Mário José Soares en Engenheiros e Técnicos Gerente de Engenharia 13/3/2018 · 3 min de lectura · 5,4K

O Dalai Lama e o gerenciamento de projetos

O Dalai Lama e o gerenciamento de projetos

Certa vez me dediquei à algumas leituras dos ensinamentos do Dalai Lama e, entre alguns pontos, o que me chamou mais atenção foi uma declaração muito simples e direta do monge tibetano: o próprio objetivo da vida é perseguir a felicidade”.

Pensando em objetivos, resgatei alguns conceitos do PMBOK (Project Management Base of Knowledge), o padrão de boas práticas de gerenciamento de projetos publicado pelo PMI (Project Management Institute), que ressalta a importância de se definir claramente os objetivos a serem atingidos pelo projeto e os planos de ações para que estes objetivos sejam plenamente alcançados.

Mas... o que o Dalai Lama tem a ver com o gerenciamento de projetos?

O objetivo desta provocação é trazer aqui uma reflexão para muitos de nós que temos o nosso “projeto de vida”:

  • Quais são os objetivos do seu projeto?
  • Você está realmente focado nos objetivos do seu projeto?
  • Suas ações estão direcionadas para atingir estes objetivos?

Em um mundo corporativo altamente competitivo que nos exige cada vez mais focar nosso tempo e energia na carreira e nos dedicar cada vez mais em nos prepararmos para os desafios profissionais que surgem, estas perguntas incomodam. E devem incomodar..

O grande desafio do gerente de projetos é balancear os requisitos de seu projeto!

Um outro pensamento do Dalai Lama também me chamou a atenção: “Torne o resto da sua vida tão significativo quanto possível. Consiste apenas em agir levando os outros em consideração. Assim, encontrará paz e felicidade para si mesmo. ”

O PMBOK dedica um capítulo exclusivamente ao tema “gerenciamento das partes interessadas” (stakeholders) do projeto onde preconiza que o gerente de projetos deve identificar todos os stakeholders que terão influência significativa no projeto e se concentrar nos relacionamentos necessários para conduzir a influência e interesse desses stakeholders em favor do sucesso do projeto.

  • Quem são os stakeholders e como participam dos objetivos do seu projeto?
  • Você está dando a atenção devida aos stakeholders do seu projeto?
  • Como você está contribuindo para o sucesso dos projetos dos seus stakeholders?

Quando estamos no “olho do furacão”, decidindo novos rumos de carreira, elaborando planos de ações para definir estratégias e alcançar metas, nos preparando para reuniões de orçamento, no dia-a-dia de nossas atividades, muitas vezes deixamos de nos fazer essas perguntas.

O gerente de projetos deve entender que o seu projeto faz parte de um grande portfólio!

“Acredito que cada um de nossos atos tem uma responsabilidade universal. Por causa disso, a disciplina ética, a conduta íntegra e um discernimento cuidadoso são elementos decisivos para uma vida feliz e significativa. ” - Dalai Lama

Vale aqui comentar que o PMI possui um Código de Ética e Conduta Profissional que descreve comportamentos que devem ser usados para guiar a tomada de decisão de um indivíduo na profissão de gerenciamento de projetos quando se depara com um dilema ético.

  • Seus atitudes respeitam diferenças culturais e hierárquicas?
  • Suas decisões são baseadas na imparcialidade e livres de interesses particulares?
  • As suas ações são espelhadas em práticas que são consideradas “normais”?

O cenário que vemos diariamente acerca do comportamento e das práticas consideradas "normais" da grande maioria dos representantes de nossa classe política é um exemplo de uma sociedade que carece de líderes que a inspirem a buscar um caminho de direitos iguais e oportunidades para todos. É importante refletir sobre que bases queremos conduzir nosso projeto... que tipo de inspiração queremos despertar em nossos stakeholders.

Responsabilidade, Respeito, Equidade e Honestidade são valores que legitimam os gerentes de projeto em líderes!

“O primeiro passo na busca da felicidade é o aprendizado. Alcançar a felicidade pode exigir que efetuemos uma transformação na nossa perspectiva, nosso modo de pensar e isso não é nada simples. ” (Dalai Lama)

Se você ler atentamente o PMBOK, verá que em todos os capítulos são feitas menções ao termo “lições aprendidas”. Conforme o PMBOK, “as lições aprendidas representam o conhecimento adquirido durante um projeto e que mostram como os eventos do projeto foram abordados ou devem ser abordados no futuro, com o objetivo de melhorar o desempenho futuro. ”

  • O que você está aprendendo na condução do seu projeto?
  • Quais são as “lições aprendidas” realmente relevantes para os objetivos do seu projeto?
  • Como você está usando estas “lições aprendidas” para melhorar seu projeto?

Todos os dias passamos por diferentes experiências que nos servem de aprendizado: aprendemos com nossos erros, com nossos acertos, com outras pessoas... aprendemos sempre e lições devem ser assimiladas e compartilhadas. São aprendizados que nos motivam a mudar nossos pensamentos e ações.

O gerente de projetos registra e utiliza as lições aprendidas para promover mudanças no projeto que estejam orientadas para o atingimento dos objetivos do mesmo e de sua organização.

Normalmente os gerentes de projeto têm grande preocupação com o cronograma e os custos de seus projetos. Mas... e o seu projeto de vida?

É importante considerar que esse projeto tem uma peculiaridade: ele não tem um cronograma previamente definido (ou será que tem?). É claro que você quer estender o cronograma ao máximo possível, mas como você está se cuidando para postergar o “deadline”?

E o budget? É sempre confortável manter os custos dentro do orçamento, mas será que “gerar cada vez mais caixa” realmente te dará uma melhor “taxa de retorno”?

Você está utilizando as "lições aprendidas" para alimentar seu "sistema de gerenciamento de mudanças" direcionadas para o atingimento dos objetivos do seu projeto? 

Talvez as lições aprendidas e as mudanças sejam os ativos de maior valor de nossos projetos. Afinal de contas, nunca se sabe se seremos convidados para gerenciar outros projetos...

“Julgue seu sucesso pelas coisas que você teve que renunciar para conseguir”. (Dalai Lama)