Segredo para um relacionamento forte entre franqueador e franqueado


Segredo para um relacionamento forte entre franqueador e franqueado


Para muitos, o mundo do franchising é um sistema atraente, porque oferece um modelo de negócios comprovado e com resultados tangíveis já em vigor.

À primeira vista, parece ser um cenário "plug and play"; basta comprar uma franquia e abrir as portas para ser um empresário de sucesso. 

Mas, como em qualquer negócio, não é tão simples, apesar de muito do trabalho já ter sido feito pelo

franqueador e o franqueado continuar o trabalho desenvolvendo em sua área de atuação, também tem um um outro jogo que é o relacionamento entre franqueador e franqueado para repassar os conhecimentos do negócio. 

O franqueador vai querer proteger sua marca e os franqueados protegerem seus investimentos e meios de subsistência. 

Então como funciona o relacionamento entre franqueador e franqueado para repassar os conhecimentos e que ambos cresçam juntos? 

Um relacionamento comercial único

O relacionamento franqueado / franqueador é único nos negócios. Frequentemente, você verá o as pessoas descrevendo o franchising como um relacionamento de pai / filho, com o franqueador (o pai) oferecendo orientação e desejando que o franqueado (o filho) seja bem-sucedido ou como um relacionamento de casamento, onde há uma parceria igual. 

Embora isso seja uma verdade, é um pouco enganador porque o papel do franqueado é secundário. Não recomendo descrever assim, pois o franqueador está fornecendo uma estrutura para o franqueado seguir, mas cabe ao franqueado assumir a responsabilidade pelo crescimento e sucesso da franquia em sua região de atuação. 

O franqueador não irá destinar a sua equipe interna para fazer o papel do franqueado e comprometendo o bem maior do sistema de franquia para que um franqueado seja bem-sucedido, especialmente se esse franqueado estiver em um caminho que acredita que o sucesso de sua unidade é de exclusiva responsabilidade do franqueador. 

É aqui que a analogia pai-filho ou casamento se desfaz; cada franqueado é um empresário independente. Os esforços do franqueado acabarão por determinar se ele ou ela obtém sucesso ou falha com a franquia.

Mas é bom lembrar que o franqueador precisa disponibilizar todo o conhecimento e equipes especialistas para orientar cada uma das unidades de franquias como se devem proceder no dia a dia. 

E que também todo tipo de negócio corre riscos de fatores externos como a macroeconomia.

Tem casos de vendas de franquias que o investidor acha que a equipe do franqueador irá substituir ele em suas operações enquanto tira suas férias.

Por isso é importante que o time comercial no momento das vendas explique bem detalhado qual é o papel de cada uma das partes. 

Vale ressaltar uma sugestão para o CEO realizar uma última reunião com os possíveis novos franqueados pra desvender a franquia.  

Assim os investidores saberão que vai ter funcionários que irão faltar e que ele precisará fazer a função dele, talvez não consiga tirar férias, terá que ficar trabalhando até mais tarde, nos fins de semanas ou feriados e entre outras verdades que passará. 

Talvez esteja se perguntando que fazendo isso é aí que não vende mesmo! 

Tecnicamente isso não é verdade, pois você está transmitindo integridade e mostrando a verdade para o franqueado. Isso gera confiança para ele comprar a sua franquia e fortalece o relacionamento entre franqueador / franqueado. 

É muito comum percebemos situações de conflitos entre franqueador e franqueado, pois as suas expectativas não foram supridas como imaginam. Por isso é importante que ambas as partes conheçam os seus papeis e entendam que estão no mesmo barco. Que o sucesso do franqueador depende do franqueado executar e o sucesso do franqueado depende do franqueador transmitir o conhecimento do modelo de negócios. 

Ficou com alguma dúvida? 

Escreva aqui abaixo que conversamos!