Rowan de Araujo in PROFISSIONAIS EM ADMINISTRAÇÃO, Profissionais Administrativos, Recursos Humanos Conselho de Mineração e Siderurgia da Associação Comercial e Empresarial de Minas Gerais Aug 13, 2019 · 5 min read · 4.7K

Ser Gerente Industrial, é tarefa complexa. Cheia de risco, pressão, e estresse. Demanda habilidade, talento, experiência, manutenção da competência, liderança e capacitação para gerir pessoas, processo, tecnologia, projetos e produção .

Ser  Gerente Industrial, é tarefa complexa. Cheia de risco, pressão, e estresse. Demanda habilidade, talento, experiência, manutenção da competência, liderança e capacitação para gerir pessoas, processo, tecnologia, projetos e produção .

Gerente  Industrial uma profissão de Responsabilidade Ampla e Complexa em uma Economia Global, Competitiva e Mutável


A  experiência deve ser  vista como ativo para transferibilidade do know how. É o que tem evoluído a indústria de TI e sensoriamento remoto na Índia  como nenhum outro país. Formamos o “capital humano assertivo” com esta visão” (Dr. Ravi Narayan, indiano, Pedagogo Industrial – (Consultor de Projetos Industriais)
Produção científica é a forma pela qual a universidade ou instituição de pesquisa se faz presente no saber-fazer-poder ciência; é a base para o desenvolvimento e a superação de dependência entre países e entre regiões de um mesmo país; é o veículo para a melhoria da qualidade de vida dos habitantes de um país . Não estamos bem nessa realidade que atrasa o país. Deparamos com uma grande fuga de cérebros. Como o país não valoriza a o cientista brasileiros eles estão indo parra os países desenvolvidos como EUA, França, Alemanha, etc. 

São países que valorizam a produção científica. Investem na ciência, inovação, pesquisas e tecnologias de ponta. Esta inciativa atraem o bom cientista que nesses países encontram o seu ambiente profissional para desenvolverem o potencial científico profissional com todo direito de crescimento. 

Aprendizagem ao longo da vida parece ser a nova porta de entrada para a competitividade individual e coletiva. Mas essa aspiração não deve ser confundida com a ordem de estudos permanentes, o que encorajaria as forças produtivas e de vida das nações a deixar os locais de trabalho em grande número para se sentarem nos bancos de escolas e universidades.

A aprendizagem ao longo da vida envolve, de fato, o retorno regular à formação, de acordo com várias modalidades (cursos curtos ou longos, no local de trabalho ou no exterior, na presença ou distância ...), mas acima de tudo pela capacidade para aprender com suas próprias experiências. De fato, cada um de nós deve desenvolver uma habilidade essencial: saber analisar e mostrar o que nossas diferentes experiências nos ensinaram e como podemos reutilizá-las em nossas experiências futuras. Experiência na prática, é ter cometido erros. Ter visto muitos erros praticados pelas pessoas das empresas e que hoje reúne uma carga de conhecimento proativo, preventivo e senso de urgência que evita a ocorrência de novas falhas e erros, que já viu acontecer na vida humana, social e profissional. 

  O valor está no trabalho em equipe, fazendo com que todos se sintam orgulhosos de participar de determinado projeto. As empresas precisam ensinar e aprender coletivamente, inclusive via coaches de pura prática e menos teorias, CCQ (Circulo de Controle da Qualidade) e universidades corporativas, práticas e atuantes.

O Brasil ocupa o 53º lugar em educação, entre 65 países avaliados (PISA). Mesmo com o programa social que incentivou a matrícula de 98% de crianças entre 6 e 12 anos, 731 mil crianças ainda estão fora da escola (IBGE). O analfabetismo funcional de pessoas entre 15 e 64 anos foi registrado em 28% no ano de 2009 (IBOPE); 34% dos alunos que chegam ao 5º ano de escolarização ainda não conseguem ler (Todos pela Educação); 20% dos jovens que concluem o ensino fundamental, e que moram nas grandes cidades, não dominam o uso da leitura e da escrita (Todos pela Educação). Professores recebem menos que o piso salarial (et. al., na mídia).

Frente aos dados, muitos podem se tornar críticos e até se indagar com questões a respeito dos avanços, concluindo que “se a sociedade muda, a escola só poderia evoluir com ela!”. Talvez o bom senso sugerisse pensarmos dessa forma. Entretanto, podemos notar que a evolução da sociedade, de certo modo, faz com que a escola se adapte para uma vida moderna, mas de maneira defensiva, tardia, sem garantir a elevação do nível da educação.

Logo, agora não mais pelo bom senso e sim pelo costume, a “culpa” tenderia a cair sobre o profissional docente. Dessa forma, os professores se tornam alvos ou ficam no fogo cruzado de muitas esperanças sociais e políticas em crise nos dias atuais. As críticas externas ao sistema educacional cobram dos professores cada vez mais trabalho, como se a educação, sozinha, tivesse que resolver todos os problemas sociais.

Já sabemos que não basta, como se pensou nos anos 1950 e 1960, dotar professores de livros e novos materiais pedagógicos. O fato é que a qualidade da educação está fortemente aliada à qualidade da formação dos professores. Outro fato é que o que o professor pensa sobre o ensino determina o que o professor faz quando ensina.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O desenvolvimento dos professores é uma precondição para o desenvolvimento da escola e, em geral, a experiência demonstra que os docentes são maus executores das ideias dos outros. Nenhuma reforma, inovação ou transformação – como queira chamar – perdura sem o docente.


É preciso abandonar a crença de que as atitudes dos professores só se modificam na medida em que os docentes percebem resultados positivos na aprendizagem dos alunos. Para uma mudança efetiva de crença e de atitude, caberia considerar os professores como sujeitos. Sujeitos que, em atividade profissional, são levados a se envolver em situações formais de aprendizagem.

Mudanças profundas só acontecerão quando a formação dos professores deixar de ser um processo de atualização, feita de cima para baixo, e se converter em um verdadeiro processo de aprendizagem, como um ganho individual e coletivo, e não como uma agressão.

Certamente, os professores não podem ser tomados como atores únicos nesse cenário. Podemos concordar que tal situação também é resultado de pouco engajamento e pressão por parte da população como um todo, que contribui à lentidão. Ainda sem citar o corporativismo das instâncias responsáveis pela gestão – não só do sistema de ensino, mas também das unidades escolares – e também os muitos de nossos contemporâneos que pensam, sem ousar dizer em voz alta, “que se todos fossem instruídos, quem varreria as ruas?”; ou que não veem problema “em dispensar a todos das formações de alto nível, quando os empregos disponíveis não as exigem”.

Enquanto isso, nós continuamos longe de atingir a meta de alfabetizar todas as crianças até os 8 anos de idade e carregando o fardo de um baixo desempenho no IDEB. Com o índice de aprovação na média de 0 a 10, os estudantes brasileiros tiveram a pontuação de 4,6 em 2009. A meta do país é de chegar a 6 em 2022.


Eliane da Costa Bruini
Colaboradora Brasil Escola
Graduada em Pedagogia
Pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo - UNISAL

Hoje o  atual governo Bolosnaro, institui sérias políticas, através de um ministro corajoso e diferenciado como Paulo Guedes e na mesma direção Tarciso Freitas faz um trabalho no ministério da infraestrutura extraordinário, o que sinaliza, não só o otimismo, mas um espaço de decisões e ações de natureza técnica que contribuem com o país de uma forma geral. O Brasil durante 16 anos esteve nas mãos de corruptos, os três últimos presidentes já foram ou estão presos. Lula está preso, por corrupção ainda 10 processos por corrupção. Dilma Rousseff foi  presa nos anos 70 por assalto a banco e terrorismo e o último Michael Temer, foi preso recentemente por corrupção.

OS CUIDADOS COM OS TAIS COACH / COACHING´S ESCOLHIDOS SEM CRITÉRIOS PARA LIDAR COM A COMUNIDADE. ESTE MERCADO ANDA POLUÍDO, E CHEIOS DE COACHES E COACHING´S SEM EXPERIÊNCIA SENDO CONTRATADOS A PESO DE OURO, PARA LIDAR COM COMUNIDADES E ELAS JÁ PERCEBERAM ESTE ERRO GROTESCO DAS EMPRESAS USAR COACHING´S  ALTAMENTE INEXPERIENTES  GUIADAS PELO MODISMO. TEM UM COACHING QUE FOI  ENTREVISTAR O DESEMPENHO DE UM OPERADOR  DE  PÁ CARREGADEIRA SEM SABER DIFERENCIÁ-LA DE UM TRATOR. NÃO CONHECIA NADA DO ECOSSISTEMA OPERACIONAL DO OPERADOR. COMO UMA PESSOA QUE NÃO É DA ÁREA, NÃO TEM CONHECIMENTO E EXPERIÊNCIA PODE RECOMENDAR MELHOR DESEMPENHO? 

Existem exceções é claro! Mas o mercado de coach / coaching, está mais para os picaretas do que gente séria. Coaching nada mais é; e nada menos é,  que o Instrutor de Treinamento antigo até na década de 90. Funcionava na prática. 
O instrutor era o operador de máquinas de antem e hoje é o instrutor de máquinas, sabe o que ensina sem arrodeio. 
Conhece com e sem teorias. Muito diferente do modismo de hoje. Onde um analista tal será coach / coaching de um operador de máquinas. Um coaching/coach, , que não sabe diferenciar um trator de uma escavadeira. Na indústria que não sabem diferenciar uma boma de vácuo de motor estacionário, e aí vai, um trator de uma moto niveladora e quer ser coaching / coache de supervisores e operadores de mineração. Como? i Para fazer o radar, ele tem de entender do meio ambiente operacional das pessoas,das máquinas, condições operacionais e   as variáveis técnicas, recursos de operações local, relacionamento com a produtividade e eficiência, para decifrar onde está o baixo rendimento de um operador, auxiliar, supervisor, etc. 
Ter a experiência, vivência e correlacionar tipo, capacidade de máquinas para fazer a leitura correta de seu rendimento baixo ou alto.Tem coaching de lavar as mãos com sabonete caro, beber vinho e coisas atoas, por ai afora. 

O GOVERNO TEM DE REGULAMENTAR URGENTE, E COM RIGOR A PROFISSÃO COACHING NO BRASIL, E PUNIR OS PICARETAS, QUE SE MULTIPLICAM COM A LUZ DO DIA. VERDADEIROS LUDIBRIADORES. vejam estes links:

https://revistapegn.globo.com/Noticias/noticia/2019/05/coaching-pode-virar-crime-no-brasil.html

https://www.campograndenews.com.br/lado-b/faz-bem/psicologo-que-diz-ser-coaching-e-prega-cura-gay-preocupa-quem-respeita-profissao

https://noticias.r7.com/minas-gerais/mg-no-ar/videos/coaching-e-suspeito-de-estuprar-clientes-em-bh-22082017

https://blog.keeplearning.school/guncast/todo-mundo-agora-e-coach-036

https://pjamilk.com/2016/12/18/coaching-ou-picaretagem/


Rowan Pedro de Araújo - rowanpedro@gmail.com é Membro do Conselho de Mineração e Siderurgia da Acminas - Associação Comercial e Empresarial de Minas - Membro do Conselho de Administração da Costa & Faber