Mauro Barbosa en Trabalho Social - Serviço social, beBee em Português, Professores e Educadores Escritor • Chiado Editora 26/3/2017 · 1 min de lectura · 1,5K

Ufa! Vamos mudar um pouco de assunto?

Ufa! Vamos mudar um pouco de assunto?


Tudo bem, é importante estar antenado num mundo que vive assim 24 horas por dia, 7 dias da semana. Mas a mídia vem massacrando a população com tanta notícia negativa.

E o pior: O povo entra nessa vibe. Se entrega na sofrência desse momento conturbado que vive não só o Brasil, mas o mundo. Uma proposta: para um pouco e respira fundo. Isso. Agora pensa. Se você for deixar de comer porque acha que tudo está estragado, vai viver da luz solar? Tens evolução espiritual e estômago para isso?

E se não sai mais de casa por medo da violência, ou tem uma planilha com o nome de todos os envolvidos na lava-jato - que coisa complicada virou essa operação - você deixou de viver sua vida e passou a viver o que a mídia quer.

O povo do Rio de Janeiro, de repente, resolveu viajar para Minas. E por que? Vacinar contra a febre amarela. Chega a repórter, quatro horas da madrugada, fila num posto de saúde e pergunta:

- A senhora está aqui para se vacinar contra a febre amarela?

- Sim! Vou pra Minas - respondeu convicta.

- Que lugar de Minas? - Aí quebrou a criatura. Ela ainda pensou em alguma cidade, mas resolveu insistir que ia para Minas, como se Minas fosse um lugar dentro do Estado de Minas Gerias.

Ou seja: ela não vai a lugar nenhum, mas o pânico criado em torno da febre amarela é tanto, que é mais fácil essa senhora pegar uma gripe - já que estamos no outono, madrugadas mais frias - ou ser assaltada, do que ser vítima da tal febre. Mas tem que ser  vacinada naquele dia. É o medo do que ouve na mídia e não entende. A vacinação vai ficar no calendário. Vivemos numa região metropolitana.

E o que dizer das pessoas que trabalham em frigoríficos? São como nós. Responsáveis. Erros acontecem. O problema é mais, como sempre, da corrupção de alguns do que da qualidade dos alimentos.

Se você largar um pouco a TV e redes sociais e for andar pelas ruas, vai perceber, se não feliz de todo, mas aliviado certamente, que as pessoas em geral estão vivendo normalmente, embora tanta notícia ruim. Porém, graças ao bom Deus, o brasileiro ainda não entrou no clima da "Teoria do Caos".

Mudando de assunto, especificamente falando sobre redes sociais, andava um tanto cético em relação a elas. Muitas bobagens, postagens cansativas de selfies, vídeos de toda sorte. Meu watsap não consegue fazer um download, porque o Smartphone, coitado, novinho há 6 meses, agora é um dinossauro.

Mas descobri uma utilidade verdadeiramente social nestas redes: falar com quem você ama e não vê há tempos, em qualquer hora ou lugar. E não é que dá pra amenizar a saudade com um abraço virtual? Ouvir a voz dos filhos, mãe, irmãos, amigos. Dar um alô, que seja. Melhor que ficar sem notícias.

Nesse mundo em que o individualismo, imediatismo e outros ismos tomam conta de nossa vida, ouvir sua mãe, que você não vê há meses, dizer "Deus te abençoe filho" numa mensagem de voz,  faz a gente ainda acreditar na espécie humana. Somos capazes de criar coisas boas. O uso que fazemos delas, depende do caráter. Esse sim, necessitando de evolução urgentemente!

 


Mauro Barbosa 27/3/2017 · #4

#3 Olá @Breno Barreto! Obrigado pelo retorno! Abs

+1 +1
Breno Barreto 27/3/2017 · #3

Reflexão bastante lúcida, @Mauro Barbosa! Assino embaixo: tudo vai depender da relação das formas de utilidade-uso para que a internet e as redes sociais assumam um papel mais relevante nas nossas vidas.

+1 +1
Mauro Barbosa 26/3/2017 · #2

#1 Olá @Marisa Fonseca Diniz. Obrigado pela participação. Você captou o cerne da questão quando disse: "Se as redes fossem usadas de maneira inteligente da maneira que foram propostas todos poderiam se beneficiar com elas." Realmente é uma pena que os brasileiros polemizem tanto no lugar de ler o que realmente tem utilidade, adquirindo saber. E esse saber é cura para os males da nossa sociedade.

0
Marisa Fonseca Diniz 26/3/2017 · #1

A internet é sensacional quando bem usada, porém os "brasileiros" em geral ainda não aprenderam qual a finalidade das redes sociais, qualquer notícia viraliza negativamente. A maioria não lê as noticias na integra e já sai criticando, condenando ou acreditando em tudo que supostamente lê, ou seja, só o título, que muitas vezes é usado apenas como chamariz, nem sempre é real. Se as redes fossem usadas de maneira inteligente da maneira que foram propostas todos poderiam se beneficiar com elas. Já percebeu que brasileiro gosta de polêmica? Brasileiro odeia ler, odeia cultura, mas tudo que viraliza nas redes é legal. Salvo raras exceções, mas o Brasil é o reflexo da maioria, ou seja, melhor começar a história tudo de novo, e salve-se quem puder e tiver sabedoria para lhe dar com esse povo sem noção..rs

+2 +2