Roseli de Freitas en Recursos Humanos, Sankharas Treinamento e Desenvolvimento, Recrutamento Gestão da Área de Recursos Humanos 20/11/2018 · 3 min de lectura · +500

Tipos de liderança

Uma definição rápida de cada estilo:

. Autocrática: estilo onde somente o líder fixa as diretrizes, sem que haja qualquer participação do time.O líder define as técnicas de realização das tarefas, não pede opinião, não aceita idéias diferentes das suas. O líder tem perfil dominador, não faz elogios e tampouco exercita a empatia. Esse estilo gera tensão, frustração e intolerância entre os membros do time. 

Diante de um resultado positivo, o mérito é do Líder que soube gerir. Se o resultado é ruim, é culpa do funcionário.

. Liberal: liberdade completa para tomada de decisões grupais ou individuais. O líder tem participação mínima, fazendo comentários somente quando solicitados pelos membros do time. O Líder não faz nenhuma tentativa de avaliar ou validar o curso dos acontecimentos.

Não acompanha resultados gerados porque acredita que cada membro sabe o que tem que fazer. No entanto, quando um resultado deu muito errado, se recente porque se sente traído, uma vez que dá liberdade de atuação ao time e mesmo assim não corresponderam as expectativas do líder.  

Os membros do time demonstram pouco ou nenhum respeito pelo líder, o comportamento que predomina é o individualismo e agressividade.

. Democrático:

Nesse estilo, o líder se torna um facilitador do processo, ajudando os colaboradores a executarem bem as suas tarefas e primando por um clima agradável de trabalho. Ele se preocupa com a execução do trabalho em si, mas também com a qualidade de vida e satisfação do seu time.

Nesse estilo há muita interação entre os membros do time, há desenvolvimento e conhecimento compartilhado. O Líder atua contribuindo com sua experiência e assim facilitando o processo de tomada de decisão, os membros se sentem valorizados e parte do resultado atingido.

Falamos mais comumente dos estilos de lideranças dentro das organizações, até porque os textos buscam as empresas como resultado final.

São tantos os artigos, opiniões, percepções, resultados de estudos de autores diferentes que por vezes dá nó nos pensamentos. O que está certo? O que ainda dá resultado? É apenas modismo? Nesses momentos eu me recolho meus pensamentos e busco a sabedoria interna.

A sabedoria interna tem a ver com a vivência, as próprias observações, os próprios resultados atingidos... Certo? Então, vou compartilhar alguns exemplos da minha vida pessoal sobre esses estilos de liderança.  Desde criança, mesmo sem saber classificá-las, eu já experimentava estilos de liderança diferentes.  Meu pai, representava a Alta Direção, minha mãe era sua Supervisora Geral e que administrava 4 filhos, com idades bem diferentes. 

Os estilos de liderança eram bem diferentes e definidos. Meu pai atuava com a liderança autocrática (ele mandava e todos obedeciam. Tudo tinha que ser da forma que ele pensava que seria. Sua maior missão era prover as finanças). Minha mãe era muito esperta e habilidosa com as políticas internas. Ela deixava meu pai pensar que tudo acontecida como ele havia definido, mas na verdade, ela que estava diretamente na gestão da casa, do dinheiro e filhos. Ela buscou um estilo de liderança onde ela poderia ter mais resultados. 

No estilo democrático, ela compartilhava conhecimento... ela nos ensinava a guardar as próprias roupas, tomar banhos sozinhos, levar o lixo pra fora, assumir o compromisso de escovar os dentes após as refeições, ir à escola sem supervisão, tirava dúvidas na hora da lição de casa, uma filha lavava a louça a outra enxugava... e assim, cada qual tinha seu papel definido dentro do time.

Por vezes ela atuava com o estilo liberal. Quando isso acontecia? Quando brincávamos na rua... a gente não gostava de respeitar o horário de voltar pra casa... afinal a brincadeira estava boa demais. Minha mãe dava bronca, mas a gente continuava... (nessa questão a gestão dela era enfraquecida).

Minha mãe definiu algumas métricas internas para facilitar a sua relação com a alta direção:

. Nota mínima nas provas;

. Zero de reclamação escolar;

A liberdade de estudar para a prova e/ou nos metermos em confusão na escola era nosso livre arbítrio, mas como gestora democrática, minha mãe sempre mostrava as consequências, que estava diretamente ligada  ao poder da hierarquia da Alta Direção.

Na escola não era diferente. Em quase todos os anos escolares, tive aula com professores autocráticos (e não adiantava reclamar em casa). A vida seguia assim...  Ninguém cresceu traumatizado e tampouco lunático.

O que eu quero compartilhar com essa minha visão pessoal é que devemos aprender com tudo que nos é apresentado. Não há nada que seja só ruim, assim como não há aquilo que seja somente bom.

O desconforto de ter um líder autocrático, nos dias atuais, pode nos tirar da zona de conforto e nos impulsionar a buscar novos desafios e consequentemente mais aprendizados. Porém, minha experiência diz que se a lição que precisa ser aprendida ela não for aceita e praticada, o líder autocrático vai surgir novamente na sua vida, até que a lição tenha sido absorvida. E isso vale pra tudo na vida.

Então não se vitimize por nada... tudo é aprendizado.

Sobre essa questão das dificuldades servirem como aprendizado, eu recomendo assistirem ao filme "As aventuras de PI". No final do filme o jovem Pi, faz referência ao tigre. Vale a pena! 

Tipos de liderança

Eu me tornei líder de pessoas no mundo corporativo, sou líder também da minha casa. E mesmo com mais de 30 anos de experiência, dependendo das circunstancia, eu atuo como líder autocrático, não para satisfazer meu ego, mas é a forma que encontro para lidar com jovens iniciantes com ego nas alturas.

Se discordarem, podem  compartilhar vossas opiniões. Esse é um forum de compartilhar vivencias e experiencias. 

Um abraço