Carolina Vieira en Communication et Journalisme, beBee em Português, Escritores Redatora publicitária de rádio 18/3/2018 · 3 min de lectura · +900

De como lidar com o fracasso, OU de uma breve conversa sobre Sêneca

De como lidar com o fracasso, OU de uma breve conversa sobre Sêneca

             Les derniers moments de Michel Lepeletier, Gravure d'Anatole Desvoge d'après Jacques Louis David.



Ontem, publiquei em outra rede social um trecho de entrevista com o filósofo Alain de Botton, para abrir uma discussão sobre nossa forma de lidar com as transformações atuais. Creio que muitas de suas reflexões podem fazer-nos melhor compreender nossa época e trabalhar aspectos que nos ajudem na gestão profissional e na gestão da Vida. Isso porque acredito que ser um profissional é viver a nossa vida na plenitude das nossas ações práticas.


Alain de Botton têm uma série de livros e vídeos que abordam a Filosofia de alguns pensadores da antiguidade. Os vídeos são um trabalho meticuloso, bem realizado e com uma linguagem fácil e agradável, a qual busca paralelos com a atualidade, e desmitifica a velha concepção de que a Filosofia é matéria hermética e para poucos. Ao contrário dessa vertente, uma de suas tarefas como catedrático em Filosofia é exatamente tornar a matéria palatável e útil para o nosso cotidiano.


Em minha atual condição profissional, tenho refletido bastante sobre alguns “conceitos” que são erigidos como máximas no mundo do trabalho. Entre eles o conceito de “fracasso” e “sucesso” e as relações entre felicidade, riqueza e pobreza. E no contexto das palavras e pensamentos de Botton, lembrei-me de algumas de suas falas sobre essa questão. E entre elas, uma que abordava as ideias de Lucius Annaeus Sêneca.


A partir dessa reflexão, escolhi hoje falar um pouquinho sobre esse excêntrico filósofo que viveu entre 4 a.C. e 65 d.C. E porquê o elegi? Porque no mundo corporativo a ideia de fracasso e de sucesso passa, antes de tudo, pela ideia de “bens, dinheiro, acumulação de capital e riqueza”, mas Sêneca deixou-nos muitos textos que hoje podem ser lidos como com orientações para lidar com o fracasso (ou para alcançar o sucesso) e essas ideias nada têm a ver com bens materiais, aliás, é a renúncia ao materialismo e à acumulação.


Embora tenha discorrido longamente sobre o que deve ser feito