Luis Garcia en Engenheiros e Técnicos, Profissionais Administrativos, Comerciantes e Vendedores Diretor Comercial - Corretor de Seguros • Royalty Insurance Corretora de Seguros 17/10/2016 · 3 min de lectura · 4,0K

Carta aberta de uma funcionária ao CEO

Carta aberta de uma funcionária ao CEO

Talvez uma bomba... ou quem sabe... uma oportunidade!

Já imaginou sua empresa recebendo uma carta aberta em rede social, endereçada a um dos diretores executivos da sua companhia?

Essa é a carta escrita recentemente por uma funcionaria ao CEO de uma empresa alimentícia.

Você pode ler a matéria aqui.

E aqui está a carta escrita pela funcionaria (inglês).

Muitas empresas ficariam desacreditadas e com toda certeza no primeiro horário da manhã seguinte providenciariam uma carta de demissão por esse "insulto". Mas, e se essa carta fosse utilizada para entender a real situação e em que acreditam os funcionários?

Será que a empresa fez tudo que estava ao alcance para contribuir com  seus colaboradores? Mas, se  não fez, será que eles entendem o porque de não ter ocorrido tal investimento? Porque a situação chegaria a esse ponto de extremo?

A empresa deve sempre ter como estratégia, acima do lucro, o bem estar de seus colaboradores. São eles quem irão atender seus clientes, resolver os problemas e acima de tudo, darão a "cara a tapa" para proteger sua imagem.

Se os funcionários não estiverem 100%, sua empresa nunca atingirá a potência total, e se isso não acontecer, você está no caminho errado.


Carta aberta de uma funcionária ao CEO


As empresas muitas vezes invertem a culpa dos problemas quando não  querem ver a realidade causada pela sua falta de responsabilidade.


Rápido e prático

A forma mais rápida de se resolver um problema: "Corte pela raiz!"

Demitir um funcionário é arrancar uma das "plantas secas" que estão morrendo em seu jardim. É rápido, prático e "indolor". Mas, sempre surgirão novas plantas doentes, as quais você irá sacrificar ao invés de socorrer, e deixarão de tornarem-se grandes árvores frutíferas.


Carta aberta de uma funcionária ao CEO

Saiba aproveitar as sementes para que essas tornem-se produtivas ao máximo  possível e futuramente lhe gerem "frutos" e "sombra fresca".


Mas e se o problema for "o solo"?


Imagine que o "solo" do seu "jardim" está em falta de nutrientes, ou que uma praga está pouco a pouco dominando tudo. Você simplesmente está arrancando as plantas uma a uma, sem se dar conta do tamanho do problema real.

No fim, você terá um grande terreno morto, o qual precisará gastar tempo e dinheiro para tentar recuperar o pouco que restar.

A raiz normalmente não é demissão, pois não soluciona a fonte do problema. A solução é avaliar tudo o que procede ou não no fato ocorrido e depois solucionar ou buscar minimizar a real situação.

Um caso que me chamou a atenção recentemente, foi um cliente que reclamou do preço de um bistrô em NY. O dono da empresa esclareceu e mostrou para todos o total respeito por seus clientes e por seus funcionários.


Esclareceu que o problema não estava no "tamanho" do lucro, mas sim no fato de possuírem gastos e investimentos justos, que se não levados em consideração tornarão a empresa algo inviável. 

O importante é você saber onde mora o problema antes de tomar "falsas providencias." 


"Então a culpa não é do capitão que o barco afunda, mas do passageiro que se deixa afogar?"


Acho incrível que as pessoas sugiram que os funcionários devam ficar calados mediante falta de possibilidades na carreira.


"O funcionário já estava atolado em dividas, isso não é responsabilidade da empresa."


Que tal alegar que a empresa não possa colaborar com um empréstimo consignado junto a um banco parceiro, incluindo um gerente que possa orientar seus funcionários em suas fianças pessoais?

Seria realmente um absurdo acreditar que isso poderia ser aplicado sem nenhum custo, mas incrivelmente, isso existe. Se o funcionário tem conta ativa em um banco privado ou publico, ele pode e deve ser assessorado pelo gerente da instituição em suas fianças. O banco está lá para isso. Mas acreditamos vilmente que seria muito complexo a empresa divulgar essa informação.


"O mundo não está perdido por conta das pessoas que fazem o errado, mas sim pelas que vêem acontecer e calam-se."


Nessa situação apresentada, se a carta não fosse aberta ao público, será que a empresa não teria demitido a funcionaria da mesma forma?

As pessoas ficariam simplesmente sem jamais saber o que realmente aconteceu "por trás das cortinas".

Não existe um canal de comunicação que a funcionaria poderia ter sido acolhida? Se sim, esse canal é confiável?


"O funcionário quando contratado, sabe do salario e benefícios concedidos. Se não está contente, que saia fora"


Esse é um dos comentário que mostram o quão vulneráveis estão os trabalhadores a exploração das grandes empresas. O que mais assusta, é o quanto as pessoas se conformam com isso.

Em vários países, milhares de trabalhadores são explorados diariamente com salários miseráveis, que mal sustentam suas famílias. Mas, já que estão sabendo que não terão qualquer benefícios e seus salários serão algo próximo ao valor minimo de sobrevivência, praticamente um tipo de esmola, está tudo bem?


Carta aberta de uma funcionária ao CEO


"Então o problema não é do capitão que deixa o barco afundar, mas sim dos passageiros sem bote que não sabem nadar?"


Claro que isso foi um exemplo bem trágico e mostrando a situação em um âmbito muito maior, mas não foge da realidade atual em muitos lugares no mundo, inclusive no Brasil.

Pequenas, médias ou grandes empresas, sempre estarão sujeitas a riscos de imagem. O que diferencia as verdadeiras corporações das empresas de fachada, é a transparência e eficiência que cada uma delas exerce para defender sua índole no mercado e o quanto se mostram justas com seus consumidores e colaboradores.


Solução


A solução sempre foi e sempre será: analisar os problemas, verificar soluções viáveis e montar um plano de gerenciamento de crises.


Crises podem surgir de várias formas, inclusive financeiras e sociais. As empresas devem estar preparadas para resolver problemas gerados a seus cliente ou funcionários, a resposta rápida e correta a essas situações pode fazer toda a diferença em um negócio de sucesso e uma industria falida.


E você? Como agiria nessa situação?



Administrar e solucionar os conflitos internos demanda uma análise cuidadosa mas, ao mesmo tempo, rápida. É importantíssimo resolver esses problemas o quanto antes para evitar contaminar o ambiente laboral como um todo.

+1 +1