Joelson Madeira en Estudantes, Professores e Educadores, Escritores Escritor • Entre Cabelos e Barba 23/9/2016 · 5 min de lectura · 1,8K

Por que ainda existe o tabu de namorar uma "mãe solteira"?

Originalmente publicado em: Mãe solteira, a maioria dos homens não aceitam se relacionar

Por que ainda existe o tabu de namorar uma "mãe solteira"?


"Eu não me relaciono com uma mãe solteira". Você já deve ter ouvido isso em algum lugar, ou até mesmo (espero que não), tenha dito. O machismo existe e todos nós, por mais desconstruídos que sejamos, temos um pouco dele. E é justamente por termos consciência disso que não devemos joga-lo para baixo do tapete.


Vou começar dessa forma, espero que você não se ofenda. Primeiro, o machismo existe e está encrustado em nossa sociedade. Sendo nós resultados de um todo, temos por menor que seja um tanto desse mal. Refletindo sobre isso, me percebi machista. Além de todo o resto é claro, eu tinha preconceito em me relacionar com alguém que tinha filhos. Claro, jamais passou pela minha cabeça algo do tipo:


“Não posso me relacionar com uma mãe solteira, porque a responsabilidade é maior” ou: “Não me relaciono com mãe solteira porque não quero criar filho dos outros...” E tantos outros pensamentos que poderiam vir...


Mas meu preconceito, meu machismo era irracional, embora não tinha surgido do nada. Ele veio junto com tantos outros impostos pela sociedade. Repassados de pais para filhos, como uma espécie de herança maldita. Que felizmente temos a opção de quebra-la. Mas para isso, precisamos de um simples fato... Percebe-la!


Você só encontra seus preconceitos quando para e reflete sobre algo. Mas essa consciência não é presente em todas as pessoas, são poucas as que pensam sobre suas atitudes, sobre suas falas, sobre seus gestos... A verdade é que...


Precisamos falar sobre o preconceito com mães solteiras!


Por que ainda existe o tabu de namorar uma "mãe solteira"?

Tudo começou algumas semanas atrás, quando pedi para meus amigos temas para um novo texto, isso em minha rede social. Uma amiga veio então com um assunto que eu nunca havia pensado. E isso rodeou minha cabeça por um bom tempo.


Por que a maioria dos homens, não gostam de se relacionar com mulheres que tenham filhos?
Pensei muito sobre o tema e algumas ideias vieram a cabeça, espero que possa ajudar vocês a solucionar esse problema. Vamos aos fatos...


Machismo velado.


“Lá vem o Joelson de novo com esse tal machismo”. Pense o que quiser, mas que esse negócio está incrustado em nossa espécie. Ahh ele está! Não é só nos homens não, isso afeta a sociedade de modo geral.


Você pode se perguntar: "- Mas se eu não sou machista, e nunca pensei a respeito. Por que eu também tenho preconceito com “mães solteiras”?" (Vocês vão entender as aspas, daqui a pouco).


A resposta é simples: primeiro, você é machista! O machismo é uma construção social da qual você não está imune, a menos que tenha nascido fora desse planeta. Logo, o machismo também se manifesta de forma involuntária. E são nessas formas que agimos sem pensar, causando tanto dano quanto aquele machista que bate no peito e expele "amor" para todos os lados.


Vamos lembrar que por mais inocente que seja nosso pensamento e de que de fato não agimos por mal, podemos sim estar causando dano a alguém. Por isso, quando uma amiga vier e bater no seu ombro e dizer: amigo, você foi machista. Pare e pense antes de se defender. Errar é normal e estamos todos na mesma luta para um mundo mais justo.


Mas se o boy for machista e persistir nisso... Você vai precisar ler isso aqui: 10 sinais de que não vale a pena investir nele


Momento reflexão:


O tapa na cara veio quando um amigo meu revelou em um pub, que estava namorando e que sua namorada tinha um filho. Não demorou muito para as piadinhas idiotas começarem a surgir. Eu, infelizmente também participei da brincadeira de mal gosto.


A verdade é que dentro do que conhecemos esse meu amigo, essas seriam um tipo de piadas que ele faria. Mas eu sei que por mais que tivesse todo um contexto, nada justifica esse tipo de pensamento. Querendo ou não, aquelas piadas infames acenderam ainda mais a minha vontade de tentar entender o porquê disso tudo. E a pergunta que pairava sobre o ar era: Por que simplesmente definimos mulheres que tenham filhos em mães e "mãe solteiras"?


Mãe solteira, porque o termo está sendo usado de forma errada?


Por que ainda existe o tabu de namorar uma "mãe solteira"?

Primeiro vamos esclarecer um fato. Algum tempo surgiu uma discussão nas redes sociais e claro, ela foi trazida para o dia-a-dia. Por que o termo "mãe solteira" vem sendo utilizado a séculos, se mãe não define estado civil? É como se obrigatoriamente uma mãe, para ser mãe (olha como soa na beira do absurdo) precisasse ser casada ou ter no mínimo um relacionamento estável. Não há nem o que discutirmos...


"Não existe mãe solteira. Mãe não é um estado civil."
-Papa Francisco


Surgiu então a expressão mãe solo. A questão é: Mãe é mãe, independente se ela é casada ou solteira. Quando há a necessidade de classificação, já existe aí uma certa descriminação. Ninguém fala que o cara é pai solteiro, ele é apenas pai, por exemplo. Fica a reflexão...


A mudança de termo foi apenas um passo.


A mudança de termo parece insignificante dentro desse universo de horrores. Foi um pequeno passo, mas porém, o início para grandes mudanças. Felizmente, pessoas conscientes estão tomando frente nessa batalha. Não podemos negar, que mesmo assim, existem mulheres que continuam sofrendo do mesmo preconceito. Seja com parceiros, ou em outros aspectos da sociedade. Como por exemplo, na busca de um emprego.


Acredite, ainda existem pessoas que não aceitariam uma “mãe solteira” em suas casas, em suas empresas... Como o caso daquela empregada doméstica que foi demitida  justamente por isso .

Veja o caso: http://www.pragmatismopolitico.com.br/


“Não é por preconceito, mas eu também não aceitaria uma mulher solteira. Hoje o mundo tá perdido. Confiar em homem já é complicado. Com uma estranha do lado, piorou. Mas tem mulher que concorda… então boa sorte”,

(Essa é a declaração de uma internauta em um dos portais que divulgou essa matéria.)


Ficou claro que o termo "mãe solteira" é ligado diretamente à promiscuidade. Isso mesmo, em pleno século XXI, pessoas ainda julgam as outras por coisas estritamente banais. Indiferente se você concorda ou não com sexo casual, você não tem direito algum de descriminar alguém por isso.


Promiscuidade? Vamos lembrar que um filho é feito a dois e não há como você obrigar a outra pessoa a permanecer. Indiferente disso, também não é sua obrigação. Filho a muito deixou de ser motivo para casamentos dilacerantes. Além do mais, a justiça está aí para que cada um cumpra seus deveres legais, apesar de que sabemos que a formação de uma criança não depende apenas disso...


Por que os homens com filhos são aceitos?


Por que ainda existe o tabu de namorar uma "mãe solteira"?

Baseado na experiência pessoal de alguns amigos, pude perceber que a grande maioria das mulheres aceitam tranquilamente homens que tenham filhos. Talvez esse papel de mãe que tem em volta das mulheres deixe tudo isso mais fácil, elas olham de suas perspectivas maternas.


Mas resumir isso a aceitação das mulheres seria um tanto quanto hipócrita. A verdade que assim como na maioria das coisas, elas são impostas a aceitarem, na mais absoluta naturalidade. Enquanto os homens veem tudo isso de modo diferente.


Mãe solteira é pai também.


A verdade é que a maioria das mães, são pais também. É incrível o desleixo da maioria dos homens quando o assunto é filho. Quando falamos de mães que tem que criar seus filhos sozinhas, isso é ainda mais relevante. Os pais simplesmente somem no mundo. Alguns se quer dão pensão alimentícia...


Esse assunto é bem amplo e eu realmente quero abordar isso em um outro texto. Mas com certeza, precisamos falar sobre o abandono dos pais. Isso é questão de saúde pública. Enquanto isso, vamos exaltar a grandeza dessas mães que encaram tudo sozinhas. E como é difícil! Além de estar tratando de uma vida, da formação de um ser, elas aguentam todo o preconceito nas costas. Sem deixar que isso respingue em seus amados filhos. Essas mães merecem todo o nosso carinho e nosso reconhecimento. Porque são guerreiras!


Mas por que os homens têm tanto preconceito?


Além da relação do termo "mãe solteira" = promiscuidade, coisa que faz com que os homens não assumam essas mulheres como suas parceiras, o que mais teria por trás desse preconceito?


"Em primeiro lugar eles fogem por não saberem exatamente o tamanho da responsabilidade que eles terão que arcar no futuro em relação aos filhos dela. Em segundo lugar por acharem que as parceiras não terão tanta disponibilidade e liberdade para viver um relacionamento amoroso com eles". Ela complementa: "Normalmente para os homens que não têm filhos é mais difícil compreender o lado da mulher e aceitá-la com as crianças, sem enxergar nisso um problema" – Miriam Barros, psicóloga

Fonte: www.vilamulher.com.br


Além disso eu destacaria outros dois fatores. Primeiro, o fato de assumir a “cria” de outro. Vamos deixar o lado racional e pensar como se estivéssemos falando apenas de procriação da espécie. É realmente difícil para o homem aceitar uma outra cria. Mas como não somos esses animais irracionais, esse fator estaria ligado ao subconsciente.


O segundo fator seriam as chacotas. O homem que cria o filho do outro, é tratado como o idiota, o bobalhão, o burro. Apenas por estar cumprindo seu papel... Tadinho por sofrer esse preconceito né? Ah vá! Junte todos esses fatores e temos um puta preconceito!


A verdade é que nada justifica. Mas veja o meu caso, sem nunca ter pensado a respeito eu tinha um baita de um preconceito. Bom talvez esteja aí uma das respostas, uma das soluções...

Leia também: Homens interessantes são poucos


O que podemos fazer para acabar com isso?


Por que ainda existe o tabu de namorar uma "mãe solteira"?

Como falei acima, primeiro, devemos debater mais a respeito. O preconceito com essas mulheres existe e não podemos ignora-lo. Pessoas estão sofrendo, estão sendo machucadas. Tendo em vista isso, precisamos de campanhas publicas destacando esse problema. Para que o assunto tome as ruas. As pessoas precisam refletir sobre suas ações.


No papel é tudo muito bonito e até parece fácil. As pessoas continuam com seus preconceitos e o pior, continuam propagando-os. Continuam repassando de gerações para gerações. Precisamos quebrar essa corrente. Somos sim responsáveis por um mundo melhor. “- Mas como posso fazer isso Joelson?”


Parte de nós essa mudança que queremos no mundo. No meu caso, por exemplo, vou tentar não fazer mais aqueles tipos de piadas para meu amigo. Assim como tentarei trazer alguns debates com eles sobre isso. É pouco, eu sei, mas é a minha parte.


A resposta, a solução é que:

Precisamos falar sobre o MACHISMO!



O ECB quer ouvir você! Deixe sua experiencia, sua opinião, nos comentários. Queremos mostrar que você não está sozinho(a) e quem sabe, te ajudar.



Luizia Patrício 30/9/2016 · #5

@Joelson, eu agradeço pelo retorno.
Ja conheço seu blog. Muiro bom irei sim me conectar . Conheci através da @@Patrícia Guollo,
Imaginei isto , obrigada por reconhecer e se dispor a deixar da maneira a qual eles iram ver que realmente são mulheres que são mãe. E não mães solteiras, e se solteiras por opção de" escolha ." De algumas das partes não é mesmo. Grata . Obrigada por me seguir no Instagram

+2 +2
Joelson Madeira 29/9/2016 · #4

#3 Muito bom, @Luizia Patrício! Fiquei muito feliz pela sua contribuição. Em relação a última frase, ela foi colocada ali de maneira técnica que posso até te explicar melhor. Mas vendo por esse lado, vou altera-la. Com certeza são nos pequenos gestos e nos detalhes que fazemos a diferença. Muito obrigado! E fica aqui o convite para você conhecer o meu blog, Entrecabelosebarba.com.br

+2 +2
Luizia Patrício 29/9/2016 · #3

@Joelson Madeira, seu texto é exelente, tirando que se você me permite vou pontuar algo que chamou minha atenção. Você realmente defendeu toda a dor e constrangimento e... que uma mãe com filhos passa ótimo,ainda assim finalizou o texto usando o termo que você ja havia mudado. Mãe solteira.
Por isso peço a com toda gentileza que reveja isso, afinal é exame este tabu que você quer colaborar para ser quebrado certo? ! Tem homens que perdem a oportunidade de suas vidas de serem completos, como também tem mães ! Por que o tabu é tão forte que ate mesmo elas tem. E avaliam a pessoa e por um ponto no i,digamos assim elas optam por continuarem sendo mãe sem um parceiro, namorado, cônjuge e assim por diante. Ja vi casos de mães se entregarem a um relacionamento gay,por ter mais compreensão da parceira. Algo Também que preciso dizer quantas mães, vivem apricionadas em um relacionamento frustrado cheio de fantasmas, por não terem a coragem de enfrntar tudo isso , ate mesmo com elas mesmo a alto aceitação. Este assunto é bem polêmico com toda certeza! Porque existem vários casos de mães , oque levaram elas a serem mães e pais de seus filhos. Minha mãe foi meu Pai , e que pai . Antes que ela tivesse a coragem de enfrentar isto,ela sofreu 13 anos , um casamento de desmoralização, agressões físicas e psicológicas. E ainda exitem mulheres sofrendo para manter um pai para seus filhos infelizmente as pessoas pensam mais em si,do que entte si. E muitas ainda se permitem 😔
Agredito que seja esta minha opinião ate aqui

+1 +1
Joelson Madeira 23/9/2016 · #2

#1 concordo com você, @Jorge Matias! Muito obrigado pelo comentário.

0
Jorge Matias 23/9/2016 · #1

Concordo que preconceito e o maxismo realmente contribuam para construir esse tabu, no entanto o que eu mais observo nos meus círculos de amigos, é o medo da responsabilidade que pode haver em se relacionar com uma pessoa que já tem filhos. Uma tremenda bobagem na minha opinião… tem caras que nem sequer tentam e perdem a oportunidade de ter uma experiência incrível.

+1 +1