Rodrigo Vieira in Música e Empreendedorismo, Artistas, Músicos e Atores, Produtores Audiovisuais PMO Analyst • Grupo e-Governe Aug 29, 2016 · 2 min read · +600

Exaltando e registrando inspirações musicais

Exaltando e registrando inspirações musicais

Olá ! Gostaria de contar um pouco sobre a experiência de empreender na área da produção musical, conforme mencionei em meu post anterior.


Comecei, curiosamente, preparando o repertório para o cerimonial de meu casamento. Ao separar e gravar em um CD-R as músicas para tocar na cerimônia, achei ser interessante gravar violão e voz como uma homenagem para minha noiva, durante sua entrada na igreja. Então usei o lendário Cakewalk para unir o inicio do instrumental da marcha nupcial, como introdução para a música, seguido dos violões de forma a harmonizar o andamento-dinâmica entre as duas partes. Produção simples, porém muito elogiada principalmente pelo pessoal responsável pelo cerimonial.


Com o tempo, observei que unir as boas práticas de produção musical, então hobby, com boas práticas de gestão, então profissão, teria um potencial inovador interessante.


A produção musical e o MVP.

Por exemplo, em gestão e empreendedorismo tem sido bastante praticados os conceitos de MVP (Minimum Viable Product, ou Produto Mínimo Viável). Basicamente, refere-se a uma versão mais simples de um produto que possa ser avaliado e utilizado.


Produzindo música, alternativamente a produzirmos um álbum completo, dependendo do projeto tornou-se interessante produzir singles, EP´s ou videoclipes. Contextualizando o MVP na produção musical, singles - EP´s ou videoclipes são versões mais simples do produto completo (álbum musical).

Amostra de gravação de EP - MVP de um projeto acústico

Exaltando e registrando inspirações musicais

A produção de um single ou EP (Extended Play) , que contém entre 4 e 6 músicas, tornou-se uma ótima alternativa complementar para projetos que envolviam todo um trâmite de aprovação em leis de incentivo à cultura e desafios inerentes à sua captação de recursos face ao cenário econômico atual. O Produto Mínimo Viável possibilita então antecipar ao público uma amostra do trabalho do artista ou banda, avaliando a sua receptividade; criar portfólio consistente para ajudar na captação de recursos para o álbum musical (o produto completo); e ainda distribuir e divulgar (especialmente em meio digital) antecipando formação de público e obtenção de receitas.


O Produto Mínimo Viável possibilita então antecipar ao público uma amostra do trabalho do artista ou banda, avaliando a sua receptividade; criar portfólio consistente para ajudar na captação de recursos para o álbum musical (o produto completo); e ainda distribuir e divulgar (especialmente em meio digital)

Rodrigo Dias (Jorim Musical)

A produção musical e o cooperativismo


Também considero relevante compartilhar a experiência da cooperação. Na gestão de projetos, é um desafio unir profissionais de diversas áreas com os mais variados skills para cooperar na busca de um objetivo comum. Porém é bastante recompensador quando o objetivo é alcançado. Na produção musical, é uma experiência transformadora, se considerado o meio musical como pródigo em abrigar gênios com personalidades não raras vezes, egocêntricas.


A cooperação é um dos princípios da economia solidária. A economia solidária, por sua vez, preconiza o trabalho como um “emancipador” em um processo de democratização econômica. Interessante e bastante pertinente para músicos que, como os agentes culturais em geral, buscam maior valorização, especialmente financeira. A cooperação, quando se sobressai à competição, inibe a exclusão, ajudando no fortalecimento sistêmico.


Com isto em mente, produzindo música, priorizo parcerias. Músicos, arranjadores, professores, enfim profissionais que me ajudam a agregar valor único a projetos, sejam de cantores solo, ou de bandas que buscam mais conhecimento instrumental e musical para gravar suas performances. Samples e instrumentos virtuais podem sim ter seu espaço na produção, porém os encaro como ferramentas complementares, o sentimento e perícia humanos são sim os principais.

Trilha sonora "Tempo de Celebrar" - cooperação envolvendo o músico Rodrigo Dias (composição e produção), a professora Ana Paula (vocais) e Netto Scaff - Estúdios Freedom (bateria)


A cooperação, quando se sobressai à competição, inibe a exclusão, ajudando no fortalecimento sistêmico.

Rodrigo Dias (Jorim Musical)


Assim moldamos os conceitos que norteiam a Jorim Musical. Estamos à disposição para prestar maiores informações e elaborarmos, sem compromisso, orçamentos específicos para o seu projeto, em nossos canais.

https://www.facebook.com/jorimmusical - jorimmusical@outlook.com



Rodrigo Vieira Sep 4, 2016 · #2

#1 Obrigado Marcos Vinicius!!! Abraços !

+1 +1

Legal saber um pouco mais sobre empreendedorismo artístico musical através do relato de alguém que se aventurou por esses mares. Parabéns @Rodrigo Vieira! E todo sucesso do mundo para seus projetos!

+3 +3