Reginaldo Afonso Bobato en Poesia, Redatores, Escritores Escritor político-filosófico-poético • Eu mesmo no Face book 6/12/2017 · 1 min de lectura · ~100

Deus profundo

Deus profundo

Deus profundo

Clamo a Deus no mais dos céus, e será que ele está tão longe assim, pode ser que o infinito do cosmos seja sua proteção, algo que ele esconde em mistérios profundos que não podem ser revelados, e bem imaginaria tua consciência, e seria a soberba de palácios suntuosos, ouro sobre o chão que reluz sobre a terra um poeira que ofusca e nos cega, a coroa de Reis e seus tronos magníficos, cédulas e mais cédulas de dinheiro, imensas plantações de trigo a lembrarem do vigor germânico, mulheres lindas e formosas que o próprio criador desenhou com inspiração profunda, jardins maravilhosos e encantadores, o glamour de noites inebriantes e o brilho de suas estrelas, mas o que Deus quis fazer foi feito e seleta é a busca sobre si mesmo, e ele em seu amor profundo nos enviou a um lugar cheio de riquezas que causaram enormes discrepâncias, mas teríamos que termos avisos a nossa própria existência, e a inteligência humana instigou a curiosidade científica, e dotado o homem se lançou a suas descobertas, cuja razão condenaria até a Deus, doenças cadavéricas, martírios envoltos em desgraças, sofrimento, guerras, aflições, desespero inquietante, ousado o homem descobriu que o que poderia curar também poderia matar, e assim o veredicto do verbo divino, bem sabia o criador de seus fundamentos, prepotência, arrogância e presunção deram a sentença ao homem, ninguém escapa da morte e do julgamento de Deus, que compõe um quadro de análises cujo poder é incomensurável e sem limites, alinhou os planetas ao poderoso sol, calculadamente, e de tão longe sentimos seu calor suavemente, e não damos graças,duvidamos de sua existência, profanamos, mentimos em seu nome, exigimos dele mais ainda do que já foi feito, usamos seus santo nome, e toda esta paixão divina e este imenso complexo ecológico ele criou para aprender com a nossa ignorância, numa infinita bondade, e seu esconderijo secreto pode estar no teu âmago, nas profundezas de tua alma. Autor Reginaldo Afonso Bobato