Jose Geraldo Barbosa Duarte Junior en Engenheiros e Técnicos, Diretores e Executivos, Profissionais Administrativos CONSULTOR • CONSULTOR AUTONOMO 14/10/2016 · 3 min de lectura · +800

Sobre a PEC 241

Muita se comenta sobre a PEC 241.
Essa que trata da limitação das despesas do governo federal.
Há os que são a favor.
A maioria é a turma do oba oba.
Apoiam, mas poucos sabem sobre exatamente do que se trata.
Mas, felizmente, adotaram o lado certo.
E há os que são contra.
Muitos também são da turma do oba oba.
Há também aqueles que são sempre do contra.
São aqueles que pensam: “Há governo, sou contra”.
Mas, infelizmente, são da oposição.
O fato é que essa turma do contra justifica seus posicionamentos com argumentos que classifico de meias verdades.
Argumentos meias verdades são aqueles que têm em seu enunciado verdades incontestáveis.
E causam grande choque em quem os le.
Apesar de suas conclusões serem falsas.
Isto porque quem lê essas meio verdades restringe-se a parte da verdade e aceitam as conclusões sem uma maior reflexão.
Veja, por exemplo, a batida e repetida verdade de que o contingenciamento das despesas publicas irá trazer prejuízo ao orçamento da saúde e da educação.
Vai sim.
É obvio que vai.
Esse tópico faz parte o orçamento.
Se o orçamento por inteiro for cortado, as verbas para a saúde e educação também serão cortadas.
Antes de avançarmos temos uma reflexão a fazer.
Trata-se da questão ”ser ou não ser”.
Ou seja.
Se não houver cortes nas despesas, qual a alternativa?
É aumentar impostos.
Quem tem duvida?
Ainda bem que os mesmos que são contra o corte, acertadamente, são contra o aumento de impostos.
Então nos deparamos com um impasse.
Ou se co