A HISTÓRIA DA NECESSIDADE DE TREINAMENTO


A HISTÓRIA DA NECESSIDADE DE TREINAMENTOO TREINAMENTO E A TRAJETÓRIA PARA CHEGAR NAS EMPRESAS COMO AÇÃO ESTRATÉGICA DE PRODUTIVIDADE E CRESCIMENTO DAS PESSOAS:

Podemos ter duas empresas, atuando em um mesmo local, fabricando o mesmo produto, com a mesma capacidade fabril, com o mesmo número de pessoas, usando a mesma tecnologia, a mesma quantidade e idade das máquinas e equipamentos Uma delas vai se destacar, sendo mais competitiva, valorizada no mercado, mais eficiente, mais forte no market share e admirada pelos consumidores. A diferença entre as duas, vai estar nas pessoas e planejamento. Na forma em que elas são administradas, educadas, treinadas,  lideradas conduzidas e preparadas, para a produtividade sob um conjunto  iniciativas  e  meios que asseguram que as pessoas estejam comprometidas com as estratégias, missão visão, crenças valores do negócio, através de uma cultura de produtividade, orientada pela cultura organizacional.  

OS ESTUDOS DESTE TEMA:

Os estudos mostram que desde a pré-história os seres humanos já treinavam suas habilidades. A caça com o uso de flechas e lanças e a pesca com outros instrumentos primitivos eram aprendidas e repassadas aos mais novos e se desenvolviam como forma de manter a sobrevivência. 

A PRÁTICA MILITAR ( EXÉRCITO) :

Posteriormente na época medieval os exércitos eram treinados para adquirirem agilidade e eficiência nas batalhas para terem suas conquista territoriais. A cavalaria era a maior força e precisava de homens bem treinados para conduzirem seus cavalos velozes e ao mesmo tempo fazer uso de espadas e lanças, usando armaduras e vestimentas especiais de proteção, muito pesadas apropriadas para o combate, sempre sangrento . Para manter o equilíbrio em cima do cavalo e em movimento de luta ao mesmo tempo com as suas armas pontiagudas. Tanto os cavalos, quanto os guerreiros precisavam de treinamentos especiais de equilíbrio e desta movimentação sincronizada entre os guerreiros e cavalos. Os grandes exércitos da época treinavam muito e valorizavam esta prática que os fortaleciam nos combates. Passavam por intensa carga desta prática. Quanto mais se treina, mais resistência, força e descoberta de meios de minar os inimigos se aglutinam em um guerreiro.

OS DETALHES DA EQUITAÇÃO, PARA FORTALECER O DESEMPENHO DA CAVALARIA:

A montaria dos cavalos convencionou-se pelo lado esquerdo. Até hoje se monta do lado esquerdo dos cavalos, justamente porque os guerreiros usavam espadas, escudos e as outras armas em geral do seu lado esquerdo. Caso fossem montar pelo lado direito iriam ter dificuldades em função destes armamentos, que são em geral sustentados na cintura ou membros  esquerdos. Alguns historiadores da equitação primitiva, complementam estes detalhes; eles dizem que durante o combate os guerreiros às vezes, desciam de seus cavalos e montavam novamente. O risco de serem mortos , caso demorassem a montar era muito grande, pois seriam atacados de cima para baixo e principalmente na região do crânio, e ombros, mesmos protegidos por armaduras. Os cavalos medievais eram treinados para batalha sob altos brados de ataque ao inimigo, e com isso eram ardentes temperamentais e perigosos para iniciantes. Locomoviam bruscamente e avante. Eram preparados para o embate direto em velocidade considerada. Esse também foi outro fator que demandou bastante treinamento dos guerreiros medievais para aprenderem dominar esses cavalos treinados unicamente para os perigosos combates e assim adquirindo grande habilidade,conhecimento e técnicas de praticarem uma equitação mais segura durante violentos combates.

OS TREINAMENTOS ESPECÍFICOS E ESTRATÉGICOS:

Outros treinamentos mais precisos se deram com os arqueiros. Dizem que era um tipo de tropa dos atiradores de elite, muito bem treinados para lançarem as flechas mortais em longa distância nos comandantes das tropas. Estrategicamente eliminando a liderança, ou foco das ordens de orientações táticas durante o combate enfraqueceriam o adversário.

OS TREINAMENTOS ACOMPANHAM A MODERNIZAÇÃO E APRESENTAM UMA GRANDE EVOLUÇÃO GERAL COMO INSTRUMENTO DE PRODUZIR CONHECIMENTO, APRIMORAR HABILIDADES E DESENVOLVER AS PESSOAS NAS EMPRESAS:  

O mundo evoluiu e chegamos na era industrial, onde os treinamentos se tornaram ainda mais fundamentais, para que os homens desenvolvessem habilidades para operarem as máquinas, os processos e as primeiras indústrias que nasciam no continente europeu, junto com crescimento do trabalho especializado. A partir de 1880 redobraram as ações voltadas ao treinamento dos operários. Esse crescimento e necessidades impulsionaram as área de recursos humanos ( gestão de pessoas) e muitas criaram uma seção ou divisão de treinamento. Notou-se que   a estruturação e condução do treinamento eram voltadas para as habilidades técnicas, o que garantia a diminuição dos erros operacionais decorrentes da sua mão de obra, gerando condições para conseguir o perfil ocupacional desejado. Podemos dividir a evolução de treinamentos geral em 5 fases: 1ª. subdesenvolvimento;   2ª. em desenvolvimento;   3ª. após o início da industrialização;   4ª. industrialização avançada;   5ª. pós-industrialização

 A partir de 1930 o treinamento passa a ser ainda mais valorizado e ganha o espaço organizacional  de natureza formal dentro do organograma das primeiras empresas com uma posição tática e de âmbito administrativo, que se torna parte integral da estratégia empresarial. Esta prática então se espalha rapidamente e alcança próximo de 70% das empresas de porte considerável do mundo..

ADMINISTRAÇÃO CONTEMPORÂNEA E A VISÃO DE TREINAMENTO COMO FATOR DE AÇÃO ESTRATÉGICA - A ERA DA GESTÃO DO CAPITAL HUMANO - CONHECIMENTO - TALENTO :

Novas palavras, novas estratégias e novas orientações que surgem em relação às pessoas e condução e gestão nas empresas: Coaching, gestão de pessoas - capital humano - intelectual-gestão de talento - gestão do conhecimento, Inteligência emocional, líderes holísticos.

 O treinamento e desenvolvimento das pessoas nas empresas por todo mundo, chega no século XXI, acrescido de substâncias organizacionais, musculatura e moral operacional, pois passaram por um processo de mutação no modelo de condução, avaliação e formatação organizacional, a fim de se ajustarem às grandes transformações das empresas, em função de tecnologia, processos, mercado competitivo liderança e modernização ambiente. Continuam conduzidos pelo clássica da Administração de Recursos Humanos, mas que anexaram e focalizaram outras missões da gestão como a de obter vantagens competitivas através das pessoas, deixando de ser apenas um órgão de capacitação de mão de obra e administração de pessoal. As principais empresas do mundo inteiro passaram a entender que a educação e treinamento dos empregados tem um papel crucial no nível de eficiência, produtividade, qualidade e competitividade das empresas e vem apresentando uma ampla disposição de investirem nessa área de gestão de pessoas e talentos, como forma de domínio de estratégias de sustentabilidade e capital humano ou intelectual. É a base da maximização do rendimento da liderança, pessoas, processo, tecnologia. Ganhos de produtividade, competitividade, eficiência, conhecimento e aprimoramento de know how, que contribuem para benchmarking e avanço no market share (fatia de mercado) os alvos de grandes executivos e diretores modernos. O entendimento da Administração Geral da importância da Pessoas-Processo e Tecnologia, sendo as pessoas o fator decisivo de produtividade, competitividade, liderança, eficiência e sustentabilidade e know how.

CRESCIMENTO DAS PESSOAS NOS NÍVEIS ESTRATÉGICO, TÁTICO E OPERACIONAL :

Jamais poderia deixar de citar o nome de homens corajosos, empreendedores, dedicados, inovadores de elevado caráter, que tanto fizeram para as empresas e indústria do mundo inteiro, seja na Administração Industrial, TGA, Teoria Geral da Administração, GQT, Gerenciamento da Qualidade Total, assim como os projetos de CCQ (Circulo do Controle da Qualidade) ensinamentos, ferramentas estatísticas da qualidade e comportamento social. As obras deles são na realidade um eterno treinamento para todos nós administradores. O ensinamento desses homens deram sangue de coragem e iluminação no nosso pensamento. Refiro a Taylor com a teoria da administração cientifica, Henry Fayol, Henry Ford, Deming, Juran, Ishikawa, Tagouchi, James Teboul,   Daniel McCallun, David A. Garvin, Crosby, Shewhart, Shigeo Shingo, Armand V.Feigenbaum, Peter Drucker, Maslow, entre outros, eternos coaches pelo grande legado de evolução de nossas empresas e indústrias.

O PROCESSO DE MOTIVAÇÃO VIA TREINAMENTO E EDUCAÇÃO DOS EMPREGADOS:

Ganharam o nome de treinamentos motivacionais relacionados ao processo de adaptabilidade no moderno ambiente de trabalho. Esse tipo de treinamento é um recurso que os gestores adotam visando harmonizar o trabalho. A intenção tática - gerencial é estimular as boas práticas. Fazer aflorar continuamente o talento das pessoas, moral, potencial e trazendo a integração ou união desses fatores contribuindo para o rendimento individual e coletivo das equipes de trabalho, o que consequentemente eleva o nível participativo a evolução e desenvolvimento dos Recursos Humanos. O Coaching é tido como uma ferramenta 100% adequada em tudo que se refere desenvolvimento comportamental, tanto em dimensão individual, quanto coletiva. Alguns autores dizem:

 SÍNTESE:  

ANOS 50 e 60, Necessidade de treinamento. Desenvolvimento e ampliação de conhecimento (atualização) - ANOS 70, ANOS 80. A empresa e as Políticas Corporativas de Recursos Humanos e a valorização do treinamento e Gestão Estratégica das Pessoas -  ANOS 90 - ANOS 2000 Indispensável - Apoiado em ISO 10015 - O Embasamento Técnico e Diretriz  - "A função desta Norma é fornecer diretrizes que possam auxiliar uma organização a identificar e analisar as necessidades de treinamento, projetar o treinamento, executar o treinamento, avaliar os resultados do treinamento, monitorar e melhorar o processo de treinamento, de modo a atingir seus objetivos Esta Norma enfatiza a contribuição do treinamento para a melhoria contínua e tem como objetivo ajudar as organizações a tornar seu treinamento um investimento mais eficiente e eficaz."

Observação:

O Ms em Pedagogia Industrial Dr. Ravi Narayan, indiano, Coach respeitado, estudou a estrutura organizacional da Tata Steel - Global Steel Suppliers & Manufacturers, o maior grupo empresarial privado da Índia e um dos maiores do mundo. o conheci em 2013 e ele me orientou a criar um modelo de consultoria e banco de dados de conhecimento, que inclusive mostrei ao Dr.Eliezer Batista e ele gostou e recentemente a Guillermo Nureña, engenheiro de projetos ex-colega da Mineração Taboca, Grupo Minsur. Segundo Dr.Ravi, os gestores do mundo todo, ainda herdam o pensamento de só treinarem a habilidade técnica . Ele vai além e diz que; o cérebro humano é composto de 2 quadrantes, um lógico e o outro emotivo. E que devemos entender que o empregado precisa ser educado e treinado simultaneamente. Ressalta que educação é diferente de treinamento. A educação  vai atuar no comportamental, ou seja, no agir, para que as pessoas desenvolvam a cultura, respeito e comprometimento com a missão, visão, valores, crenças e estratégias emergentes da empresa, e que são membros dela; “que vistam com orgulho o uniforme da empresa”. O treinamento faz o lado lógico do cérebro que vai atuar na parte da racionalização e modelamento técnico do processo, o saber fazer e melhorar o processo fortalecendo a produtividade, criatividade e competitividade que é o know how das pessoas.

COACHING, FORTE ALIADO DE GESTÃO DE PESSOAS - CAPITAL HUMANO - INTELECTUAL-GESTÃO DE TALENTO - GESTÃO DO CONHECIMENTO:

Dr.Ravi, para finalizar explica que os Gestores abençoados e de sucesso, que terão os indicadores de desempenho notáveis no século XXI, serão aqueles que forem capazes de dominar a arte de fazer a educação e o treinamento andarem em velocidades sincronizadas na gestão de pessoas. Na opinião dele muitas empresas investem em treinamento e não obtém os resultados esperados. Em sua análise; é porque ora treinam muito e educam menos, ora educam mais e treinam menos. Afirma que estamos em plena Era do Capital Humano Intelectual. Isto é relativamente novo e de vanguarda. É uma mudança que pede urgente, um sincronismo na gestão dos Recursos Humanos. Coaching é um dos recursos modernos que pode contribuir eficazmente para sincronizar a educação e o treinamento dos empregados, conforme ele ressalta; e que enxerga positivo, ou seja, Coaching como ferramenta de gestão estratégica na empresa no que tange pessoas. Esta ferramenta no caso, reúne atributos para elevar o crescimento humano, tanto individualmente, quanto coletivamente. Mas depende de liderança, experiência, conhecimento e bagagem para ensinar e treinar e transmitir os valore que uma empresa precisa. Precisamos muito do coach industrial, aquele que anda pela indústria e o coach administrativo, tecnológico e de gestão, o de serviços. Isto porque, 85% de uma empresa é serviço interno, apoio logístico. Desenvolvendo pessoas aí, é 85% de capital humano que está sendo melhorado, que puxa, contamina, exerce influência nos os 15% do industrial automaticamente, ou formata uma base de união intelectual e técnica por toda empresa.