paulo passos en Recepcionistas - Promotores de eventos, Produção - Promoção de Festas e Eventos, Eventos Corporativos DIRETOR • IBEV - INSTITUTO BRASILEIRO DE EVENTOS Hace 7 d · 1 min de lectura · ~100

O planejamento foi feito?

A difícil tarefa de preparar os “expositores” e como conciliar quem produz com os canais de distribuição?

Quantas vezes ouvimos a afirmação que determinada feira estava fraca, que não vendeu nada, que não tinha público?

De fato, existem feiras que por um motivo ou outro, não atendem o esperado. Mesmo tratando-se da principal ferramenta de promoção comercial do mundo, há feiras que por um motivo ou outro, acabam por não atender os anseios gerais. Faz parte do mercado mas são, exceções.

A realidade é que parte considerável dos expositores brasileiros não aproveita as feiras em todo seu potencial e culpa os organizadores por não alcançarem suas expectativas.

De acordo com Fernando Lummertz, autor do livro FEIRAS DE NEGÓCIOS | Uma Poderosa Ferramenta para Marketing e Vendas, menos de 20% dos expositores das feiras brasileiras se preparam adequadamente para a participação.

O trade por sua vez, vem sistematicamente martelando palavras como treinamento, tecnologia, experiência, capacitação, big data entre outras que demonstram claramente o interesse em cada vez agregar mais valor aos seus eventos, mas, do outro lado, não raro, cartões comerciais recolhidos nas feiras vão parar na gaveta do responsável comercial e ali, hibernam.

Atentas a isto, algumas entidades e promotoras de feiras vem ministrando há anos cursos e palestras na tentativa de demonstrar a seus clientes, o poder desta magnifica ferramenta, as feiras. E mais do que isso, orientam os expositores para a preparação estratégica da participação em feiras, planejando as ações pré, durante e pós-feira.

Armando Campos Melo, Presidente Executivo da UBRAFE - União Brasileira dos Promotores de Feiras, afirma que “Planejamento é o nome da principal peça, não se esquecendo que no pós feira, a avaliação nos levará ao futuro sucesso”.

Os eventos, são canais de dupla direção. Se por um lado, há a necessidade de ouvir o cliente, o expositor por sua vez, tem de participar, tem que estar preparado. Material só em português em feiras internacionais, mega estandes sem a necessária compatibilização com os objetivos de participação e, consequentemente, sem a menor noção de ROI, estandes onde não conseguimos identificar claramente o produto ou empresa, nenhuma ou preparação inadequada para feira, sem contar a participação em feiras que não são compatíveis com o produto do expositor. Ou seja, escolheu a feira errada! Estes, são apenas alguns poucos exemplos de erros ou da falta de planejamento na participação de alguns expositores.

Como resolver este dilema?

O caminho passa pela capacitação constante de gestores e de atendentes dos estandes e que, na forma de treinamento, deve ser oferecida pelo maior número de players possível.

Planejamento + treinamento constante + dedicação + visão =