Kamila S. Designer in Design Gráfico, Design Publicitário, Design Editorial Design Coordinator • SUP Brandão Jul 16, 2019 · 10 min read · ~100

As consequências de ser uma pessoa simpática no mundo corporativo.

As consequências de ser uma pessoa simpática no mundo corporativo.

É fácil dizer que não se importa com o que os outros pensam, mas a verdade é que tanto na vida pessoal, como profissional os relacionamentos são extremamente importantes.

Dizem que a vida das pessoas simpáticas é infinitamente mais fácil do que a das pessoas antissociais, que ser simpático não tem desvantagens, que uma pessoa simpática é querida em todos os lugares, bem aceita pela sociedade, faz amizades fáceis, se relaciona bem, nunca está sozinha, sempre tem alguém que lembre dela e por aí vai..

Isso pode ser até verdade, mas não é sempre assim. Quero, neste texto, dar ênfase ao lado oposto das vantagens de ser uma pessoa simpática, ou seja, as desvantagens da simpatia.

Por incrível que pareça, a simpatia causa desconforto em algumas pessoas, pode causar tanto incômodo como a beleza e a felicidade. Falo mais sobre isso a partir do tópico ´´Desvantagens de ser uma pessoa simpática.``

Uma pessoa simpática é aquela que trata as pessoas bem, com educação, que conquista as pessoas com seu sorriso amigo, que não escolhe a quem dizer um bom dia; é alguém que mesmo sabendo que hoje em dia não pode confiar em todos e nem todos falarão com ela com respeito, mas não diferencia ninguém.


Antes de continuar este artigo, gostaria de esclarecer que não sou psicóloga, nem terapeuta, nem costumo estudar o comportamento humano. O que me inspirou a escrever esse texto foi o fato de me sentir incomodada quando pessoas que são realmente legais e simpáticas por natureza, costumam ser julgadas e mal interpretadas. Inclusive eu mesmo que, apesar de ser simpática, muitas vezes fui mal interpretada ou excluída simplesmente por ser quem eu sou. Isto já me levou a fazer um grande esforço para ser monotonamente apática, mas hoje em dia busco ser sempre cordial, que não é a mesma coisa que simpático.

Conversando com algumas pessoas que me identifico, principalmente mulheres, percebi que não estou sozinha. Muitas pessoas sofrem discriminação por serem simpáticas.

Poucas coisas são mais complicadas para um ser humano do que processar o conceito de que outras pessoas realmente não gostam dele. Talvez seja por conta da sociedade narcisista em que vivemos, que tende a valorizar tanto o “eu” que torna praticamente absurdo que alguém não simpatize com uma pessoa tão sensacional quanto você (seja “você” quem for).

Este fato já me intriga há algum tempo então resolvi fazer uma pesquisa mais aprofundada sobre o assunto.

...

A princípio é necessário esclarecer a diferença entre estes 4 comportamentos: antipatia, apatia, simpatia e empatia.

Antipatia:


Os antipáticos são, em sua maioria, pessoas egoístas e egocêntricas, que não conseguem de forma alguma olhar para o outro e se possível ainda tenta prejudicá-lo.

Mas isto não é uma regra. Uma pessoa pode ser antipática por uma série de razões. Depende muito da sua história pessoal. Por exemplo: Alguém pode ser muito antipático a advogados porque um dia perdeu uma ação na justiça. Outra pode ser antipática com colegas de trabalho, porque sempre foi trapaceado no trabalho. Alguém pode parecer antipático por não gostar de conversar, mas as vezes essa pessoa, simplesmente, é muito tímida.

No mundo corporativo costumam não estar dispostos a trabalhar em equipe. Atitudes como não cumprimentar os outros, não ser humilde, não oferecer ajuda, fazer fofoca e não mostrar o seu lado amigo afasta as pessoas e desenvolve um mau convívio com e entre os colaboradores.

Apatia:

Esse é o comportamento clássico das pessoas que são indiferentes, o que considero um sentimento terrível e gosto sempre de complementar que indiferença é o oposto do amor, e não o ódio como muitos pensam.

Infelizmente dentro desse grupo existem muitas pessoas com transtornos psiquiátricos e por conta deles tem um comportamento frio na maioria das vezes.

Apesar de tudo, ser apático é menos prejudicial do que ser antipático, já que a pessoa fica isolada no seu mundo, sem causar nada nos outros.

No mundo corporativo os apáticos podem ter dificuldades com trabalhos que exijam atenção aos detalhes. Para o aprendizado, geralmente necessitam ser motivados e orientados em um ambiente estruturado, de preferência engajando o corpo em atividades práticas. Por serem pouco ambiciosos e estressados, não criam disputas desnecessárias em ambientes de trabalho.

Simpatia:

Esse já é um comportamento bem melhor, pois quem tem simpatia sabe olhar para a necessidade do outro, porém, existe um detalhe importantíssimo, ela o faz com certo distanciamento. É tipo: “Eu cá, você lá”.

O simpático sabe o que a outra pessoa precisa, tenta fazer algo de positivo em prol dela, mas não passa muito disso. Gosta muito de conversar e ser legal, até gosta de ajudar as pessoas, mas não se envolve tanto, os afetos ficam totalmente de fora!

No mundo corporativo, ao ser simpático e ao ser capaz de criar uma boa relação com as pessoas que o rodeiam e que conectam diariamente consigo, certamente deixa uma boa imagem junto dessas mesmas pessoas. Será mais fácil poder recorrer a elas ou até contar com o apoio dessas mesmas pessoas, se necessário. Mas, há mesmo alguns estudos que comprovam que bons comportamentos (como a simpatia e a boa educação) podem mesmo ajudá-lo a progredir na carreira.


Travis Bradberry, co-autor do best seller “Inteligência Emocional 2.0” e presidente da TalentSmart, afirma em um artigo que vários comportamentos associados a simpatia, como humildade e atitude positiva, são inerentes à pessoas com alta inteligência emocional.

Empatia:

Essa é a mais nobre das atitudes. Uma pessoa empática é aquela que sente a dor do outro como se fosse nela própria e faz de tudo para ajudar, para conseguir resolver o que quer que seja e que esteja ao seu alcance e, se não tiver sabedoria, pode até chegar ao ponto de se prejudicar para ajudar a outra pessoa.

Percebe como é bem diferente?

De forma simples, a empatia é a capacidade de nos colocarmos no lugar de alguém, de imaginarmos o que aquela pessoa está sentindo e ter essa capacidade dentro de um ambiente organizacional é uma habilidade riquíssima e que deveria ser cada vez mais valorizada pelos gestores.



No mundo corporativo os empáticos reconhecem as emoções nos outros, são capazes de colocar-se aos pés da outra pessoa e compreender a perspectiva da outra pessoa da realidade. Pensam além de si mesmo e de suas próprias preocupações. Essa frase de Obama define exatamente a aplicação da empatia no ambiente profissional:

A empatia faz com que os profissionais sejam mais proativos no auxílio do próximo e, dessa forma, com colaboração, o ambiente e as relações profissionais serão bem mais produtivos. Por isso trabalham muito bem em equipe.

A empatia não é apenas uma competência profissional desejada, mas uma questão de sobrevivência no ambiente corporativo. É graças a esta habilidade que os colaboradores conseguem se adequar à cultura da empresa e entender suas necessidades.

A empatia na profissão Design

No design, é uma soft skill crucial, pois o designer precisa tentar sentir a dor do usuário para trazer uma solução adequada (ao invés de gerar mais dor, que é o que acontece quando não se tem as qualidade que falamos até aqui).

Sempre se deve criar algo do ponto de vista do outro e não de si próprio, a fim de melhorar a qualidade de vida e resolver problemas reais, e não o que julgamos como problema por nós mesmos. Metodologias como Design Thinking giram em torno de um processo que busca desenvolver empatia e combiná-la a soluções práticas.

Da mesma forma que é importante ter empatia com o usuário, a empatia é importante para lidar com a equipe. O bom profissional deve se colocar no lugar de seus colegas de trabalho e de outras áreas (programadores, departamento comercial, marketing, entre outros) para criar algo que seja executável para eles. Você deve sempre pensar nos projetos como algo que atinja os objetivos de outros setores da empresa, e não apenas na peça de design. Além disso, os projetos não podem ser somente excelentes no ponto de vista técnico, devem ser lucrativos. Aqui entra a empatia com a empresa e seus objetivos de crescimento e lucratividade.

...

Vivemos numa sociedade onde o número de pessoas empáticas verdadeiramente é muito reduzido. Existem muitos simpáticos; um número bem maior de apáticos e talvez os antipáticos sejam a maioria.

Psicologicamente falando, existe uma espécie de grau de elevação de consciência dessa maneira:

Antipatia < Apatia < Simpatia < Empatia


A empatia está no topo, enquanto a antipatia está na pior postura.

Quero deixar você ciente de que todos nós, absolutamente todos nós, já nos comportamos das 4 maneiras em algum momento da vida. O que acontece é que aqueles que buscam se aperfeiçoar, melhorar o jeito de ser, vencer os conflitos internos, se aprofundar na espiritualidade, etc, pouco a pouco vão se tornando empáticos.

Desvantagens de ser uma pessoa simpática:

Ser legal caiu tanto de moda que se tornou ligeiramente irritante.

Uma pessoa simpática demais pode despertar a desconfiança dos outros. Alguém que sempre está disposto a ajudar, está sempre com sorriso no rosto. E pode dar margem às pessoas pensarem: ´´Só pode ser falsa``, ou pensar que é interesseira, dissimulada, etc.

Afinal, ninguém é simpático e legal o tempo todo e pessoas falsas, geralmente são simpáticas. Certo? Errado!!!

A verdade é que não podemos generalizar. Tem pessoas que, por sua natureza, gostam de ser simpáticas, preferem fazer amizade e procuram sempre enxergar o que há de melhor nas pessoas do que ficar reparando nos seus problemas.

“Toda a unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar”

A frase acima é atribuída a Nelson Rodrigues, o escritor brasileiro que escreveu muitas crônicas brasileiras.

Nelson Rodrigues tem razão, mas nem sempre. Há casos em que a unanimidade não é burra, ou talvez a unanimidade não seja unânime.

Devemos ter cuidado para não generalizar, nem sermos preconceituosos em relação a pessoas simpáticas. E nem a pessoas antipáticas, porque muitas das vezes a antipatia está relacionada com a timidez. É preciso que sejamos cuidadosos para não sermos draconianos em nossa argumentação.

E digo mais: Existem pesquisas que na verdade falam exatamente o oposto. Que a maioria das pessoas espontâneas e transparentes costumam ser simpáticas, e pessoas antipáticas normalmente tem medo de mostrar suas fraquezas, são inseguras e até mesmo maquiavélicas.

Outras desvantagens que uma pessoa simpática pode passar:

  • Pode parecer carência: Há varias praticas comportamentais que podem identificar uma pessoa com problema de carência afetiva, a simpatia pode fazer parte do quadro ou não, depende. Nem sempre uma pessoa atenciosa é carente e pode até acontecer de uma pessoa carente ser agressiva.
  • Fácil de conquistar (principalmente mulheres): Mulheres simpáticas podem passar a imagem de ser ´´fácil``. Infelizmente isso acontece muito, acho que é um problema de moral e pessoal ou até cultural.
  • Não confiáveis (principalmente homens): Homens simpáticos podem passar a imagem de serem ´´mulherengos``.
  • Ser convencido: Os convencidos normalmente deixam suas opiniões serem conhecidas, isso pode ser confundido com simpatia.
  • Desperta a Inveja e o ciúme: Porque tem pessoas que não são do jeito que gostaria de ser e aí vê na outra pessoa que consegue a atenção dos outros, como ´´afronta``, entendeu? Se não possui a mesma simpatia que a outra pessoa tem, passa a odiá-la. Como experiência própria posso afirmar que isso acontece muito entre as mulheres, a simpatia pode incomodar tanto como a beleza.
  • Atrai aproveitadores: Tem quem queira explorar os simpáticos também, por achar que simpatia é um ´´remédio`` contra a má vontade de não ajudar. Na minha experiência, como designer, percebo que muitas pessoas confundem a minha simpatia e vontade de ajudar com ´´fazer serviços grátis``. Isso é um grande problema.

A simpatia atrai simpatia.



Por um período da minha vida, sempre achei que sendo uma pessoa simpática, poderia conquistar muita coisa em minha vida: bons amigos, uma boa rede de contatos na vida profissional, boas conexões no geral. Além do mais, quem não gosta de uma pessoa sempre sorridente, que sempre tem algo legal para dizer? Levou um tempo e alguns ´´chacoalhoes`` para entender que a simpatia, algumas vezes, poderia me afastar das pessoas.

Explico:

Basicamente, simpatia é a capacidade de “compartilhar” um sentimento de uma distância segura. É ser expectador das emoções alheias. No simpático há claramente uma tentativa de melhorar a situação, mas não existe uma conexão entre as pessoas, porque o simpático se coloca na posição de plateia, criando distanciamento. Por esse motivo é tão fácil ser simpático com todo mundo, já que nenhuma relação de simpatia exige grandes esforços.

Não quero mais ser essa pessoa. Já passei da época que “tentar agradar todo mundo” era um foco e que o número de amigos no Facebook era diretamente proporcional a minha felicidade. Hoje quero substituir a simpatia por um outro conceito: o de empatia.

Para isso, é necessário que busquemos alguma coisa dentro de nós mesmos, que seja similar ao que a outra parte está sentindo. Não pode haver julgamentos (a parte mais difícil, na minha opinião), pois é preciso criar um ambiente de sinceridade e confiança que transmita a mensagem de “Você não está sozinho”. Ser empático é uma escolha extremamente difícil de se fazer porque é uma escolha vulnerável; para nos conectarmos com o outro, é preciso que eu exponha uma parte de mim que sabe como você se sente.

No grau da elevação da consciência do comportamento, eu estou na fase da simpatia, tentando chegar à fase da empatia. Ser simpática para mim, acontece de forma bastante natural, não preciso fazer nenhum esforço para ser simpática; não é falsidade, é espontaneidade. Essa característica não muda o meu ser, é genuíno.

Por causa das desvantagens da simpatia citadas acima que fui percebendo e sofrendo ao longo do tempo, já tentei deixar de ser simpática para ser apática. Só depois de muita reflexão, percebi que estava cometendo um grande erro. Se tenho que gastar esforços para ser outra pessoa, que eu gaste esforços tentando ser empática, e não apática.

Ser simpático não é ser falso. Tudo depende da intenção. Se você for simpático propositadamente para ter algo em troca, isso não é simpatia, é falsidade.

Não existe receita de bolo; realmente existem pessoas extremamente simpáticas e ponto.

Claro que diversos traços de simpatia podem ser “aprendidos”, como tantas outras funções, através de treinamento. E começa com um exercício bem simples: o conhecimento.

O Impacto da simpatia para as empresas.

Para todos os segmentos da economia, esta peculiaridade é uma grande oportunidade. O desafio é transpor este comportamento para o ambiente profissional. Por mais que disponibilizemos treinamentos técnicos, a simpatia não é fruto de uma preparação mecânica, é atitude, uma genuína preocupação com o outro. Então, como transformar a hospitalidade inerente ao nosso povo em um atendimento profissional, acolhedor, impecável e surpreendente?

Temos que ser mais tolerantes com o próximo e entender que as pessoas são diferentes e devemos aprender a lidar com isso sem julgar…tarefa difícil sim…mais não impossível!

Na minha opinião, em um ambiente de trabalho, é preciso que os colaboradores permitam que essa virtude aflore. E não o contrário. Temos que criar laços com nossas equipes, vínculos emocionais, obviamente respeitando os devidos limites de respeito do profissionalismo, para que cada um deles dê o seu melhor.

Vou citar abaixo os benefícios que a simpatia de um ou mais funcionários podem trazer e mudar o clima organizacional, bem como os resultados empresariais.

  • Melhoram o clima organizacional
  • Contamina o ambiente de trabalho
  • Aumentam a produtividade
  • Impacta nos resultados

Pessoas apáticas deixam os outros desmotivados, o que faz com que todo o ambiente seja impactado negativamente por esta desmotivação. A partir do momento que um ou mais colaboradores encontram-se motivados, simpáticos e felizes com o próximo, o clima organizacional é diretamente impactado, pois os outros funcionários passam a sentir as mudanças positivas que estão ocorrendo.

...

Sou muito simpática, adoro fazer palhaçadas, rir muito com meus amigos e familiares , que se divertem muito comigo, também gosto de pessoas simpáticas e adoro ser feliz, não há mal nisto.

Muitas vezes já me senti mal por ser uma pessoa simpática, hoje tenho orgulho disso. Não há mal em sentir-se convencido; sinal de que a pessoa se gosta, se adora, o que á muito saudável.

Hoje, prefiro enxergar as coisas dessa forma: Se você é simpático e as pessoas acham que é outra coisa, o problema não é com você, o problema está nas pessoas.

Acredito que todos podemos nos tornar pessoas melhores, especialmente pelo autoconhecimento.

Podemos refletir, por exemplo, porque desgostamos tanto desta ou daquela pessoa. Encontrar essas razões nos trará mais sabedoria e, quem sabe, nos fará mudar de ideia e avançarmos em termos pessoais e profissionais também, já que os relacionamentos têm completa relação no ambiente de trabalho, carreira profissional e mundo corporativo.

Mas mais do que as dúvidas, mais do que razões para me repensar enquanto profissional, mais do que verdades ainda desconhecidas sobre mim mesmo, dessa profunda experiência de autoconhecimento, eu consegui tirar uma grande certeza:

A SIMPATIA “VESTE BEM COM QUALQUER ROUPA”!

A simpatia é como a educação, fica sempre bem! Lembre-se que, num mercado tão competitivo como o atual, tudo conta, até mesmo a simpatia.

Ninguém lhe pede que se torne um bajulador. Apenas que seja simpático com os que o rodeiam e contribua para um bom ambiente de trabalho.

Ser gentil fica muito mais fácil quando você entende o outro. Isso torna sua vida e a vida de quem convive com você muito mais leve.

Demonstrar seu comprometimento e preocupação com o bem-estar de todos a sua volta, fará com que a semente logo se frutifique, resultando em pessoas mais motivadas e engajadas. O despertar da alma hospitaleira começa com um simples bom dia e o coração aberto a notar as sutilezas das necessidades de cada pessoa que passa por nós. Pense nisso!

COMPARTILHE ❤

Se você acha que esse conteúdo é útil, compartilhe ele nas suas redes sociais e ajude a continuar publicando conteúdo relevante e gratuito.