wagner santos in Profissionais Administrativos, beBee em Português, Economistas e Financeiros Coordenador Local • Students For Liberty Brasil Feb 21, 2019 · 2 min read · 2.2K

A Dívida Americana e as Intervenções!

A Dívida Americana e as Intervenções!
Esse artigo serve para pensarmos sobre dívida em geral, e com isso podermos filosofar uma questão macroeconômica complexa de maneira simples.

Primeiramente, qual a real intenção de uma dívida? 
Digamos que você está sem trabalhar, e então tem uma ideia inovadora ou um raciocínio inteligente pra atender uma demanda em sua cidade. Mas você precisa de mais capital para que isso dê certo, você então vai pegar dinheiro emprestado com  algum agente, seja banqueiros ou agiota. Nesse acordo de emprestimo, há claro uma taxa de Juros que é o risco de quem está emprestando o capital. Mas a pessoa que pega esse dinheiro emprestado não é tola, ela pega o dinheiro para ser mais produtiva em um periodo de tempo e assim poder devolver o capital pego emprestado + os Juros.
Essa é uma lógica de mercado, e isso que realmente ocorre e não tem como fugir disso, porque, digamos então, que alguém queira dinheiro emprestado, mas sem Juros. Então simplesmente essa pessoa não terá o que tanto quer!

O que quero dizer com esse exemplo (Em relação ao titulo do artigo) ?
O mesmo ocorre com governos. A lei do mercado também é aplicado aos governos, mesmo que não queiram! Um governo toma dívida emprestada, existe juros nesse processo, o mesmo governo tem que pagar a quantidade de capital pego emprestado e devolver com Juros.

A dívida americana aumentou 120% em 10 anos, de 9 Trilhões de Dólares hoje já supera a casa dos 21 trilhões. Como eu gosto de fazer comparações, a dívida pública atual do Brasil nem chegou aos 6 trilhões DE REAIS ainda.

A pergunta então que nunca quer calar é: Como os Estados Unidos irá pagar essa dívida?
Muito é discutido sobre como resolver esse problema, afinal é muito complicado mexer com a dívida americana já que qualquer medida de corte de gastos acaba gerando conflitos. 

Mesmo com a ideia de Estado Mínimo que muitos tem dos EUA é bem notável que a intervenção e tamanho do Estado é capaz de gerar complicações como essa, porque na verdade há muitos programas que poderiam ser cortados, porém é bem claro que na realidade não irão!  O EUA tentou resolver alguns problemas, isso gerou aumento de gastos do governo que tinham métodos estranhos de serem resolvidos. A divida começou ficar maior e cresceu exageradamente depois da crise de 2008, onde o mercado começou ser bem mais regulado.

A regulação do governo nesses ultimos 9 anos tem sido de redução da taxa de Juros a bem proximo de 0%, dessa maneira, muitas empresas conseguiriam arranjar crédito barato. O plano é que isso conseguisse aumentar a produtividade do País, porém nas analises que tem sido feita, é que o EUA não tem aumento de produtividade há muitos anos (fica muito claro quando corrigimos a inflação). Uma baixa produtividade é pessimo na visão do estado em relação a dívida, pois o governo não consegue taxar pessoas improdutivas, assim não pagando pelo menos parte da Dívida.
Com a Taxa de Juros baixa demais, acabou por gerar muitas bolhas, hoje há bolha no setor de automóveis, imoveis, crédito estudantil entre alguns outros. O cidadão comum que não está produzindo, ou não atinge a mais produtividade não está aumentando o salário (quando corrige a inflação),  então chega outra questão porque americanos estão se endividando mais? Vejamos um exemplo abaixo:

O maior motivo da crise de 2008 foi a dívida hipotecária, Hoje faz parte de 67% da dívida por cidadão americano e apesar de ter caido muito onde era de US$ 9,29 trilhões hoje está por volta de  US$ 8,743 (Dados de 2017) O emprestimo de carros aumentou 50% desde 2008 a de emprestimo para estudantes subiu 122%.

Nesses ultimos tempos muitas empresas tem confiado demais no FED (federal Reserve) onde acreditam que mesmo com aumento das taxas, acabarão sendo salvas. Com a taxa de juros aumentando é claro que fica incerto de quando as bolhas irão estourar, mas há certeza de que crises estão para chegar. Muitos começaram a se alertar por volta de Novembro do ano passado.
 Voltando a reflexão sobre dívidas: Digamos então que um empresário/empreendedor construa uma empresa onde sua base disso é sempre tomar dívidas a juros muito baixo. E que ele atende a demanda muito bem porém a Juros Baixos, e do nada esses juros começem subir. Acontece que muitas empresas não conseguirão pagar essas dividas a uma taxa maior, muitas já sentiram os efeitos a taxa de 2,5%.

E nessa reflexão sobre dívidas podemos perceber que empresas do próprio Estado Americano irão falir por causa das Dívidas (e claro por culpa da intervenção estatal), do mesmo modo o próprio Estado Americano irá falir por causa das dívidas, pois o mais correto a fazer seria de haver corte de gastos de no mínimo 50%, pois não basta apenas corte de impostos nas empresas, somente isso acaba aumentando a dívida americana. Deve haver um massivo corte de gastos e assim conseguir reestruturar a economia dos EUA sem ter que ficar passando problemas para o futuro.

Farei um artigo que explique de maneira mais detalhada sobre Bolha Americana, mas espero que tenha mostrado um conceito de dívida e como não importa que tipo de entidade que pegue capital emprestado, se não devolver o combinado acaba por gerar péssimas consequencias.

Referências Interessantes: https://www.zerohedge.com/news/2017-11-30/us-household-debt-rising-60-faster-wages-and-one-rating-agency-worried