Rowan de Araujo en PROFISSIONAIS EM ADMINISTRAÇÃO, Profissionais Administrativos, Recursos Humanos Gerente Interino, Coordenador, Supervisor Geral 20/2/2019 · 10 min de lectura · 1,9K

Ferrovia e a História da Administração

 Ferrovia e a História da Administração

Daniel McCallun um dos maiores engenheiros e administradores que o mundo já viu. Abriu o caminho para eficiência da administração mundial de negócios. Precisamos de educação, treinamento, preparo das pessoas, organização e disciplina.

Organograma e o Centro de Custo, usados universalmente na Administração Geral, foram criados e inventados por Daniel McCallun, um dos maiores Engenheiros do mundo. Grande Administrador de Ferrovias. Foi referência em Engenharia e Administração com contribuição diferenciada

UM EXPOENTE DA ENGENHARIA E DA ADMINISTRAÇÃO 

Daniel McCallum (1815-1878) - nasceu na Escócia, mas foi para os Estados Unidos ainda criança em 1822. As ferrovias, nos Estados Unidos foram os primeiros empreendimentos de grande escala para chamar a atenção para à necessidade por melhorias nas práticas administrativas. Daniel McCallum, superintendente-geral da Ferrovia Erie Railroad Company buscou um sistema de organização que levasse a uma melhoria no desempenho. 

Engenheiro, carpinteiro, poeta, autodidata, disciplinador, corajoso, estudioso, organizado e inteligentíssimo. Ele  inventou o organograma e o centro de custo. Ferramentas de Administração Geral, controle, contabilidade, orçamento, custo e economia, usadas em empresas de todo  planeta. 

Estas ferramentas da administração geral criadas pelo Gal.MacCallun servem hoje como organização de base da dados para opex, capex, planejamento empresarial e finanças departamentais de qualquer segmento ou porte de negócio, e são usadas no mundo inteiro. Gal. McCallum era especialista em construções de pontes ferroviárias  seguras e inovadas pelos padrões da época. Revolucionou a Engenharia de construção e manutenção de pontes ferroviárias  com talento brilhantismo e inovação. A sua competência de engenheiro e administrador  de ferrovias foi notada historicamente nos EUA.     

O TALENTO DE  ADMINISTRAR, ENGENHAR, INOVAR E LIDERAR  DE UMA FORMA DIFERENCIADA E EXPONENCIAR AQUILO QUE GERENCIAVA  COM DISCIPLINA, DEDICAÇÃO E COMPETÊNCIA, SEMPRE FORAM AS MARCAS FORTES DO GAL.DANIEL UM ENGENHEIRO ILUMINADO E ADMIRADO PELA CAPACIDADE DE PLANEJAR GRANDES RESULTADOS 

O seu nome faz parte da História da Administração e estudos da TGA - Teoria Geral da Administração. O Centro de Custo visava para ele: Informação - Identificar a responsabilidades de custo (gastos) e a organização de cada departamento em aplicação especifica de recursos. Fortalecendo o controle e obtenção de meios de rastrear, prestar contas de gastos, medir despesas e ter como contê-las por departamentos. Fazendo saúde da economia da empresa. Para ele, todo chefe tinha obrigação de saber os gastos estratificados de sua seção para formar argumentos consistente de defender sua administração. O Organograma visava para ele: 

1 - Que haja uma divisão por responsabilidades. 

2 - Que se deleguem poderes suficientes para que as responsabilidades possam ser exercidas plenamente, a fim de que tenham caráter real. 

3 - Que haja meios de averiguar se essas responsabilidades são fielmente cumpridas. 

4 - Que toda negligência dos deveres seja prontamente informada, para logo sanar os problemas. 

5 - Que essa informação seja obtida mediante um sistema de notificação e fiscalização diárias que não cause embaraços aos superiores nem lhes diminua a influência sobre seus subordinados. 

6 - Que no todo se adote um sistema que não só permita ao superintendente geral detectar erros imediatamente, como também indique o culpado. 

ADMIRADO PELOS PRINCIPAIS ENGENHEIROS, ADMINISTRADORES E ECONOMISTAS  DO MUNDO INTEIRO PELA CAPACIDADE DE CONTROLAR E INOVAR  NOS NEGÓCIOS COM ALTA INTELIGÊNCIA E TALENTO, CARACTERÍSTICAS DOS TRABALHOS DO GAL. CALLUN

Disse: “Resultados e administração não são palavras mágicas. Não tente fazer nada sem experiência em uma ferrovia. Fazer o Trem andar na linha com segurança e produtividade é uma tarefa que envolve vários conhecimentos da engenharia, administração  controle e comprometimento das turmas de trabalho ” (Daniel McCallun) 

"Atenção com os perigos de acidentes. Acidente em qualquer ferrovia, é muito danoso. Para evitar acidentes, sou extremamente exigente e rigoroso" (Daniel McCallun)

Fica aqui os nossos aplausos a este, que foi um dos maiores engenheiros do mundo. Admirado por Eliezer Batista e outros grandes homens que atuaram nas ferrovias de todo planeta. Gal. Daniel foi o incansável estudioso e trabalhador em prol das ferrovias. 

Desde 2000 estudo obras deste baluarte da Engenharia Ferroviária. Dr. Eliezer Batista que se especializou em Ferrovias nos EUA e transformou VALE, na maior produtora de minério de ferro do planeta como seu primeiro presidente  de carreira e foi duas vezes  presidente. Incentivou-me a ler sobre o Gal.Daniel.  

"Leia sobre Daniel McCallun, e verá como a engenharia transforma o rumo dos negócios" (Eliezer Batista)  


"Mario Carvalho de Nova Era, está entre os homens de trabalho da linha do McCallun" (Eliezer Batista)  

"McCallun foi um dos homens mais extraordinários que tivemos na engenharia. A sua inteligência era fenomenal e a sua marca forte era a organização. As ferrovias norte americanas evoluíram muitos anos à frente com ele. Me disseram nos EUA, em meu estágio, que ele era um professor  em formar equipes de alto  desempenho como poucos gestores" (Eliezer Batista) 

“ Em meu primeiro de dia aula na Universidade nos EUA, onde nasci, li um resumo: “o trabalho de Daniel Craig McCallum nas ferrovias dos EUA”. Ele foi um Engenheiro perfeito e se orientava pela engenharia de planejamento, organização, instrução, prevenção, correção ágil e resultados. A disciplina sempre esteve em primeiro lugar para cumprir os prazos, assumir a liderança, responsabilidade e perfeição das tarefas. Gal. Daniel era extraordinário em tudo que se faz  em uma ferrovia, inclusive soluções práticas e eficazes (Mr.Simpson, Engenheiro americano, Residente – Chefe Geral da Morrison Engenharia, atuou nas melhorias da EFVM da VALE, junto com Eliezer Batista e equipe de Engenharia)

"Criamos, também em 1949 na VALE, o Centro de Estudos Ferroviários, que era uma espécie de Nasa ferroviária tupiniquim e fez história. O resultado cruzou o tempo. Até hoje, a Vitória-Minas é uma das vias férreas mais eficientes e economicamente viáveis do mundo. Em 1942, foi projetada para transportar 1,5 milhão de toneladas de minério de ferro; hoje, este é o volume de apenas um dia. É o tráfego ferroviário mais denso do mundo. O Brasil deve este feito à visão de Juracy Magalhães, que confiou em nosso trabalho e vislumbrou uma oportunidade até então sem precedentes de se alavancar a engenharia de ferrovias no país. Acho que este avanço foi também inspirado no nosso mestre Daniel, porque não podemos falar em ferrovias e seus avanços em todos os aspectos sem dizer o seu nome"  (Eliezer Batista)

AS FERROVIAS SÃO FASCINANTES, TRABALHEI 11 ANOS EM FERROVIAS. É UM TRABALHO QUE TODO DIA APRESENTA  UMA TAREFA NOVA, E DE SOLUÇÃO DIFERENTE. UMA FERROVIA  ATRAVESSA CULTURAS DIFERENTES, CIDADES, ESTADOS E GEOGRAFIAS DIFERENTES. A DISTÂNCIA FAZ COM QUE TODOS TENHAM  ALTO NÍVEL DE COMUNICAÇÃO, ENTENDIMENTO, LIDERANÇA E AÇÃO COLETIVA. O INDIVIDUALISMO DAS PESSOAS NÃO SE SUSTENTA EM TRABALHOS DE FERROVIAS. 

“ Administrar não é palavra mágica. Nunca tente fazer nada em uma ferrovia sem experiência” (Daniel Craig McCallum (1815-1878, foi um engenheiro que definiu as bases para o gerenciamento de ferrovias. da New York & Erie Railroad, em 1850. Inventou o organograma e o centro de custo)

Dr.Eliezer em seu estágio nas ferrovias norte americanas na Pensilvânia conheceu de perto o legado deste homem nos EUA e o considerava um Exponente de Ferrovias. 

Temos na história acadêmica e na gestão das empresas, lapsos inexplicáveis. Poucos ferroviários no Brasil, muitos até já morreram infelizmente, sem saber quem foi o Gal.Daniel McCallun. São lapsos do ambiente ferroviário e das escolas também, inexplicáveis. Não cultuamos grandes valores da história das ferrovias como deveríamos . No Brasil isto é comum e não só nas ferrovias, isto é geral na cultura industrial. Nós precisamos repensar nesta condição que está atrelado em valores, educação, instrução, orgulho profissional e conhecimento que reforçam o intelecto e comprometimento com os nossos valores. Isto faz a diferença de povos e países. Um povo sem cultura, orgulho, educação, instrução e conhecimento é um corpo sem alma.

As pessoas eram valorizadas indiferente de cargos, os profissionais eram lembrados com nome de edifício, salas, auditórios e vias de acessos. Pode ter exceções é claro. Mas vejo muitas empresas homenagearam estes locais, com pessoas que nunca pisaram na empresa, não ajudaram  a construí-la, nunca ajudaram em nada. Outro erro gritante!

Já tivemos um período na VALE em que todas estas coisas eram tratadas  e valorizadas, e eu peguei esta época. A última ação  de peso que vi, foi o batismo do maior projeto da VALE, como: Projeto S11D -Eliezer Batista, uma justíssima homenagem a um homem que fez a VALE grande, mas que sempre fez questão de dizer que: "nunca fiz nada sozinho, sempre construímos coisas grandes, mas em equipe. Sempre decidi coletivamente. Até o meu chofer dava palpite. Nunca tive pretensão da ideia ser minha. Sempre fui transparente e aproveitei as ideias dos outros e os agradecia. Isto os estimulava e sempre estavam dando outras ideias, cada vez melhores"

Poucas empresas se preocupam com valores históricos e criam empregados acéfalos de suas próprias histórias e origens de onde chegaram  profissionalmente, a história da casa profissional deles. Esta é a pura verdade! Por que os Departamentos de RH, Comunicação e até os milionários projetos coaching´s e o monte deles que se apresentam no mercado, nunca fazem isto.

Temos quantidade de informações, tanto na vida social, quanto profissional, e principalmente  com o a Internet. Mas o que circula de qualidade de informações, deixam a desejar.  Já falam que 60% do que circula na Internet por aplicativos e conversas de celulares é  tudo lixo, ou o que não agrega valor a cultura e o bom conhecimento. 

Na prática em maioria das empresas montam treinamentos, mas esta  maioria mostra que estão à quem, daquilo que agrega valor. Não dão retorno como deveriam. Falta uma identificação mais apurada das necessidades de educação e treinamento.  Isto é muito comum no país.

Este exemplo da falta de informação, valores e conhecimento das obras do Eng. Daniel nas empresas de  ferrovias é um deles. Por outro lado, tenho visto empresas valorizando muito histórias de empreendedores como Daniel McCallun e outros líderes empresariais, o que reforça a cultura organizacional e conhecimento do mundo corporativo.

“Uma pirâmide de base fraca, não se sustenta. Rompe com facilidade. Isto é físico, assim é uma empresa. Ela tem de ter sua base treinada, educada, alinhada e qualificada. Ciente da sua cultura, valores, memória e história. Conhecer seus fundadores, expoentes humanos. Pessoas que contribuíram para prosperidade da empresa, porque isso transmite orgulho, nos movimenta e traz a nossa qualidade humana, social e profissional, que tanto precisamos. Isto é fundamental para prosperarmos”. ( Akio Morita - físico, inventor, miniaturista de eletrônicos, espacialista em RH  defendia a cultura corporativa de fazer da Sony uma empresa  de administração humana e competitiva, co-fundador da empresa e principal executivo)

O DESPERDÍCIOS DE  TEMPO, DINHEIRO, FALTA DE OBJETIVIDADE E CULTURA DE VALORES  COMUNS NO BRASIL NO FRACO SISTEMA DE EDUCAÇÃO NACIONAL E DEPARTAMENTOS DE TREINAMENTO DAS EMPRESAS 

As pessoas são postas todos os dias em salas de aulas e de treinamentos do Brasil inteiro, mas  para aprenderem em maioria das vezes o que não tem relação nenhuma com progresso, ou aquilo que é útil em riqueza, contribuição de valores, cultura da engenharia, administração e economia de negócios globais. Mesmo com tantos coaches e coaching de enganação por aí afora. A falta de qualidade do aprendizado e temas abordados não estão sintonizados com a esfera de valores e do orgulho profissional, que faz a diferença nas pessoas. O progresso vem de pessoas orgulhosas daquilo que fazem e são úteis á nação, família, empresas, etc. 

O orgulho só é verdadeiro, quando se tem uma base comportamental daquilo que inspira confiança, valor, emoção, ideais, e muitas vezes  nos levam a imitar e acreditar nos líderes de verdade. Aqueles que deixaram legado, história e grandes exemplos. 

A qualidade de nossa educação nas escolas e treinamento nas empresas passam da hora de ser  repensados, e mais dedicado aos valores e a história que modelou o nosso presente. Falta transmissão de valores, objetividade, produtividade, aplicabilidade na vida social e profissional. Para entender o futuro tem de entender o passado. Isto é básico, inclusive para valorar as tecnologias, as inovações e o avanço do progresso. A história é a principal ferramenta cultural de dimensão do tempo e muitos RH´s das empresas são míopes desta realidade. Existem é claro; muitos que seguem e valorizam o que coloco  agora, sobre os temas positivos e mais instrutivos de cada segmento. Bill Gates em TI, Kennedy na política,  Mandela  na paz,  Madre Teresa de Calcutá e outros devem estar evidenciados em seus segmentos.

Infelizmente predominam as manobras e o engodo  para inventar palestras, livros superficiais, consultorias, modismo e artifícios de mídia paga no mercado de Gestão de RH e movimentar muito dinheiro. Muitas empresas poluídas de propinas, marqueteiros, conluios e parcerias com modismos e os mal coaching´s / coaches  picaretas que engrossam estas operações comerciais e encorpam o mercado enganoso. 

Há também a visão puramente acadêmica sem praticidade de trabalho local e vivência; e o pior; tudo isto que foi dito custa caro em valores e tempo das pessoas,  e sem qualquer ganho, uma vez que 60 minutos mostrando as obras do Gal.Daniel, vale 10 horas / aulas em muitas escolas frouxas do Brasil, que não reprovam mais, por falta de conhecimento. 

A educação brasileira vai mal. Isto é incontestável. Os alunos não têm culpa, porque falta de conhecimento não é atestado de incompetência, e sim causas de limitações financeira de uma educação mais eficiente e outras causas. Educação no Brasil é um problema emblemático.  

A TRISTE SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA, UM CAOS. ISTO AFETA A PRODUÇÃO DE CAPITAL HUMANO PARA OPERAR A INDÚSTRIA NACIONAL COMO UM TODO  E PRINCIPALMENTE A LOGÍSTICA, FERROVIAS, PORTOS, ETC.  

Nossa educação e fraca, o governo é míope para a educação. Não conheço país que desenvolveu só exportando minério de ferro, aço, milho, soja, café e suco de laranja e educação vergonhosa como a nossa:  529 mil candidatos tiraram zero na redação do Enem 2014. Dos 6.193.565 candidatos que fizeram o Enem(Exame Nacional do Ensino Médio) 2014, 529.374 participantes tiveram nota zero na redação do Enem(8,5%), segundo dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).14 de jan de 2015. Deve haver um projeto novo para repensar a educação.  

  O BRASIL ESTÁ NO 60º LUGAR ENTRE 63 PAÍSES, NA FRENTE APENAS DE CROÁCIA, MONGÓLIA E VENEZUELA EM DESMANCHE, SEGUNDO A ESCOLA DE NEGÓCIOS SUÍÇA IMD

 


Não priorizaram o investimento nas ferrovias, que poderia estar fortalecendo o modal e incrementando os portos, combinação com as rodovias, hidrovias e aeroportos, gerando emprego e renda. 

Em 2019 esperamos uma grande mudança no destino da nação. Hoje é uma constatação real que a corrupção vem sendo atacada.

O MUNDO E AS FERROVIAS COM A POSIÇÃO VERGONHOSA DO BRASIL: O DINHEIRO PARA INVESTIR EM FERROVIAS FOI TUNGADO PELA CORRUPÇÃO DO PT. PERDEMOS PARA ARGENTINA EM MALHA FERROVIÁRIA QUE TEM  1/3 DA EXTENSÃO  TERRITORIAL DA NOSSA. O MAIOR ATRASO DO BRASIL É A FALTA DE FERROVIAS

UMA POPULAÇÃO ALTÍSSIMA DE ANALFABETOS  CRIA TODO TIPO DE LIMITAÇÃO DO CAPITAL HUMANO.  ESTES  NÚMEROS SÃO  REFERÊNCIAS DO NOSSO ATRASO  

Uma população que não sabe votar escolhe mal os seus representantes que fazem as leis. Cada povo tem o governo que merece.  O estudo, feito pelo Ibope Inteligência, é desenvolvido pela ONG Ação Educativa e pelo Instituto Paulo Montenegro. Segundo o indicador, 29% dos brasileiros são considerados analfabetos funcionais. Deste total, 8% são analfabetos absolutos (aqueles que não conseguem ler palavras e frases). Outros 21% estão no nível considerado rudimentar (não localizam informações em um calendário, por exemplo). Brasil tem cerca de 38 milhões de analfabetos funcionais em pleno século XXI. Retrato de nosso atraso. Este número equivale a população inteira da Noruega + Escócia + Suécia+Áustria juntas. Isto é inadmissível em época que falamos de capital humano competitividade e operar empresas com menos gente e mais sistemas inteligentes e digitais para ter capacidade de competir globalmente.

 (https://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Ensino/2018/8/657938/Brasil-tem-cerca-de-38-milhoes-de-analfabetos-funcionais

GAL. MCCALLUN,  DEIXOU UM GRANDE LEGADO NA CIÊNCIA E MANUTENÇÃO DE PONTES FERROVIÁRIAS. A ENGENHARIA DE OBRAS DE ARTE E VÁRIAS TÉCNICAS DE MANUTENÇÃO CIVIL  CRESCERAM COM OS CONHECIMENTOS QUE ELE TRANSMITIU NAS FERROVIAS DO MUNDO TODO 

Uma qualidade do Gal Daniel respeitadíssima era a sua especialização e construção e manutenção de pontes ferroviárias que veio a contribuir com a engenharia com várias técnicas avançadas para época. Deixou o legado, produziu conhecimento, inovação, tecnologia e modificou a engenharia ferroviária e a administração, levando as ferrovias  norte americanas à um grande progresso.  

Quando assumi a função de comando na Erie. Pude ver que a ferrovia precisava como qualquer outra ferrovia ser organizada de tal forma, que pudéssemos visualizar a extensão do que íamos administrar, enxergar  e imaginar  o tamanho das nossas responsabilidades. Simplesmente isto, para assim  ajeitar  os nossos esforços e recursos para operar e manutenir a via férrea com responsabilidade clara de cada encarregado, pessoas  de comando e setores. A distribuição dos homens e recursos espalhados ao longo do trecho ficava sempre confusa e conflitante na hora de fazermos o plano de trabalho. Mas aprendi que engenharia é usar racionalmente os recursos, planejar e organizá-los fixando uma ideia lógica de muita ação no nosso caso a Erie. 

Desenhei um modelo de trabalho ordenado e detalhando os responsáveis por cada setor, conexo às suas atividade e sub atividades de ferrovia e chegamos na ideia e solução ao mesmo tempo, usando um desenho simples, que me custou dois dias. No 1o dia de trabalho as funções, responsabilidades, deveres e obrigações  ficaram  definidas, claras e formais afixadas em forma de quadros e distribuídos em todas as seções da Erie,  e aquilo serviu de um modelo novo. Foi bastante comentado, e uma semana depois uma empresa famosa de fundição, viu oque  fizemos e  adotaram o nosso modelo de organização funcional. Jamais esperava que isto se espalhasse tão rápido por toda a indústria da Pensilvânia e daí para o país " (Daniel McCallun – fonte: Mr Simpson, engenheiro americano - chefe geral Morrison Knudsen Internacional de Engenharia S A – EFVM – VALE)

ADMIRAMOS O GAL. DANIEL PELO EMPENHO E PRATICIDADE

Os profissionais de mais prática e menos teoria, eficientes de qualquer negócio vendo o que me refiro agora, formam esta mesma opinião. A história tem valores, mas falta os seus transmissores como devem.  Faltam pesquisadores e entusiasmo para conhecer as pessoas que contribuíram para o crescimento de tudo que funciona hoje. 

Qual empresa do mundo não usa o organograma e o centro de custo? Se tiver o mínimo de organização, usa. São estas coisas que pesam na produção de lideres, valores; e principalmente o que é certo, justo e necessário em forma de exemplos para educar e treinar as pessoas em escolas e empresas.. Foram homens corajosos, que estavam à frente de seus tempos, exemplos de profissionalismo, inovação coragem.. 

Enfrentaram desafios, quebraram resistências, produziram e venceram. Eu resumo os 5D´s: Daniel, Disciplinado, Determinado, Destemido, Dedicado, um dos maiores engenheiros e administradores que o mundo já viu. Não havia problemas que não resolvesse. O seu legado é o da competência máxima em todo trabalho que assumiu. Parabéns aos GEHA –Grupo Estudo da História da Administração pela semana Daniel McCallun, que participo com muito orgulho.

O Brasil está entre as 10 maiores economias do mundo, tem perto de 8 mil km de litoral, recursos naturais abundantes, terras agricultáveis, clima, recursos minerais e grandes florestas. Não falta dinheiro. Falta estadista, políticos honestos, educação e recursos humanos. O país tem outra cara em 2019 e isto nos traz esperanças positivas.