Joelson Madeira en Artistas, Músicos e Atores, Fotos, Escritores Especialista em SEO • Entre Cabelos e Barba 2/7/2016 · 2 min de lectura · 2,0K

A liberdade machuca os que estão livres, mas não querem voar

A liberdade machuca os que estão livres, mas não querem voarValores... Valores... Poderiam ser números, poderiam ser contas, 0 ser problemas e são. São tudo isso e mais um pouco. Em um mundo matemático (problemático), seguimos um padrão, uma linha, regras... Valores podem ser morais, podem ser também sociais, éticos, mas são, antes de tudo, valores. Então, definimos uma linha para todos esses, os quais terminam sempre no mesmo lugar, a convivência em sociedade.

Para que serviriam tantos valores se no fim das contas não fosse para isso? Para que nos empurrariam goela abaixo tantas e tantas regras se não fosse para o bem comum? Talvez, o bem de alguém, de alguns, de poucos, mas a desgraça maior paira sobre a cabeça dos que nada tem. Nada-tem-na-cabeça.
Uma pergunta que sempre me atormenta é: quem definiu o certo e o errado?

Cada peça segue uma linha histórica nesse jogo de perde e ganha. Ganha quem perde menos, o que dá para entender sem muitas dificuldades em um mundo onde poucos tem muito e muitos tem pouco. Fica ainda mais fácil a compreensão quando se entende que há a necessidade de compactar o rebanho, pois um rebanho desunido é ainda mais difícil de ser controlado. Também há a necessidade de transformar esse rebanho já compactado em uma massa única, uniforme... E, sem sombra de dúvidas, transformar esse rebanho em um pastor de seu próprio rebanho. Cada um cuida de si e do coleguinha (gado) ao lado. Se um se desgrudar do rebanho, você traz de volta, não importa a maneira. Só não o deixe lá, pois isso oferece perigo a massa. Faz predadores se aproximarem (o próprio diabo) ...

Vamos lá! Responda rapidamente: quem mais prega sobre liberdade nos dias atuais?
Acertou quem respondeu a comunidade LGBT! (não sei se é a sigla correta)
“Uuuuuuuuuuuuu, para! Agora tu vai dizer que eles são perseguidos porque pregam a liberdade?” - EXATAMENTE!

Imagina que desgraça esse povo todo acostumado com as correntes, com as setas