Luiz Carioca en Lifestyle, beBee em Português, Professores e Educadores 23/11/2016 · 2 min de lectura · 3,6K

Um dia de anjo

Um dia de anjo

Ele acordou antes do despertador tocar, mas mesmo assim, ainda sentia sono. Levantou sonolento e caminhou para o banheiro. Perto da porta do quarto derrubou os livros e objetos que estavam em cima da prateleira com um esbarrão. Achou estranho, esfregou os olhos para ver se acordava um pouco mais. Foi então que sentiu um peso em suas costas. Abriu a porta do armário e se olhou no espelho. Ficou espantado com o que viu. Estava mudo, mas gritava por dentro ao ver que havia duas asas brancas e enormes em suas costas.

Passado o choque, ficou alguns bons minutos se observando, tentando entender o que estava acontecendo. No primeiro momento, ao retomar a consciência de sua rotina, se desesperou imaginando como esconderia a novidade das pessoas. Não poderia sair nas ruas ou ir para o trabalho daquele jeito. Imediatamente fechou todas as cortinas e voltou correndo para a frente do espelho. As asas eram mesmo brancas e enormes, como as de um anjo. Sentiu algo extremamente positivo crescendo dentro dele. Seu sangue circulava com mais força, mais vida. Sentiu um calor e uma felicidade inexplicável. Viu que as asas saiam de sua pele, sem nenhum ferimento, eram perfeitas como se ele já tivesse nascido com elas.

Abriu as asas que mal cabiam dentro do espaço do seu pequeno kitnet. Com sua empolgação derrubou um abajur e dois quadros. Abertas, as asas ficavam ainda mais bonitas, de uma perfeição divina. Sentiu-se um escolhido, ou melhor, O Escolhido. Questionou sua missão na Terra e tudo que tinha feito em sua vida até aquele momento. Questionou o seu futuro e sentiu-se na obrigação de ajudar os outros, afinal, ele acabara de receber uma dádiva única, decidiu que aquele era o mo