Franciane Nunes Paciência Torres en Guia do Emprego & Carreira, Recursos Humanos, beBee em Português Bebee • Brand Embassador 18/11/2016 · 2 min de lectura · 1,6K

A importância de se ter uma boa dicção no mercado de trabalho!


A importância de se ter uma boa dicção no mercado de trabalho! (Imagem: Site ligeirando)


Dicção ou também articulação é o controle dos órgãos fonoarticulatórios (lábios, língua, dentes, palato duro – céu da boa) e faz com que o indivíduo transmita ao ouvinte o desejo de ser compreendido, definindo-a com sons bem precisos. Uma dificuldade na organização mental e não preocupação em ser compreendido faz com que a articulação seja mal definida, ocasionando erros na fala (LUCENTE, R., 2009).


A velocidade representa a fluência da fala e relaciona-se com a coordenação e o controle da corrente de ar e articulação dos sons da fala. (BEHLAU, 2001). O ritmo ou velocidade de fala normalmente está na faixa de 130 a 180 palavras por minuto; deve-se procurar uma velocidade média. O ritmo acelerado pode prejudicar a precisão dos sons emitidos, porque não há tempo para fazer todos os movimentos necessários à perfeita articulação (COTES; FEIJÓ; KYRILLOS; 2003). A articulação deve ser clara e precisa, não deve haver troca de sons, nem distorções ou imprecisões que dificultem a compreensão.


Articulação definida

Controle da dinâmica fonatória; Confere credibilidade ao falante, mesmo que não possua uma voz de qualidade “bela e potente”.


Articulação mal definida

Não preocupação em ser entendido; Falta de vontade de se comunicar


Pronúncia

É a forma como produzimos os sons da fala. A pronúncia pode ser caracterizada pelo regionalismo (a forma como cada região fala), por exemplo, os cariocas reforçam o fonema /s/ - “passssssssta”. Existem as alterações na pronúncia, 

por exemplo:

  • Uso de determinadas substituições de sons nas palavras, troca de letra – exemplo: prato – por “plato”.
  • Variações articulatórias de um mesmo som.
  • Para articular cada som, há posicionamento dos articuladores: língua, lábios em determinados pontos articulatórios: dentes, alvéolos e palato (ROMANO, 2009).

Ênfase

É o realce por meio da voz, devendo ser dada à palavra que consideramos mais expressiva dentro de uma frase e que transmita a essência da mensagem. É quando ressaltamos uma palavra, entre outros elementos do enunciado, para valorizar o seu significado. Quando a ênfase se encontra nas palavras básicas do enunciado, mais claro será o seu significado. (GONÇALVEZ, 2000).

Funciona como grifo, como reforço nas palavras grifadas. É obtida com reforço da intensidade, articulação e velocidade mais lenta (COTES; FEIJÓ; KYRILLOS; 2003). Ênfases devem ser usadas nas palavras de valor. Deverão valorizar o assunto de maneira eficiente (KYRILLOS, 2003). Ocorrem de acordo com a intenção do discurso (ANDRADE; COTES; KYRILLOS, 2002). De preferência, em uma frase com cinco palavras, dar ênfase em três. Escolha aquelas palavras mais importantes e que ofereçam valor positivo para a informação. Nunca enfatize e aumente o volume vocal, por exemplo, na mesma palavra, para evitar a impressão de agressividade. 


(Fonte: https://www.portaleducacao.com.br/educacao/artigos/33647/articulacao-ou-diccao-a-voz-dalideranca)


De uma maneira geral, ter uma boa dicção significa pronunciar as palavras de maneira clara e correta, de modo tornar a comunicação mais eficiente e entendível. Saber se comunicar através de uma boa dicção é uma das habilidades mais desejadas no mercado de trabalho, pois sem uma comunicação entendível e eficiente, dificilmente haverá relacionamento, tanto interno quanto externo. 


O fundador do instituto Passadori, Reinaldo Passadori, indica um exercício simples e que pode ajudar você a trabalhar sua dicção e dar vida ao seu discurso. 


A importância de se ter uma boa dicção no mercado de trabalho!


Os exercício de ortofonia, ou também chamados de trava-linguas, também é uma ótima dica para melhorar a dicção. 


  • O rato roeu a roupa do Rei de roma, a rainha com raiva resolveu remendar.
  • Num ninho de mafagafos, cinco mafagafinhos há! Quem os desmafagafizá-los, um bom desmafagafizador será.
  • Em rápido rapto, um rápido rato raptou três ratos sem deixar rastros.
  • A Iara agarra e amarra a rara arara de Araraquara.
  • Em rápido rapto, um rápido rato raptou três ratos sem deixar rastros.
  • Fia, fio a fio , fino fio, frio a frio.
  • Gato escondido com rabo de fora tá mais escondido que rabo escondido com gato de fora.
  • O que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui.
  • Para ouvir o tique-taque, Tique-taque, tique-taque, Depois que um tique toca E que se toca um taque.
  • Sabia que a mãe do sabiá não sabia que o sabiá sabia assobiar?
  • O Tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o Tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo, tempo tem.
  • O pelo do peito do pé do Pedro é preto.
  • O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! Se desoriginalizásemo-lo original não seria!
  • A pia perto do pinto, o pinto perto da pia, tanto mais a pia pinga, mais o pio pinta.
  • Uma aranha dentro da jarra. Nem a jarra arranha a aranha nem a aranha arranha a jarra.
  • O bispo de Constantinopla, é um bom desconstantinopolitanizador. Quem o desconstantinopolitanizar, um bom desconstantinopolitanizador será.


(Fonte: http://ligeirando.com.br/trava-lingua-melhores-trava-linguas-dificeis/)


E Para mais exercícios de dicção: http://ligeirando.com.br/teste-diccao-exercicios-melhorar-diccao/