Mauro Barbosa in Trabalho Social - Serviço social, Recursos Humanos, Marketing e Produto Escritor • Chiado Editora Jul 23, 2019 · 1 min read · 7.6K

O Tempo

O Tempo

Gosto de falar sobre o tempo. É o produto mais valioso. O imperador da vida. Por falar nisso, eis uma passagem atribuída a um dos maiores que o mundo teve notícia:

Perto de morrer, Alexandre, O Grande, fez 3 pedidos a seus ministros:

1) Que seu caixão fosse carregado pelos melhores médicos da época.

2) Que os tesouros que tinha, fossem espalhados pelo caminho até seu tumulo.

3) Que suas mãos ficassem fora do caixão e a vista de todos.

Os ministros surpresos perguntaram quais são os motivos?

Ele respondeu:

1) Quero que os melhores médicos carreguem meu caixão, para mostrar que eles não têm poder nenhum sobre a morte.

2) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros, para que todos possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui ficam.

3) E quero que minhas mãos fiquem para fora do caixão, de modo que as pessoas possam ver que viemos com as mãos vazias, e de mãos vazias voltamos."

Talvez muitos conheçam a história. E refletir sobre ela? Filmes como Interestelar e Kate & Leopold tentam equacionar ou romancear o tempo. Mas ele simplesmente passa, como um vento bravio ou uma brisa leve. Renato Russo dizia que "não temos tempo a perder". Cazuza  cantou "Dias sim, dias não". 

Sexta é alegria e domingo à noite é complicado? Sinal que o que você faz entre ambos não tem surtido o efeito esperado. Neste caso, o tempo se torna um fardo. Muitas vezes tudo na vida se torna um fardo para quem não tem tempo ou tem tempo demais. Seja como for, ele não interrompe sua jornada.  Lulu Santos sinaliza bem isso em uma de suas canções: "Hoje o tempo voa, escorre pelas mãos, mesmo sem se sentir".  Não se pode comprar Tempo; só em filmes de ficção. A pergunta que fica por enquanto é: como estamos administrando o nosso?