Reginaldo Afonso Bobato en Comunicação e Jornalismo, Escritores, Jornalistas Escritor político-filosófico-poético • Eu mesmo no Face book 14/10/2016 · 1 min de lectura · +200

Quando o tempo parou...

Quando o tempo parou...

Quanto o tempo parou...

O tempo não passou quando me lembrei de tudo, de todos os tolos que julgavam ser sábios, outrora é sabido meditar para compreender mais do que agir, outro havia em mim que não era ninguém, em mim mesmo sendo tantos outros, muitos ou pouco, um só nada demais, seriam mais de cem num número crescente, e eu não teria nada a temer sem nada a saber, e quanto mais eu me distanciava deles, mais eles estavam em mim sem estar, e só a procurar caminhos entre verdades que não existem e que se apresentavam verdadeiras em situações pecaminosas , cruas e sem aparente importância para muitos, menos a mim. Autor Reginaldo Afonso Bobato