Wilson Mattos en Motivação e Inspiração, Engenheiros e Técnicos, Professores e Educadores Supervisor de Mecânica 4/11/2016 · 1 min de lectura · 1,4K

Falta de compromisso…

Falta de compromisso…

Falta de compromisso…


Todos querem se envolver, mas ninguém quer se comprometer. Todos querem levar crédito,

mas não querem o trabalho.

É incrível como hoje em dia as pessoas gostam menos de compromisso. Geralmente, o desapego às obrigações se torna mais comum nesse universo em que vivemos e convivemos.

Ninguém é mais engajado em atividades que tomem o tempo, ou seja, duradouras. E isso se reflete nas relações humanas. Estar comprometido com algo não é para qualquer um.

Por quê?

Por que estar comprometido toma tempo, dá trabalho e é difícil. É necessário responsabilidade.

E não só com o trabalho ou carreira, mas também ter responsabilidade com as pessoas. Certa é a frase “todos querem emprego, mas poucos querem trabalho”. Afinal, ficar é bem mais fácil que namorar: não precisa confiar muito ou compartilhar alguma coisa. Basta querer a parte.

E o pior: o que as pessoas querem? Um bom emprego, um amor pra vida, saúde pra dar e vender, isso quando não são extremamente materialistas e querem apenas dinheiro, carro, ser famoso, etc. Não importa. Para obter qualquer coisa nesta ou em outra vida é necessário comprometimento. Ninguém tem um bom emprego se não se dedicar, seja nos estudos, seja na rotina de trabalho. Ter um amor, saúde e até ser famoso exige dedicação,comprometimento. Ninguém chega aos Alpes se não escalar.

E pra complicar mais ainda é que vivemos em uma sociedade que tolera o “jeitinho brasileiro”.

Que acha melhor passar na prova colando do que perder tempo estudando. Que prefere ter uma paixão para cada dia da semana do que um amor pra vida inteira. Esse tipo de incoerência, ainda que inconsciente, faz com que sejamos cada vez mais fáceis. Somos corrompidos por menos, temos mais novos amigos de “infância” e levamos vantagem com a

perda de nossos próprios valores. Só pra lembrar, quem está à frente deste país não é outro senão um de nós.

Afinal, precisamos nos comprometer com o futuro, não só nosso, mas dos outros também.

“Falar que o meu destino não está ligado ao seu é o mesmo que dizer que o seu lado do navio está afundando”.

Acho que essa falta de comprometimento se resume no medo que hoje assombra as pessoas.