Mauro Barbosa in Professores e Educadores, Livros, Escritores Escritor • Chiado Editora Aug 13, 2019 · 1 min read · +500

Ler pode Curar

 Ler pode Curar

Li um post sobre  25/07, dia do escritor, que instigava o leitor a, nos comentários, escrever qual seu autor predileto. 

Até tentei, mas quando dei por mim, o que era para ser um simples comentário, curto mesmo, virou crônica. Aí decidi escrever uma, por que não? 

Digamos que não possuo uma preferência por este ou aquele escritor(a). Gosto de ler e pronto. Ou ponto. E se o texto ou livro for bom, será o meu predileto do momento. 

Quem, por exemplo, adora viajar mas não pode? Rir e não consegue? Chorar mas as lágrimas secaram há muito? Então não perca tempo, leia! Escolha um livro, um bom texto e mergulhe de cabeça. Desta forma você fará tudo isso sem sair do lugar. E até mais, se deixar fluir sua imaginação. 

Os livros são naves, escritores são os arquitetos e nós leitores somos os viajantes que conhecem esse e outros mundos. Sem falar de emoções que nem sabíamos de sua existência em nós.

Optar por um escritor, no meu caso, seria castigo. Se menciono Machado de Assis, o coração aperta quando penso em João do Rio. O mesmo ocorre com Miguel de Cervantes e Gabriel Garcia Marquez. Ou Ray Bradbury com Arthur C. Clarke. Luis Fernando Veríssimo e Fernando Sabino. Moliére ou Shakespeare, eis a questão. E o que dizer de Mário Quintana e Fernando Pessoa?  E quanto às mulheres? Como não mencionar Clarice Lispector e Lygia Fagundes Telles? Martha Medeiros e Lya Luft? Dúvida cruel. 

"O Ventre" de Carlos Heitor Cony ou "A trégua" de Mario Benedetti? Preciso de uma, pois que não ouso escolher, temendo cometer uma heresia. 

Contudo, se acaso me perguntarem qual estilo literário que mais aprecio, na resposta não hesitarei: são as crônicas. Mas isso pouco importa. Nem o dia, nem o estilo. Importa é ler. Porque Ler pode Curar!