Lucila Egydio en Turista Profissional, Hotelaria, Gastronomia e Turismo, Hostelería y Turismo Consultora Autônoma • Raízes Desenvolvimento Sustentável 27/9/2016 · 2 min de lectura · 1,7K

LUSO AFINIDADE - Nossa língua, nosso elo, nossa identidade.

Por Lucila Egydio e Jussara Rocha

(originalmente publicado no site da raízes desenvolvimento Sustentável no link: http://raizesds.com.br/pt/desenvolvimento-sustentavel-lusoafinidade/)


LUSO AFINIDADE - Nossa língua, nosso elo, nossa identidade.


Isolados em uma América que habla español, nós brasileiros tendemos a não lembrar que há no mundo outros lugares onde nossa língua é falada em decorrência da mesma colonização. Em termos históricos, o processo de formação do Império Colonial Português reuniu motivos de ordem econômica, político-estratégica e também um forte intuito de evangelização. Mas não se pode negar que havia também a uma acentuada curiosidade cultural e científica. 

Como resultado desse longo processo histórico, vivemos na atualidade uma identidade cultural partilhada por oito países, cujo elo é o passado vivido em comum e uma língua que foi sendo enriquecida nessa diversidade, mas que se reconhece como una. Em oito países - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste – e regiões (Goa, Damão e Diu, na Índia, e Macau, na China), uma comunidade de cerca de duzentos e quarenta milhões de pessoas fazem do idioma português uma das línguas mais faladas do mundo (ocupa o oitavo lugar!).

Esse processo deu origem ao conceito de “Lusofonia” ou de “Países Lusófonos”, formados pelo conjunto das identidades culturais existentes nestes países, esparramados em quatro continentes. As peculiaridades ficam por conta de, por  estar presente em um vasto território, mas de maneira descontínua, a língua portuguesa  ter herdado nuances consideráveis na gramática, pronúncia e vocabulário em cada local.

Mas viemos aqui para falar do que nos une, uma revelação trazida pela experiência da Raízes em Cabo Verde. Estar em outro país com raízes comuns nos mostra o quanto um processo histórico e de trajetórias parecidas nos favorece estar inseridos nesse universo.  A ancestralidade afro-lusitana comum traz de imediato uma sensação de reconhecimento e de familiaridade, que se evidencia por termos o mesmo porte, jeito, trato, feições, mescla de cores e tons de pele.

Este el