Joao Reganassi en Recursos Humanos, Profesores y educadores, beBee em Português Executivo de Recursos Humanos e Coaching Internacional • JRH consultores associados 1/3/2018 · 1 min de lectura · 2,0K

Prestação de Serviços


Como é nítido a falta de capacitação e formação para as empresas prestadoras de serviços. As microempresas ou empreendedores individuais então, nem se fala.

Não se trata de uma generalização, pois já tive a oportunidade de contratar serviços excelentes, mas o número de problemas aumenta à medida que você começa a contratá-los com maior frequência.

Vejo que planejamento, administração de tempo e recursos, preocupação com qualidade, limpeza são itens sem grande importância para alguns profissionais. Isso, alinhado ao tempo escasso que temos para administrar a prestação de serviço em tempo integral, é um passo para um grande aborrecimento.

Vou contar aqui duas estórias para ilustrar o que estou tentando trazer para discussão. Não citarei nome por uma questão ética, mas tenho certeza que o leitor se identificará com as mesmas.

No primeiro caso, contratei um prestador de serviço para trocar o revestimento de um pequeno banheiro. Quando digo pequeno, é pequeno mesmo. Profissional com referências, preço acessível e proposta de entregar a obra em sete dias úteis. Para minha necessidade, um prazo excelente.

Início da obra agendada para uma segunda-feira as nove horas. Horário de início permitido pelo condomínio e previamente acordado. Cheguei ao local trinta minutos antes do previsto. Não queria que com isso o prestador estivesse no local. Pretendia a penas não me atrasar para recebê-lo.

Para minha surpresa, quando consegui falar com ele uma hora e trinta depois do horário previsto, o mesmo informou que se tratava do rodízio do veículo dele e que estava a caminho. Chegou na obra três horas depois do programado e naquele dia o rendimento foi imensamente inferior ao planejado.

Eu particularmente acreditei que isso já estava dentro do prazo estabelecido. Só que para minha surpresa o mesmo não compareceu no dia seguinte, pois foi tomar vacina contra a febre amarela. Isso sem me comunicar. Só fiquei sabendo do fato quando passei pela obra e não havia ninguém.

Encurtando uma longa estória, no sétimo dia, com menos da metade da obra concluída, pedi que ele recolhesse todos os seus pertences e deixasse a obra. Claro que foi um grande transtorno, mas preferi escolher outro profissional, pois não tinha garantia que o mesmo terminaria a obra em mais três, cinco ou dez dias.

Já no segundo caso, conto a estória dos serviços de um grande banco que tenho conta. Comecei a ter problemas para utilizar o site e após varias tentativa com a central de atendimento, fui orientado a utilizar o aplicativo disponibilizado. Fui informado que era minha mais seguro e eu não teria mais os problemas que estava enfrentando.

Já a algum tempo não consigo mais utilizar o site do banco pela internet e atualmente o aplicativo tem apresentado mais problemas do que eu tinha na época que migrei para o mesmo.

Em contato com minha gerente de relacionamento, após várias reclamações, a mesma me informa que o banco já tem conhecimento e está tomando as providências necessárias.

Eu poderia escrever um artigo imenso só contando essas estórias fantásticas, mas a ideia aqui e parar para pensar e avaliar que opções eu teria para mudar essa realidade. Não importa o lado que você esteja, quer seja cliente ou fornecedor tome todas as providencias cabíveis. Assim você irá ajudar a você mesmo e a todos ao seu redor.

Ficaremos sempre no mesmo lugar se não ousarmos a dar o primeiro passo. Deixe seu comentário, sua experiência e contribua para um mundo melhor.

Joao Reganassi

Coach Executivo e Sócio da JRH consultores associados

joao.reganassi@jrhconsultoresassociados.com

https://jrhca.blogspot.com.br/

Prestação de Serviços