Reginaldo Afonso Bobato en Profissionais Administrativos, beBee em Português, Redatores Escritor político-filosófico-poético • Eu mesmo no Face book Hace 7 d · 1 min de lectura · 1,2K

Exemplo não basta, é preciso explanação psicofilosófica.

Exemplo não basta, é preciso explanação psicofilosófica.

Exemplo não basta, é preciso explanação psicofilosófica.

Seguem as doutrinas mansamente sobre a cabeça do homem que quer aprender, outrora a refletir, vivo este momento como se eu fosse eterno, e um dia ou outro tento valorizar o tempo que quis passar até sem minha integral vontade, deixe estar, e como que cumprindo o desígnio de ensinamentos, vivo a vida a pensar, pensar e pensar como que se o destino me incumbisse desta vontade que quis ser só minha.

Fui assim, e quando deixei de ser assim a literatura filosófica me fez tanta falta que é comparada ao ar que respiro ao sagrado pão, ao alimento de cada dia.

Até onde teremos esta analogia como verdade suprema?

[Note os calabouços, o constrangimento, a vergonha, a ignomínia e quanto tempo para aprender para não sermos vítimas de nossa própria ignorância ou até mesmo de nossa própria astúcia...].

É preciso raciocinar o que tive com as letras em comparação ao que você tem agora, elas simplesmente não existiram para mim, e saber a diferença entre um ato ou outro quase me custou a minha liberdade e até minha vida.

A paixão a e o amor a se chamar desejos não podem ser atos libidinosos, e você precisa ter ciência disso que atos libidinosos tentam existir na prostituição e por vezes existem de fato, podem manchar tua honra, e você bem diria, não tenho nada a perder, mas olhe teu nome sobre espectro de uma mácula, quanto sofrimento existiria se você simplesmente conspurcasse contra ele?

Zele pela moral e não a confunda quando fores caluniado em razão dela, pois ela Valle mais do que uma fortuna, é saúde para vivenciares uma conquista amorosa, dirás tu sem tropeço e mentira, sou isso e bem quisto e a verdade que não é tão estranha assim, não á tanta alienação nem desterro, nem tanta maldade nem tanta benevolência que você se deixaria molestar para se difamar e se incriminar. Autor Reginaldo Afonso Bobato