frutos de paz.
Não busque tanto o prazer ou a felicidade como se estas palavras fosem algo nelas mesmas, apenas mantenha o esforço, a perserverança e a energia. No tempo certo você fará a melhor colheita e ainda poderá deixar para os seus a melhor herança.