Nutricionista Claudia Silvestre en Vida Saudável, Médicos e profissionais da área da saúde, Nutricionistas - Nutrólogos Nutricionista Responsável Técnica • Giordani Alimentos 18/10/2016 · 2 min de lectura · +300

Você vai (re)começar uma dieta? Leia este post primeiro!

Você vai (re)começar uma dieta? Leia este post primeiro!Começar ou recomeçar um programa de emagrecimento pode ser bem desanimador tanto para aqueles que estão tentando pela primeira vez como para os que estão mais uma vez na luta contra a balança.

1) Tanto em um caso como no outro, TIRE o foco da balança. A preocupação excessiva com o ponteiro (que as vezes insiste em permanecer parado no mesmo lugar) pode ser muito frustrante. Foque nos resultados que você terá a médio e longo prazo. Quando você começa a pensar de uma forma mais ampla descobre que eliminar peso é apenas uma pequena parcela do resultado. E o “grande prêmio” é a qualidade de vida que você adquire. Entre alguns benefícios, só para começar, posso citar:

  • Menor risco de desenvolver diabetes e ou doenças associadas ao diabetes
  • Diminuição do colesterol e LDL (colesterol ruim), aumento do HDL (bom colesterol) e dessa forma prevenir cardiopatias, aterosclerose, AVC, derrames
  • Redução da pressão arterial
  • Aumento dos níveis de energia
  • Melhora do humor, a aparência e auto estima
  • Menor risco de desenvolver gota
  • Previne ou reduz a apnéia do sono
  • Previne doenças da articulação, urinárias, de reprodução e o câncer

2) Então, pense: quais são seus objetivos? Porque você quer eliminar peso? Ou por quais motivos você acredita que deva mudar seu estilo de vida e sua alimentação? Escreve seus objetivos e coloque em um local visível para não esquecer os motivos que o levaram a tomar essa importante decisão. Isso o ajudará a manter-se focado e dar ânimo para seguir em frente.

4) Trace um plano realista. Montar um plano de ação para eliminar 10kg em 15 dias, não é realista e muito menos saudável! No entanto estabelecer a meta de perder 500g por semana é bem possível. O mesmo ocorre com a prática de exercícios físicos. Se hoje você se encaixa no grupo dos sedentários, estabelecer a meta de correr 2 horas por dia pode não ser uma meta alcançável para você. Então, monte um plano de ação realista, com metas que possam ser mensuradas e a medida que você for completando as metas estabeleça outras até atingir seus objetivos. Para isso que tal montar uma tabela, tipo cronograma? Ah! Coloque sua tabela em um local visível também, de preferência ao lado de seus objetivos.

5) Planejamento é fundamental! Inciar uma mudança na alimentação sem planejamento é o primeiro passo para o fracasso. Planeje as compras, planeje as refeições, os lanches para a hora da fome ou para quando bate aquela vontade de comer algo diferente. Planeje tudo! Também planeje seus exercícios diários para que não caia na rotina. Se você corre na rua, mude o trajeto. Se você faz exercícios em casa ou na academia, a cada dia faça um grupo de exercícios diferentes com músicas diferentes. Planeje tudo! E coloque seu planejamento em local ou locais visíveis.

6) Outro ponto fundamental, não tenha em casa “gordices” e procure ter sempre à mão alimentos saudáveis e pouco calóricos para isso voltamos ao item anterior: Planejamento! Tenha um dia para fazer as compras, higienizar os vegetais e guarda-los limpos na geladeira para garantir a salada do dia a dia. Tenha no freezer, separado em porções alguns pratos prontos e semi prontos como molho de tomates, carne assada e já fatiada, panquecas de sabores diversos, pastéis integrais assados... Existe uma infinidade de preparações saudáveis, saborosas, para aquele momento da fome ou da falta de tempo e que você pode ter a sua disposição sem fugir da dieta.

7) Mudar a alimentação não significa deixar de ter vida social, mas é preciso ter alguns cuidados como: não fazer visitas ou jantar fora com fome, faça um pequeno lanche antes. Isso o ajudará a não fugir de seu planejamento. E se existe a possibilidade de escolher o local em que irá comer opte por aqueles que oferecem no cardápio preparações mais saudáveis. Troque os molhos de maionese por vinagrete, as frituras pelos assados. Mastigue com calma, saboreie o que você está comendo. Inicie a refeição com salada verde. E lembre de comer com consciência, ou seja, até sentir-se satisfeito e não porque todos a sua volta não param de comer.

8) Monitore-se. Diferencie a fome física da fome psicológica. E entenda que “comer” seus problemas e ansiedades não é solução.

9) Não faça dieta, reeduque-se. Fazer dieta geralmente é deixar de comer determinados alimentos por um período de tempo ou até atingir os objetivos. E depois voltar a vida normal com os mesmos maus hábitos que o fizeram engordar. O que todos precisam é aprender a comer corretamente, ou seja, um pouco de tudo na quantidade certa. É possível comer um maravilhoso bolo de chocolate, mas entenda que isso não significa que você tem que comer metade do bolo em 10 minutos.

10) E por fim, não existe milagre! É preciso persistência e esta pode ser a atitude mais importante que você deva cultivar. Ao longo do caminho você poderá cometer alguns “deslizes” que não devem ser motivo para desistência, mas ser encarado como um raio X da situação atual, ou seja, perceber quais vícios que você ainda tem, em quais momentos precisa redobrar a atenção para se manter focada, quais situações (jantares de família, pizzaria com amigos, happy hour com colegas...) comprometem seu novo esquema alimentar... Enfim, quais são as pedras no seu caminho que precisam ser removidas ou contornadas.

E lembre-se: NÂO existe milagre. É motivação, nutrição e exercícios físicos.


#1 Isso é muito comum... Acredito que 90% dos casos de obesidade tem como pano de fundo a fome psicológica. Por isso é fundamental diferenciar os tipos de fome e tomar a firme de decisão de não ceder. Outro ponto importante é não ter "gordices" em casa. Um abraço e obrigada pelo seu feedback

+1 +1

Legal @Nutricionista Claudia Silvestre! Como você pontuou bem, é importantíssimo monitorar a “fome psicológica”. Muitas veze não tenho qualquer necessidade de comer algo calórico e, por pura ansiedade, ataco as gordices que tenho em casa.

0