Mauro Barbosa en Trabalho Social - Serviço social, Estudantes, Desenvolvimento Humano Escritor • Chiado Editora 18/1/2019 · 2 min de lectura · +700

2019 E A TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

                                                        2019 E A TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Olá! Que tal uma reflexão para este início de ano? Aliás 2018 foi repleto de emoções fortes, tais como copa do mundo e eleições. Isso falando apenas do Brasil. Mas nada de retrospectiva. A proposta aqui, independentemente de nacionalidade, religião ou ideologias, é fazer uma pausa na correria diária e refletir na seguinte questão: está acontecendo alguma coisa, tipo uma mudança de grandes proporções, e eu "tô nem aí?"

A resposta é sim. Bem debaixo dos nossos narizes, dentro e fora de nós. Mas o que? Vai a dica: tem a ver com os anos 2000 e 2012. Se isto te remeteu ao "fim dos tempos", é por aí mesmo. Mas calma, nada de pânico. Vejamos:

Em 1950 a população mundial, segundo a ONU, girava em torno de 2,5 bilhões. Atualmente, a última contagem mostra que estamos próximos a 8 bilhões. Isto representa quase três vezes mais pessoas andando pra lá e pra cá, consumindo os mesmos escassos recursos do planeta.

 Já os cientistas permanecem debruçados em pesquisas que resolvam o enigma de quando o primeiro homem ou "homos" habitou o planeta.

Parece que essa história ainda vai longe. E enquanto isso não acontece, vamos ficar com a Teoria Evolucionista de Charles Darwin, somado a alguns achados arqueológicos mais recentes. Digamos, então, que a humanidade tenha iniciado sua trajetória há cerca de 1,5 milhões de anos. Isto posto, reflitamos...

O planeta levou todo esse tempo até chegar a metade do século passado com uma população na casa dos 3 bilhões de habitantes. Depois disso o que ocorreu foi uma verdadeira avalanche. Consequência, sem dúvida, de outros avanços significativos, como os da tecnologia, ciência, biomedicina, etc. Mas pessoal, não há como negar que a humanidade alavancou um crescimento impressionante, sob todos os aspectos, nos últimos 50, 60 anos. Não é pra refletir, pelo menos um pouco?

Qual o propósito disso tudo? Na opinião de muitos, nada demais. Apenas a ordem natural das coisas. Mas para os espiritualistas em geral, uma transição global nunca vista antes está para acontecer. Primeiro pensou-se que tal fato se daria no ano 2000. O famoso "fim dos tempos" tão cantado e decantado por estudiosos do livro Apocalipse do apóstolo João, previa acontecimentos seríssimos na ordem social e política. Como guerras, rumores de guerras, violência generalizada, perseguições étnicas, catástrofes naturais. Enfim, tudo que ora vivemos.

Mas o citado livro não faz menção a datas. Deduz-se então que foi o ser humano quem elegeu o ano 2000 como um marco para tal evento. É tipo aquela brincadeira para saber onde estamos quando saímos do campo de visão do outro. Um grita "Marco!", o outro responde "Polo!", e fica tudo bem. A questão do "final dos tempos" é quando aquele que gritar "Marco!" não obtiver mais resposta. Captou?

Mas nada aconteceu no ano 2000. Nem o "bug" do milênio foi tão "bug" assim. Não satisfeitos, os homens escolheram outra data. O calendário Maia apontava 2012 como um ano de grandes transformações planetárias. Diversos estudos sobre o assunto foram realizados. Até um filme foi feito e estrelado pelo bom ator John Cusack. Volta e meia "2012" passa nas tevês abertas ou não. Querem porque querem que o mundo literalmente exploda. Contudo, mais uma vez, nada de contundente ocorreu que justificasse os temores de um "apocalipse now".

Agora a bola da vez é 2019. Sem entrar no mérito da questão, me pergunto por que diabos as pessoas andam falando tanto em colapso mundial? Resposta? A transição planetária, assunto para outro post. Mas fica uma segunda uma dica: as pessoas não viajam entre cidades, países, atravessam continentes e rodam o mundo, se dinheiro não for problema? Então.