Neto Montana in beBee em Português, Escritores, Poesía Produtor de Eventos • Produtor de eventos Apr 15, 2020 · 1 min read · +200

Casa cheia

Casa cheia Foto: Pexels

Seus pequenos olhos escuros tornam-se imensos ao dizer 'coisas grandes'. Seus braços finos tornam-se fortes diante tanta necessidade e desespero - do tanto desacreditado passou a ser o milagreiro. Podemos tornar-mos grandes humanistas quando os corações pequenos e desleixados se tornam grandes. Somos um pouco de tudo, mas podemos ser imensuravelmente nos momentos que a humanidade tão dura se tornou frágil. Regras duras tornaram-se gráficos imprevissiveis, a certeza do dia-a-dia tornou-se os três periodos do dia, o café da manhã com a sensação do café descer no estomago quentinho, o almoço na mesa da sala com barulho de celulares e vozes, o jantar no sofá a aprecisar o barulho do bule a preparar a água do chá. 

A casa agregada, com sonhos grandes confinados num espaço pequeno. Diferenças que percorriam distancias agora se apertam num espaço pequeno. A liberdade e a imaginação dos grandes centros, podem transformar uma casinha num palácio de ideias e sensações na convivência. Tudo porém é troca de experiências. Podemos tornar-mos grandes em qualquer lugar - como um coração cheio de memórias que a vida dá, o importante é compartilhar, em forma de gestos e sentimentos prontos a ajudar, a quem e quando - assim necessitar. 

Cada distância podemos criar pontes de proximidade, cada conhecimento podemos criar laços de generosidade e a cada dificuldade podemos amenizar com doses de amizade, aproveitar a união da mesa na casa cheia.