Reginaldo Afonso Bobato en Poesia, Redatores, Escritores Escritor político-filosófico-poético • Eu mesmo no Face book 4/12/2017 · 1 min de lectura · ~100

Desterro

Desterro

Desterro

Nos becos do abandono, os pequenos marginais já nascem predestinados a viverem ao acaso da sorte.

Eles mamaram na teta seca da prostituta, foram abandonados.

Dos traficantes ganharam uma arma e aprenderam a matar.

O grupo de extermínio os matou.

Os bons cristãos aplaudiram.

E Deus os mandou para o inferno. Autor Reginaldo Afonso Bobato

NNos becos do abandono, os pequenos marginais já nascem predestinados a viverem ao acaso da sorte.

Eles mamaram na teta seca da prostituta, foram abandonados.

Dos traficantes ganharam uma arma e aprenderam a matar.

O grupo de extermínio os matou.

Os bons cristãos aplaudiram.

E Deus os mandou para o inferno.

Autor Reginaldo Afonso Bobato
DesterroDesterro

Nos becos do abandono, os pequenos marginais já nascem predestinados a viverem ao acaso da sorte.

Eles mamaram na teta seca da prostituta, foram abandonados.

Dos traficantes ganharam uma arma e aprenderam a matar.

O grupo de extermínio os matou.

Os bons cristãos aplaudiram.

E Deus os mandou para o inferno.

Autor Reginaldo Afonso Bobato

Desterro

Nos becos do abandono, os pequenos marginais já nascem predestinados a viverem ao acaso da sorte.

Eles mamaram na teta seca da prostituta, foram abandonados.

Dos traficantes ganharam uma arma e aprenderam a matar.

O grupo de extermínio os matou.

Os bons cristãos aplaudiram.

E Deus os mandou para o inferno.

Autor Reginaldo Afonso Bobato